ALOIS

4329 | Laboratório APSEN

Descrição

Princípio ativo: Memantina,
Ação Terapêutica: Antiparkinsonianos

Composição

Cloridrato de memantina

Apresentação

Uso oral
Comprimidos revestidos de 10 mg. Caixas com 30 e 60 comprimidos.
USO ADULTO

Indicações

ALOIS é indicado na Doença de Alzheimer moderadamente grave a grave e em outras demências caracterizadas por distúrbios da função cerebral, com os seguintes sintomas principais: distúrbios da concentração e memória, perda de interesse e distúrbios das funções motoras necessárias para efetuar atividades diárias e humor deprimido (síndrome demencial), condições que requerem aumento do cuidado e da vigilância. É indicado também no tratamento da espasticidade cerebral e espinhal, como por exemplo, resultante de disfunção cerebral em crianças, traumatismos cranianos, esclerose múltipla, paraplegia, acidentes vasculares encefálicos, Doença de Parkinson e síndromes parkinsonianas.

Dosagem

A dose recomendada de ALOIS (cloridrato de memantina) para pacientes idosos e adultos é 20 mg (2 x 1 comprimido) diariamente. Para reduzir o risco de efeitos colaterais esta dose é gradualmente alcançada pelo seguinte esquema de tratamento diário:

A dose inicial usual, na primeira semana é de meio comprimido uma vez ao dia (1 x 5 mg). Na segunda semana, a dose é aumentada para meio comprimido duas vezes ao dia (2 x 5 mg) e para 1 comprimido (1 x 10 mg) e meio comprimido (1 x 5 mg) diariamente,
administrados separadamente, na terceira semana. A partir da quarta semana, a dose usual é de um comprimido duas vezes ao dia (2 x 10 mg).
Os comprimidos devem ser ingeridos com um pouco de água, junto das refeições ou lanches.
Em pacientes com disfunção renal, a dose deve ser ajustada, baseada na eficácia clínica terapêutica bem como na função renal do paciente, sendo que a mesma deve ser monitorada freqüentemente.

Contra-indicações

ALOIS (cloridrato de memantina) é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade à memantina, à amantadina ou aos componentes da formulação do produto.

Reações Adversas

Nos testes clínicos sobre demências moderadamente graves a graves, a incidência geral de efeitos adversos não foi diferente das do tratamento com o placebo, e os efeitos adversos foram geralmente de gravidade leve ou moderada.
A seguinte tabela fornece uma análise geral dos eventos adversos mais freqüentes, independentes da relação causal ( >4% para a memantina), que foram observados em pacientes com demência moderadamente grave a grave.

Os efeitos colaterais são leves a moderados. As reações adversas mais comuns são alucinações, confusão, tontura, cefaléia e cansaço. As reações adversas menos freqüentes são ansiedade, hipertonia (aumento do tônus muscular), vômito, cistite e aumento da libido.
Em pacientes que já apresentaram ataque epilético, existe a possibilidade da memantina aumentar a chance de um novo ataque.

Precauções

Durante o tratamento o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas. Deve-se ter precaução nos pacientes em estados graves de confusão mental e em pacientes em tratamento com outros medicamentos que atuam no Sistema Nervoso Central. A memantina deve ser utilizada com cuidado em pacientes com disfunção renal e hepática e epilepsia.
Gravidez
Não há estudos adequados e bem controlados sobre a segurança do uso de memantina em mulheres grávidas. Os estudos em animais não demonstraram efeitos lesivos em relação à embriotoxicidade e teratogenicidade.
Lactação
É provável que a memantina seja excretada no leite materno, com isso, cuidados especiais devem ser tomados quando o produto for prescrito a mulheres que estejam amamentando.

Interação com outros medicamentos

O efeito dos seguintes medicamentos pode ser alterado pela memantina e suas doses devem ser ajustadas pelo médico:
- amantadina, cetamina, dextrometorfano;
- dantroleno, baclofeno;
- cimetidina, ranitidina, procainamida, quinidina, quinina, nicotina;
- hidroclortiazida;
- agonista dopaminérgico, como a L-dopa, bromocriptina.
- anticolinérgicos, anticonvulsivantes, barbituratos e neurolépticos e inibidores da MAO. O uso de bebidas alcoólicas pode interferir na ação do ALOIS (cloridrato de memantina) podendo causar efeitos desagradáveis.

Dizeres legais

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA.
Reg. MS n° 1.0118.0592

Medicamentos relacionados com ALOIS

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

Outros medicamentos APSEN

iVademecum © 2016 - 2021.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play