MELXI

1758 | Laboratório ASPEN PHARMA

Descrição

Ação Terapêutica: Antitussígenos

Composição

COMPOSIÇÃO DO MEDICAMENTO, INDICANDO A RELAÇÃO REAL, EM PESO OU VOLUME DA MATÉRIA-PRIMA VEGETAL USADA E A CORRESPONDÊNCIA EM MARCADORES E/OU PRINCÍPIOS ATIVOS, QUANDO CONHECIDOS.Concentrado de enzimas naturais. Cada 1mL contém: Extrato de Ananas comosus* 0,66g. Veículo q.s.p. 1mL (Nipagin, Nipazol, Mel de abelhas, Benzoato de sódio, Álcool etílico, Água purificada). * Equivalente a 4,4 x 10-6g de Bromelina.

Apresentação

Suspensão oral: embalagem com frasco pet contendo 100mL, acompanhado de copo-medida.
USO PEDIÁTRICO OU ADULTO

Indicações

Melxi® está indicado como tratamento coadjuvante nas traqueobronquites e suas manifestações.

Dosagem

Crianças de 3 meses a 1 ano: 2,5mL, 3 vezes ao dia. Crianças de 1 a 8 anos: 5,0mL, 3 vezes ao dia. Crianças acima de 8 anos e adultos: 10mL (copo-medida cheio), 3 vezes ao dia.

Contra-indicações

Pacientes com hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula; Hipersensibilidade a Bromelina; Gravidez e lactação; Pacientes diabéticos.

Reações Adversas

REAÇÕES ADVERSAS/COLATERAIS E ALTERAÇÕES DE EXAMES LABORATORIAIS
Ainda não foram relatadas a intensidade e freqüência das reações adversas, colaterais ou alterações de exames laboratoriais com o uso do Melxi®.

Precauções

Atenção: este medicamento contém mel de abelha, portanto, deve ser usado com cautela em portadores de diabetes.

Interação com outros medicamentos

As interações medicamentosas não foram observadas e/ou registradas.

Superdose

Não há perigo de superdosagem com o uso de Melxi®.

Informação técnica

O Ananas comosus associa, em sua composição, as enzimas com atividades proteolíticas: bromelina, ribonuclease, glucose-oxidase, invertase e diastase. Contribui para melhor fluidificação das secreções mucosas do paciente, graças às propriedades mucolíticas e fluidificantes destas enzimas, conforme pesquisas realizadas pela Universidade Federal de Pernambuco, Universidade de Pernambuco (estadual) e Universidade Federal da Paraíba. As enzimas bromelina, ribonuclease, glucose-oxidase, invertase e diastase contidas no Ananas comosus, catalizam a quebra de ligações entre as ligações peptidicas, pela incorporação de moléculas de água, facilitando, assim a fluidificação do muco espesso.
A bromelina é uma endopeptidase que não necessita de sistema precursor para desempenhar sua atividade farmacológica e terapêutica. Além disso, o Ananas comosus contém os cátions divalentes dos oligoelementos magnésio, manganês, zinco, ferro e cálcio, que atuam como co-fatores nas funções das referidas enzimas.

Farmacocinética

O Ananas comosus associa, em sua composição, as enzimas com atividades proteolíticas: bromelina, ribonuclease, glucose-oxidase, invertase e diastase. Contribui para melhor fluidificação das secreções mucosas do paciente, graças às propriedades mucolíticas e fluidificantes destas enzimas, conforme pesquisas realizadas pela Universidade Federal de Pernambuco, Universidade de Pernambuco (estadual) e Universidade Federal da Paraíba. As enzimas bromelina, ribonuclease, glucose-oxidase, invertase e diastase contidas no Ananas comosus, catalizam a quebra de ligações entre as ligações peptidicas, pela incorporação de moléculas de água, facilitando, assim a fluidificação do muco espesso.
A bromelina é uma endopeptidase que não necessita de sistema precursor para desempenhar sua atividade farmacológica e terapêutica. Além disso, o Ananas comosus contém os cátions divalentes dos oligoelementos magnésio, manganês, zinco, ferro e cálcio, que atuam como co-fatores nas funções das referidas enzimas.

Dizeres legais

MS 1.1557.0054.001-5
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play