Tioconazol

 

Terapias de Ação

Antimicótico tópico.
Publicidade

Propriedades

Este moderno derivado do imidazol (bifonazol, econazol, oxiconazol) é um fungistático-fungicida, conforme sua concentração, que possui um amplo espectro sobre diferentes variedade de fungos: Ephidermophyton, Trichophyton, Microsporum, Candida albicans, Trichosporum, Pityrosporum e algumas bactérias Gram-positivas e Gram-negativas produtoras de sobreinfecções das micoses cutâneas como Corynebacterium minutissimun, Staphylococcus aureus e epidermidis, Streptococcus agalactie. O tioconazol apresenta, além disso, um efeito significativo sobre Chlamydia trachomatis, Gardnerella vaginalis e certos protozoários como Trichomonas vaginalis. Diante das dermatofitoses e leveduras, possui uma rápida ação fungicida superior à dos outros antimicóticos imidazólicos. Seu mecanismo de ação é duplo, já que em baixas concentrações desenvolve um efeito fungistático que se relaciona com a inibição da biossíntese do ergosterol, o que gera a desorganização da membrana celular e a alteração de seu funcionamento. Em troca, em concentrações elevadas atua como um potente fungicida por ação direta sobre a parede celular. A diferença com outros agentes imidazólicos é que o tioconazol não atua durante a fase de crescimento logarítmico da Candida albicans e C. parapsilosis, e sim, apresenta uma ação similar sobre a fase estacionária destas leveduras. A absorção sistêmica deste imidazólico é insignificante por via tópica ou intravaginal. A absorção dérmica é muito baixa, dado que o pico de concentração plasmática foi alcançado após 12 horas e a quantidade total de metabólitos reconhecidos na urina (3%) e fezes (17%) foi escassa. Os níveis séricos foram inferiores a 5 mg/ml com a aplicação dérmica; 5 a 14 mg/ml como creme vaginal e 15 a 30 mg/ml com a solução para unhas.

Indicações

Dermatofitose, tínea pedis (pé de atleta), tínea cruris (eczema marginado de Hebra), tínea corporis (herpes circinada), tínea capitis (tinha do cabelo), onicomicose (tínea das unhas). Pitiríase versicolor, candidíase cutânea, eritrasma, infecções vaginais (vaginite, cervicite) e monilíase. Micoses vaginais.

Dosagem

Aplicar de forma local sobre a área afetada, 1 a 2 vezes ao dia, friccionando ligeiramente. A duração do tratamento varia em função do fungo patogênico e de sua localização. Em pitiríase versicolor, 1 semana; em dermatomicoses, eritrasma e candidíase, 2 a 4 semanas. Em tínea pedis, 2 a 6 semanas; em onicomicoses, 6 meses, e em micoses vaginais, 1 só aplicação, 1 única vez.

Reações Adversas

Ocasionalmente, sensação de queimação, irritação e prurido local, leves e transitórios.

Precauções e Advertências

Não aplicar nos olhos. Não foi determinada sua inocuidade na gravidez, devendo-se avaliar, portanto, a relação risco-benefício durante o primeiro trimestre da gestação.

Contra-indicações

Hipersensibilidade aos derivados imidazólicos.
Publicidade

Interações de Tioconazol

Informação não disponível

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play