EBASTEL D

2449 | Laboratório EUROFARMA

Descrição

Princípio ativo: Ebastina,Pseudoefedrina,
Ação Terapêutica: Antialérgicos, anti-histamínicos e cortic.

Composição

Cada cápsula contém: ebastina 10 mg, cloridrato de pseudoefedrina 120 mg. Excipientes q.s.p. 1 cápsula. Excipientes: sacarose, amido de milho, talco, metilhidroxipropilcelulose, celulose microcristalina, 8-polioxilestearato, oxiestearato de glicerina polietilenoglicol, copolímero do ácido metacrílico, copolímero metacrílico salificado, dibutilftalato, polietilenoglicol, emulsão de silicone, microgrânulos inertes de sacarose e amido de milho.

Apresentação

Cápsula gelatinosa contendo 10 mg de ebastina e 120 mg de cloridrato de pseudoefedrina.
Embalagem com 5 cápsulas gelatinosas.
USO PEDIÁTRICO (acima de 12 anos) E ADULTO

Indicações

Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) é indicado para o alívio dos sintomas associados à rinite, seja ela de etiologia alérgica ou infecciosa, incluindo congestão nasal, espirros, rinorréia, pruridos e lacrimejamento. Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) é recomendado quando se deseja obter as propriedades anti-histamínicas da ebastina e os efeitos descongestionantes do cloridrato de pseudoefedrina.

Dosagem

Adultos e crianças acima de 12 anos: 1 cápsula, uma vez ao dia, administrada preferencialmente durante o desjejum. Em casos graves pode-se administrar 1 cápsula a cada 12 horas.
A duração do tratamento deve-se limitar a fase sintomática, não se prolongando em geral mais de 10 dias na rinite alérgica e vasomotora ou 3 dias na rinite associada ao resfriado comum, salvo a critério médico.

Contra-indicações

Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) é contra-indicado para pacientes com hipersensibilidade conhecida à ebastina, pseudoefedrina e demais componentes do produto. Devido à presença de pseudoefedrina, Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) não deve ser administrado em pacientes com glaucoma de ângulo estreito, retenção urinária, hipertensão arterial severa, insuficiência coronária, hipertiroidismo, e sob tratamento simultâneo ou recente (nas últimas semanas) com inibidores da monoamino oxidase (IMAO), reserpina, metildopa, mecamilamina e alcalóides.
A segurança do uso de Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) durante a gravidez e amamentação não foi estabelecida, portanto este medicamento não deve ser utilizado nestes períodos.
Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) não deve ser administrado em pacientes menores de 12 anos de idade.

Reações Adversas

Devido aos seus princípios ativos, Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) pode provocar raramente cefaléia, astenia, nervosismo, alterações gastrointestinais, diarréia e constipação.
Devido à presença de pseudoefedrina, especialmente em pacientes com hipersensibilidade a medicamentos simpatomiméticos, pode ocorrer nervosismo, excitabilidade, insônia, enjôo, cefaléia e, em administrações prolongadas, náusea e vômito. Outros possíveis efeitos são: taquicardia e palpitações.

Precauções

Há relatos onde os resultados dos estudos clínicos realizados com ebastina não revelaram alterações do sistema nervoso central com relevância clínica.
Não existem antecedentes de alterações do sistema nervoso central com pseudoefedrina.
Uma cápsula de Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) contém 102,21 mg de sacarose, devendo-se portanto ter cautela quando da administração de Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) em pacientes diabéticos.
Os esportistas devem ser advertidos que Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) contém um componente que pode provocar resultado analítico positivo no teste anti-dopping.
A segurança do uso de Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) durante a gravidez e amamentação não foi estabelecida, portanto este medicamento não deve ser utilizado nestes períodos.
Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) não deve ser administrado em pacientes menores de 12 anos de idade.

Interação com outros medicamentos

Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) pode interferir nos resultados de testes alérgicos cutâneos, sendo desaconselhável realizá-los até 5-7 dias após a interrupção do tratamento.
Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) pode potencializar os efeitos de outros anti-histamínicos. Este medicamento não deve ser administrado simultaneamente com antidepressivos (do tipo IMAO), visto que pode provocar hipertensão arterial grave. O efeito hipotensor de outros fármacos como metildopa, mecamilamina, reserpina e alcalóides pode ser reduzido em caso de associação com Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina). A administração simultânea com medicamentos simpatomiméticos produz aumento dos seus efeitos, podendo elevar a toxicidade dos mesmos. Desta forma, Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) pode interagir com medicamento anti-hipertensivo (b-bloqueador adrenérgico), o que deve ser considerado no momento da prescrição médica.
Os componentes deste medicamento não potencializam os efeitos do álcool.

Superdose

Em caso de superdosagem com Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina), deve-se realizar lavagem gástrica e instituir tratamento sintomático e de manutenção das funções vitais com urgência.

Informação técnica

Características
Modo de ação
Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) contém a ebastina, a qual é um anti-histamínico que induz a um bloqueio potente, prolongado e seletivo dos receptores histamínicos H1 periféricos, sem apresentar efeitos centrais sedativos ou anticolinérgicos e cloridrato de pseudoefedrina que é um simpatomimético ativo por via oral, com efeito vasoconstritror e que, conseqüentemente, apresenta efeito descongestionante nasal. Em pacientes normotensos e nas doses recomendadas, o efeito sobre a pressão arterial é pequeno ou inexistente.

Farmacocinética

Características
Modo de ação
Ebastel® D (ebastina/cloridrato de pseudoefedrina) contém a ebastina, a qual é um anti-histamínico que induz a um bloqueio potente, prolongado e seletivo dos receptores histamínicos H1 periféricos, sem apresentar efeitos centrais sedativos ou anticolinérgicos e cloridrato de pseudoefedrina que é um simpatomimético ativo por via oral, com efeito vasoconstritror e que, conseqüentemente, apresenta efeito descongestionante nasal. Em pacientes normotensos e nas doses recomendadas, o efeito sobre a pressão arterial é pequeno ou inexistente.

Dizeres legais

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
MS 1.0043.0759

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play