VASATIV

2598 | Laboratório EUROFARMA

Descrição

Princípio ativo: Cilostazol,
Ação Terapêutica: Antiagregantes plaquetários

Composição

Cada comprimido contém: cilostazol 50 mg, excipientes q.s.p. 1 comprimido. Excipientes: carmelose cálcica, sicovit laca indigotina, dióxido de silício coloidal, estearato de magnésio, celulose microcristalina. Cilostazol 100 mg, excipientes q.s.p. 1 comprimido. Excipientes: carmelose cálcica, sicovit laca indigotina, dióxido de silício coloidal, estearato de magnésio, celulose microcristalina.

Apresentação

Comprimidos de 50 mg e 100 mg.
Embalagens contendo 15, 30 ou 60 comprimidos.
USO ADULTO.
Uso Oral.

Indicações

Vasativ (cilostazol) é indicado para doença vascular periférica, para redução do sintoma da claudicação intermitente e na prevenção da recorrência de acidente vascular cerebral.

Dosagem

A dosagem recomendada é de 50 ou 100 mg duas vezes ao dia, conforme orientação médica.
O comprimido deve ser ingerido com um copo de água em jejum e no mínimo meia hora antes ou duas horas depois do café da manhã e do jantar.
Os dados disponíveis não mostraram reações indesejadas pela interrupção do tratamento ou com a redução da dosagem.

Contra-indicações

Vasativ (cilostazol) é contraindicado para portadores de insuficiência cardíaca congestiva, pacientes com hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula, pacientes com quadro hemorrágico e para pacientes grávidas ou que estejam amamentando.

Reações Adversas

As reações adversas mais comuns foram: cefaléia, 27 e 34 % para 50 e 100 mg, respectivamente e 14% para placebo; diarréia e fezes anormais, 12 e 15% para 50 e 100 mg, respectivamente e 4% para placebo; dor abdominal, 4 e 5% para 50 e 100 mg respectivamente e 3% para placebo; palpitações, 5 e 10% para 50 e 100 mg respectivamente e 1% para placebo; tontura, 9 e 10% para 50 e 100 mg respectivamente e 6% para placebo.

Interação com outros medicamentos

Vasativ (cilostazol) é extensivamente metabolizado pelo citocromo P450, deve-se ter cautela ao co-administrar outros inibidores como cetoconazol, eritromicina ou omeprazol. O diltiazem aumenta a concentração plasmática do cilostazol e metabólitos. Entretanto, o cilostazol parece não causar aumento dos níveis plasmáticos de drogas metabolizadas pelo CYP3A4.
Com anticoagulantes, antiagregantes plaquetários, agentes trombolíticos e prostaglandina E1 pode ocorrer aumento de tendência a hemorragias.

Superdose

Os dados sobre superdosagem de cilostazol em humanos são limitados. Caso ocorra superdosagem, o paciente deverá ser cuidadosamente observado e, se necessário, receber tratamento de suporte. A LD 50 oral em cães é 2,0g / kg e em ratos é 5,0 g/kg.
Devido à alta taxa de ligação às proteínas é improvável que o cilostazol possa ser eficazmente removido por hemodiálise ou por diálise peritoneal.

Informação técnica

Características farmacológicas
O cilostazol é um derivado da quinidona, inibidor da fosfodiesterase tipo III.
O seu mecanismo de ação é a inibição da ação da fosfodiesterase III e supressão da degradação do AMP cíclico, com o consequente aumento de sua concentração nas plaquetas e vasos sanguíneos, produzindo inibição da agregação plaquetária e vasodilatação.
Efeitos cardiovasculares
O cilostazol produz dilatação dos leitos vasculares de forma não homogênea, com maior dilatação na artéria femoral que na vertebral e na carótida ou mesentérica superior. As artérias renais não são sensíveis aos efeitos do cilostazol.
O cilostazol é bem absorvido após administração oral.
A presença de alimentos gordurosos aumenta a sua absorção.
O cilostazol é extensivamente metabolizado no fígado pelas enzimas do citocromo P450.
Existem 2 metabólitos ativos, cujos perfis farmacocinéticos são proporcionais à dose. O cilostazol e seus metabólitos ativos têm meia-vida de aproximadamente 11 a 13 horas, sendo que a excreção dos metabólitos ocorre principalmente por via renal.
O cilostazol apresenta-se ligado às proteínas plasmáticas a uma taxa de aproximadamente 95%.
Eficácia clínica
Estudos duplo-cego (placebo controlados) demonstraram que cilostazol aumenta a distância caminhada sem dor em pacientes com claudicação intermitente estável em cerca de 3 a 4 semanas.

Farmacocinética

Características farmacológicas
O cilostazol é um derivado da quinidona, inibidor da fosfodiesterase tipo III.
O seu mecanismo de ação é a inibição da ação da fosfodiesterase III e supressão da degradação do AMP cíclico, com o consequente aumento de sua concentração nas plaquetas e vasos sanguíneos, produzindo inibição da agregação plaquetária e vasodilatação.
Efeitos cardiovasculares
O cilostazol produz dilatação dos leitos vasculares de forma não homogênea, com maior dilatação na artéria femoral que na vertebral e na carótida ou mesentérica superior. As artérias renais não são sensíveis aos efeitos do cilostazol.
O cilostazol é bem absorvido após administração oral.
A presença de alimentos gordurosos aumenta a sua absorção.
O cilostazol é extensivamente metabolizado no fígado pelas enzimas do citocromo P450.
Existem 2 metabólitos ativos, cujos perfis farmacocinéticos são proporcionais à dose. O cilostazol e seus metabólitos ativos têm meia-vida de aproximadamente 11 a 13 horas, sendo que a excreção dos metabólitos ocorre principalmente por via renal.
O cilostazol apresenta-se ligado às proteínas plasmáticas a uma taxa de aproximadamente 95%.
Eficácia clínica
Estudos duplo-cego (placebo controlados) demonstraram que cilostazol aumenta a distância caminhada sem dor em pacientes com claudicação intermitente estável em cerca de 3 a 4 semanas.

Dizeres legais

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
MS - 1.0043.0989

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2020.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play