ANSIOPAX

3272 | Laboratório HEBRON

Descrição

Ação Terapêutica: Ansiolíticos

Composição

COMPOSIÇÃO DO MEDICAMENTO, INDICANDO A RELAÇÃO REAL, EM PESO OU VOLUME DA MATÉRIA-PRIMA VEGETAL USADA E A CORRESPONDÊNCIA EM MARCADORES E/OU PRINCÍPIOS ATIVOS, QUANDO CONHECIDOS. Cada cápsula gelatinosa dura contém: Extrato seco de Piper methysticum Forst (Kava-kava) 234mg. Excipiente q.s.p. 1 cápsula. (Aerosil, Talco, Amido de milho). * Equivalente a 70,2mg de kava-lactonas por cápsula.

Apresentação

Cápsula gelatinosa dura: embalagem com 2 blisters, contendo 10 cápsulas, cada.
USO ADULTO

Indicações

Estados de ansiedade, tensão e agitação.

Dosagem

Uso por via oral1 cápsula, 3 vezes ao dia ou a critério médico.

Contra-indicações

Ansiopax® não deve ser administrado durante a gravidez ou a mulheres que estejam amamentando, a portadores de depressão endógena ou a pacientes com hipersensibilidade conhecida ao extrato de Kava-kava.

Reações Adversas

REAÇÕES ADVERSAS/COLATERAIS E ALTERAÇÕES DE EXAMES LABORATORIAIS.Queixas gastrointestinais leves e reações alérgicas cutâneas têm sido raramente observadas após a administração de Ansiopax®. Hepatite tóxica com uso de doses excessivas e por tempo prolongado têm sido relatados. Pode ocorrer elevação das enzimas hepáticas aspartato e alanino aminotransferases, g-glutamiltransferase, dehidrogenase láctica, com aumento concomitante da bilirrubina conjugada. NOTA: depois do uso tradicional de bebidas de Kava-kava, por longos períodos, tem sido observada uma coloração amarelada transitória da pele e apêndices cutâneos. Se isto também ocorrer durante o uso de Ansiopax®, sua administração deve ser suspensa. Também foram relatados casos de dilatação das pupilas, perturbação da visão e da coordenação dos movimentos oculares após ingestão de bebidas de Kava-kava.

Precauções

Apesar dos estudos demonstrarem que Ansiopax® não influencia a capacidade de reação do paciente, entretanto, devido às variações individuais, podem ocorrer alterações na capacidade visual ou na habilidade de dirigir veículos ou de operar máquinas, principalmente, se houver ingestão concomitante de álcool ou substâncias que atuam sobre o sistema nervoso central. Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.Vinte e quatro horas prévias à cirurgia, sob anestesia geral, o Ansiopax® deve ser suspenso.O tratamento com Ansiopax® não deve exceder 3 meses, sem acompanhamento médico.

Interação com outros medicamentos

O efeito de substâncias ativas sobre o Sistema Nervoso Central como álcool, barbitúricos e drogas psicoativas (alprasolan), pode ser potencializado pela administração concomitante do Ansiopax®. Pacientes com Mal de Parkinson e em uso de levodopa podem ter sua sintomatologia exacerbada devido ao efeito miorrelaxante.

Superdose

Sintomas de intoxicação, após o uso de altas doses de infusão (chá) de Kava-kava por tempo prolongado, foram descritos na literatura: ataxia, dificuldade de acomodação visual, dilatação das pupilas, distúrbios no balanço oculomotor, alterações ictiosiformes da pele, coloração amarelada da pele e apêndices cutâneos, redução do peso corporal, perda de apetite e diarréia. Caso estes sintomas ocorram após a administração de Ansiopax®, o seu uso deverá ser interrompido. Na eventualidade da ingestão acidental de doses muito acima das preconizadas, comunique imediatamente o médico para que sejam adotadas as medidas habituais de controle das funções vitais.

Informação técnica

Este medicamento é um fitoterápico que contém um extrato padronizado do rizoma de Kava-kava (Piper methysticum), planta nativa da região das ilhas do Pacífico Sul. Mecanismo de ação: Sua ação é exercida sobre o núcleo amigdaliano diminuindo a atividade do sistema límbico, o que determina uma ação ansiolítica. Além disso, este medicamento exerce efeitos presumíveis sobre a formação reticular. Por diminuição da ansiedade, da tensão e da agitação, ocorre um aumento da tolerância ao estresse mental, o que leva a uma maior estabilidade emocional. Estudos em animais de laboratório demonstraram o efeito sedativo, anticonvulsivante, espasmolítico e relaxante muscular central. Estudos farmacológicos no homem mostraram um aumento da atividade beta e simultânea diminuição da atividade alfa no EEG quantitativo. O aumento do índice beta/alfa é típico do perfil eletroencefalográfico farmacológico dos ansiolíticos. Por outro lado, a ausência de um acréscimo das atividades delta e teta demonstraram que o extrato de Kava-kava contido neste medicamento é desprovido de propriedades hipnóticas. O perfil de ação neurofisiológico deste medicamento é diferente daquele dos benzodiazepínicos e não é diretamente comparável aos timolépticos tricíclicos. Estudos clínicos, com foco na influência deste medicamento sobre a qualidade do sono, demonstraram que a quantidade de fusos de sono e a porcentagem de sono profundo aumentaram, o sono REM não sofreu alterações. O estágio I do sono e a latência do sono tenderam a diminuir e o tempo do sono subjetivo aumentou. Conforme comprovado clinicamente, a sua influência na qualidade do sono não é acompanhada de uma restrição na capacidade de reação. A falta de um componente sedante, a diminuição da excitabilidade central e da atividade límbica, relaxamento muscular, bem como o aumento no tempo do sono profundo, caracterizam o extrato de Kava-kava como uma substância com propriedades farmacológicas únicas. Farmacocinética: O pico do nível plasmático ocorre 1.8 horas após a dose por via oral. A vida-média das kavalactonas é de 9 horas. Sua eliminação se dá através da urina e fezes.

Farmacocinética

Este medicamento é um fitoterápico que contém um extrato padronizado do rizoma de Kava-kava (Piper methysticum), planta nativa da região das ilhas do Pacífico Sul. Mecanismo de ação: Sua ação é exercida sobre o núcleo amigdaliano diminuindo a atividade do sistema límbico, o que determina uma ação ansiolítica. Além disso, este medicamento exerce efeitos presumíveis sobre a formação reticular. Por diminuição da ansiedade, da tensão e da agitação, ocorre um aumento da tolerância ao estresse mental, o que leva a uma maior estabilidade emocional. Estudos em animais de laboratório demonstraram o efeito sedativo, anticonvulsivante, espasmolítico e relaxante muscular central. Estudos farmacológicos no homem mostraram um aumento da atividade beta e simultânea diminuição da atividade alfa no EEG quantitativo. O aumento do índice beta/alfa é típico do perfil eletroencefalográfico farmacológico dos ansiolíticos. Por outro lado, a ausência de um acréscimo das atividades delta e teta demonstraram que o extrato de Kava-kava contido neste medicamento é desprovido de propriedades hipnóticas. O perfil de ação neurofisiológico deste medicamento é diferente daquele dos benzodiazepínicos e não é diretamente comparável aos timolépticos tricíclicos. Estudos clínicos, com foco na influência deste medicamento sobre a qualidade do sono, demonstraram que a quantidade de fusos de sono e a porcentagem de sono profundo aumentaram, o sono REM não sofreu alterações. O estágio I do sono e a latência do sono tenderam a diminuir e o tempo do sono subjetivo aumentou. Conforme comprovado clinicamente, a sua influência na qualidade do sono não é acompanhada de uma restrição na capacidade de reação. A falta de um componente sedante, a diminuição da excitabilidade central e da atividade límbica, relaxamento muscular, bem como o aumento no tempo do sono profundo, caracterizam o extrato de Kava-kava como uma substância com propriedades farmacológicas únicas. Farmacocinética: O pico do nível plasmático ocorre 1.8 horas após a dose por via oral. A vida-média das kavalactonas é de 9 horas. Sua eliminação se dá através da urina e fezes.

Dizeres legais

MS 1.1557.0042
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2020.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play