Cefalexina

 

Terapias de Ação

Antibiótico.
Publicidade

Propriedades

A cefalexina é um cefalosporina de primeira geração. Desenvolve sua ação preferencialmente sobre germes Gram-positivos e, com muito menos frequência, sobre Gram-negativos. É um antibiótico betalactâmico, cujo mecanismo de ação é a lise da parede bacteriana. No espectro útil, são considerados: Streptococcus b-hemolítico, Staphylococcus aureus, incluindo cepas produtoras de penicilinase, Escherichia coli, Proteus mirabilis, Klebsiella sp., Haemophilus influenzae e Moraxella (Branhamella) catarrhalis. A cefalexina é um ácido estável que pode ser administrado por boca juntamente com as refeições; é absorvido com rapidez no trato gastrintestinal e atinge o pico de concentração plasmática 1 hora após a administração. Pode-se determinar os níveis plasmáticos até 6 horas após a ingestão. 70% da droga são excretados por filtração glomerular e secreção tubular, sem modificações, na urina, durante 12 horas após a administração. A meia-vida de eliminação é de uma hora e meia.

Indicações

Infecções do trato respiratório, pele, osso e geniturinário por germes suscetíveis.

Dosagem

Adultos: 1 a 4 g/dia, divididos em 4 vezes por dia. Crianças: 50 a 100 mg/dia, divididos em 4 vezes/dia.

Reações Adversas

Distúrbios gastrintestinais, raramente náuseas, vômitos e colite pseudomembranosa; mais frequentemente, diarreia, dor abdominal, dispepsia, gastrite e icterícia. Hipersensibilidade: exantema, urticária, angioedema e raramente eritema multiforme, Síndrome de Stevens-Johnson, epidermólise tóxica e anafilaxia. Outras reações colaterais informadas são prurido anal e genital, enjoos, cefaleia e alucinações; artralgias, nefrite intersticial, eosinofilia, neutropenia, trombocitopenia e elevação transitória de transaminases.

Precauções e Advertências

Antes de indicar cefalexina, devem ser investigadas as reações de hipersensibilidade prévia às cefalosporinas ou penicilinas. Foram descritas reações parciais cruzadas de hipersensibilidade com as penicilinas. O tratamento com antibióticos de amplo espectro pode alterar a flora do cólon e permitir o crescimento de Clostridium difficile, cuja toxina produz diarreia associada com colite pseudomembranosa. Foram relatados exames de Coombs positivos. Deve ser administrada com cuidado na presença de insuficiência renal. Com o uso de cefalexina, pode ocorrer reação de glicose na urina com resultado falso-positivo.

Interações

Quando administrada com aminoglicosídeos, deve ser controlada a função renal.

Contra-indicações

Pacientes com alergia conhecida ao grupo de antibióticos betalactâmicos (penicilinas e cefalosporinas).
Publicidade

Interações de Cefalexina

Informação não disponível

iVademecum © 2016 - 2020.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play