Daunorrubicina

 

Terapias de Ação

Antineoplásico.
Publicidade

Propriedades

É uma antraciclina obtida de uma cepa do fungo Streptomyces coeruleorubidus. Esse antibiótico possui atividade inibidora da síntese de ácidos nucleicos, em especial sobre o DNA, o qual provoca inibição da mitose e citotoxicidade. O mecanismo de ação preciso é desconhecido. Após a sua administração por via IV sua concentração cai rapidamente, o que indica uma rápida distribuição nos tecidos, com uma meia-vida plasmática de 18,5 horas. Uma hora depois da administração aparece o daunorrubicinil, um metabólito ativo com uma meia-vida de 26,7 horas. Da dose administrada, 25% eliminam-se na urina em sua forma ativa, enquanto 40% são eliminados pela bile. A daunorrubicina não atravessa a barreira hematoencefálica. No tratamento da leucemia não-linfocítica aguda (LNA), o fármaco produziu remissões completas em 40% a 50% dos pacientes tratados, mas associado à citarabina a remissão elevou-se a 50-65%. Na leucemia linfocítica aguda (LLA) a daunorrubicina, em combinação com vincristina e prednisona, produz remissão completa em 83% dos casos, contra 47% dos pacientes que não a recebem.

Indicações

Indução da remissão da LNA (mielógena, monocítica, eritroide) em adultos. Indução da remissão da LLA em crianças e adultos. Sarcoma de Kaposi relacionado a AIDS.

Dosagem

1) Em combinação com outros fármacos antineoplásicos para a indução da remissão da LNA em adultos. Menores de 60 anos: 45 mg/m2/dia durante três dias consecutivos no tratamento inicial, e depois durante dois dias nos tratamentos sucessivos. Com mais de 60 anos: 80 mg/m2/dia durante três dias consecutivos no tratamento inicial, e depois durante dois dias nos tratamentos sucessivos. A normalização da medula óssea pode demandar 3 ciclos de tratamento. 2) Em combinação com outros fármacos antineoplásicos para a indução da remissão da LLA em crianças: 25 mg/m2 IV, 1 dia por semana. Geralmente, a remissão obtém-se após 4 ciclos de tratamento; mesmo assim, podem ser administrados 2 ciclos adicionais se a remissão não for obtida. 3) Em combinação com outros fármacos antineoplásicos para a indução da remissão da LLA em adultos: 45 mg/m2/dia nos dias, 1, 2, e 3 do tratamento.

Reações Adversas

Mielossupressão, alopecia reversível, náuseas, vômitos, mucosite, diarreias, reação anafilactoide, calafrio, febre e, se ocorrer extravasação no local da injeção, pode ocorrer necrose tissular.

Precauções e Advertências

É um potente mielodepressor. Cardiotoxicidade: insuficiência cardíaca congestiva, contractilidade reduzida, morte; deve ser realizado um monitoramento da função cardíaca nos pacientes que recebem daunorrubicina. A insuficiência hepática ou renal pode exacerbar sua toxicidade. Recomenda-se não utilizar em mulheres grávidas a não ser que o benefício para a mãe supere o risco potencial para o feto. A lactação deve ser suspensa.
Publicidade

Interações de Daunorrubicina

Informação não disponível

iVademecum © 2016 - 2023.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play