Cetotifeno

 

Terapias de Ação

Anti-histamínico.
Publicidade

Propriedades

Os efeitos antialérgicos do cetotifeno não se devem somente às propriedades anti-histamínicas, mas também ao potencial inibidor da fosfodiesterase, bloqueador dos canais de cálcio e inibidor da liberação e dos efeitos de uma associação de leucotrienos conhecidos como substâncias anafiláticas de ação lenta (SRS-A). Apresenta boa absorção pela via gastrintestinal e é eliminado principalmente por via renal e fecal.

Indicações

Profilaxia da asma e manifestações alérgicas como a rinite e a conjuntivite.

Dosagem

Adulto: via oral, 1 mg duas vezes ao dia durante as refeições. Crianças maiores de 2 anos: via oral, 1 mg duas vezes ao dia durante as refeições.

Reações Adversas

Aumento do apetite e do peso corporal, dor de garganta, febre, hemorragias ou hematomas não-habituais, cansaço ou fraqueza não-habituais, dor no peito, sonolência, espessamento das secreções. No início do tratamento podem ser observadas em raras ocasiões sedação e boca seca, manifestações que desaparecem em geral, de maneira espontânea, após alguns dias. Nos casos em que ocorre sedação é aconselhável reduzir a dose à tomada noturna e após alguns dias administrar também a dose diurna. Ocasionalmente podem ocorrer tontura leve, bradicardia, fadiga de curta duração, vômitos, enjoo, diarreias.

Precauções e Advertências

Não suprimir bruscamente outros medicamentos antiasmáticos (corticoides, ACTH) quando se inicia o tratamento. Precaução em pacientes que conduzem veículos ou maquinarias. Não foram realizados estudos em animais nem em seres humanos sobre o efeito carcinogênico ou mutagênico do cetotifeno. Por não existirem provas conclusivas, recomenda-se não utilizar em gestantes a menos que o benefício para a mãe supere o risco potencial para o feto. O uso desse medicamento em lactantes não é recomendado, uma vez que ocorre uma pequena eliminação através do leite podendo levar a uma irritação ou excitação não habitual do lactente; por sua ação antimuscarínica, pode inibir a secreção de leite. O uso em neonatos ou prematuros não é recomendado, por apresentarem maior sensibilidade aos efeitos antimuscarínicos, como estimulação do sistema nervoso central e aumento da tendência às convulsões. Em crianças maiores submetidas a tratamento com cetotifeno pode ocorrer uma reação paradoxal caracterizada pela hipersensibilidade. Os pacientes idosos submetidos ao tratamento com esse medicamento possuem maior tendência a sofrer tonturas, sedação, hipotensão, hiperexcitabilidade e efeitos secundários antimuscarínicos, como secura da boca e retenção urinária. Seu uso prolongado pode inibir ou diminuir a secreção salivar e contribuir para o desenvolvimento de cáries, doença periodontal, candidíase oral e mal-estar.

Interações

Agentes antidiabéticos. O cetotifeno pode potencializar a ação dos sedativos hipnóticos, anti-histamínicos e álcool.

Contra-indicações

Hipersensibilidade ao fármaco. Não administar junto com antibióticos orais devido à possível ocorrência de trombocitopenia reversível. O cetotifeno é contraindicado em pacientes com insuficiência renal ou hepática, com distúrbios cardiovasculares ou metabólicos e em indivíduos medicados com esteroides.
Publicidade

Interações de Cetotifeno

Informação não disponível

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play