Midazolam

 

Terapias de Ação

Hipnótico, ansiolítico, anticonvulsivante, miorrelaxante.
Publicidade

Propriedades

Derivado de 1,4 benzodiazepina, de ação relativamente curta, depressora do SNC. Seus efeitos dependem da dose administrada, da via de administração e da união simultânea com outros fármacos. Sua união é mediada pelo neurotransmissor inibitório ácido gama-aminobutírico (GABA), com aumento de sua atividade. O efeito hipnótico do midazolam parece estar relacionado com o acúmulo do GABA e a ocupação do receptor das benzodiazepinas. O midazolam tem uma afinidade relativamente alta (duas vezes a do diazepam) pelo receptor de benzodiazepinas. Acredita-se que há receptores diferentes para as benzodiazepinas e para o GABA, acoplados a um canal ionóforo comum; a ocupação de ambos os receptores produz hiperpolarização da membrana e inibição neuronial. O midazolam interfere na recaptação do GABA, razão pela qual que produz acúmulo deste. A biodisponibilidade absoluta média após a administração IM é maior que 90%. Distribui-se no organismo, incluindo o LCR e o cérebro. Sua união à proteínas é muito elevada (97%). Metaboliza-se com rapidez a 1-hidroximetil midazolam e 4´,-hidroximidazolam, metabólitos que podem ter certa atividade farmacológica. A curta duração de ação deve-se a seu rápido metabolismo e velocidade de eliminação. Excreta-se por via renal.

Indicações

Sedação pré-cirúrgica ou prévia a procedimentos diagnósticos curtos (broncoscopia, gastroscopia, citoscopia, cateterismo cardíaco); coadjuvante da anestesia geral.

Dosagem

Adultos, sedação pré-operatória e amnésia: IM 70 a 80 mg/kg, 30 a 60 minutos antes da cirurgia; sedação consciente: 2 a 2,5 mg administrados de forma lenta, em um período de 2 a 3 minutos, imediatamente antes do estudo; pacientes de idade avançada sem pré-medicação, doentes crônicos ou debilitados: IV 1 a 1,5 mg; coadjuvante da anestesia - pacientes menores de 60 anos e sem pré-medicação: IV 200 a 400 mg/kg, durante 5 a 30 segundos, e deixar passar 2 minutos para que haja efeito; pacientes com pré-medicação: IV 150 a 250 mg/kg, durante 20 a 30 segundos. Reduzir a dose em pacientes maiores de 60 anos.

Reações Adversas

As reações mais frequentes incluem uma diminuição do volume corrente ou da frequência respiratória e apneia. Adicionalmente, podem produzir-se variações da pressão arterial e bradicardia. Podem ocorrer alterações psicomotoras após a sedação ou anestesia com midazolam, as quais podem persistir durante períodos variáveis. Requerem atenção médica: tremor muscular, movimentos descontrolados do corpo, excitação, irritabilidade, hipotensão, sonolência prolongada, vômitos, alucinações, confusão.

Precauções e Advertências

Não é recomendado para induzir anestesia prévia a uma cesárea, porque pode produzir efeitos colaterais depressores sobre o SNC do neonato. Em pacientes geriátricos não pré-medicados, a dose IV deve ser reduzida de 25% a 30%. Ter precaução ao conduzir ou realizar tarefas que requeiram coordenação e atenção. Evitar a ingestão de álcool e o uso de outros depressores do SNC no prazo de 24 horas após receber o midazolam.

Interações

Os anestésicos de ação local por via parenteral podem originar efeitos depressores aditivos. O uso simultâneo de medicamentos que produzem depressão do SNC pode aumentar a depressão respiratória e os efeitos hipotensores destes e do midazolam. Os inibidores da MAO, dissulfiram e isoniazida, podem diminuir o metabolismo e a eliminação do midazolam no fígado. Os efeitos hipotensores dos fármacos que provocam hipotensão são potencializados.

Contra-indicações

A relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de intoxicação etílica aguda, coma, choque, glaucoma de ângulo fechado e agudo; insuficiência cardíaca congestiva, insuficiência renal crônica, disfunção hepática, miastenia grave e na gravidez.
Publicidade

Interações de Midazolam

Informação não disponível

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play