CLOSTEMIN

1401 | Laboratório UCI-FARMA

Descrição

Princípio ativo: Neomicina,
Ação Terapêutica: Antissépticos, desinfetantes e cicatrizantes

Composição

Acetato de clostebol, 5 mg Sulfato de neomicina, 5 mg, Excipientes* q.s.p, 1 g *(álcool cetoestearílico, lanolina, hidroxietilcelulose, propilenoglicol, polissorbato, edetato dissódico, metilparabeno, propilparabeno, essência de rosas, água purificada).

Apresentação

CLOSTEMIN® CREME DERMATOLÓGICO: caixa contendo bisnaga com 30 g. CLOSTEMIN® CREME VAGINAL: caixa contendo bisnaga com 40 g de creme e aplicador.
USO ADULTO

Indicações

CLOSTEMIN® CREME DERMATOLÓGICO é indicado para o tratamento da cicatrização de lesões ulcerativas cutâneas (úlceras varicosas, escaras de descúbito, úlceras traumáticas), intertrigo, fissura de mamilo, fissura anal, lesões por queimadura, radiodermatites e lesões cutâneo-mucosas infeccionadas. Em mastectomias com dificuldade para cicatrização.
CLOSTEMIN® CREME VAGINAL é indicado para o tratamento de cervicites erosivas, após o processo de cauterização do colo do útero. Nas vaginites e cervicites pós-operatórias, pós-parto e pós aplicação de radioterapia. Na vaginite ulcerativa, colpoperineorrafias, episiorrafias.

Dosagem

CLOSTEMIN® CREME DERMATOLÓGICO: aplicar sobre a região cutânea afetada, 2 vezes ao dia (de manhã e a noite), até o desaparecimento dos sintomas.
CLOSTEMIN® CREME VAGINAL: uma aplicação (5 gramas de creme) por via intravaginal, à noite, após deitar, durante 8 dias consecutivos. Nos casos com sintomatologia intensa, CLOSTEMIN® CREME VAGINAL pode ser aplicado duas vezes ao dia.
INSTRUÇÕES DE USO
CLOSTEMIN® CREME DERMATOLÓGICO:
O local de aplicação deve estar limpo e seco.
A aplicação de CLOSTEMIN® deve ser feita com quantidade suficiente do medicamento para ser distribuída pela superfície afetada com movimentos suaves e circulares.
Lavar as mãos após a aplicação de CLOSTEMIN®
A bisnaga de CLOSTEMIN® deve ser fechada imediatamente após o uso do medicamento.
CLOSTEMIN® CREME VAGINAL:
1. Remova o lacre da bisnaga com o lado externo da tampa.
2. Retire o aplicador do plástico protetor.
3. Adapte ao bico da bisnaga a extremidade aberta do aplicador, rosqueando.
4. Pressione a base da bisnaga para a entrada do creme no aplicador até o preenchimento completo.
5. Feche a bisnaga com a tampa.
6. Deitada e com as pernas flexionadas, introduza o aplicador profundamente na cavidade vaginal e pressione a parte móvel do aplicador até o final para saída do creme.
7. Retire lentamente o aplicador da cavidade vaginal e envolva-o em papel absorvente. Recomenda-se não levantar após a aplicação do creme.
Lavagem do aplicador:
O aplicador deve ser lavado com água morna e sabão líquido ou detergente.
Secar em papel absorvente.

Contra-indicações

Em casos de hipersensibilidade ao acetato de clostebol ou ao sulfato de neomicina. Em casos de infecções mamárias no período de aleitamento.

Reações Adversas

CLOSTEMIN® é um medicamento bem tolerado, apresentando baixa incidência de efeitos colaterais. Ocasionalmente, podem ocorrer prurido, ardência e sensação de queimação local. Esses efeitos caracterizam-se como hipersensibilidade aos compostos da formulação. Se esses efeitos forem intensos, o medicamento deve ser suspenso e o médico consultado.

Precauções

Caso ocorram reações de hipersensibilidade como irritação local, prurido, sensação de queimação, o medicamento deve ser suspenso e o médico consultado.
Durante o tratamento com CLOSTEMIN® CREME VAGINAL, recomenda-se não manter relação sexual ou, caso ocorra, usar preservativo como camisinha.
Insuficiência renal ou hepática: devido à baixa absorção tópica, o medicamento pode ser utilizado em pacientes com disfunção renal ou hepática, conforme a posologia recomendada.
Gravidez e lactação: devido à baixa absorção, o medicamento pode ser utilizado durante a gravidez ou amamentação sob estrito acompanhamento médico, quando os benefícios para a mãe justificarem o potencial de risco para o feto.
Idosos: CLOSTEMIN® deve ser utilizado de acordo com a posologia recomendada. Não é necessário o ajuste de dose para este grupo de pacientes.
Pediatria: não está estabelecida a segurança e a eficácia do uso de CLOSTEMIN® em crianças.

Interação com outros medicamentos

Devido à baixa absorção tópica do medicamento, não são conhecidas interações entre os fármacos de CLOSTEMIN® e medicamentos administrados por via oral ou parenteral.

Superdose

Devido à baixa absorção do medicamento por via tópica, mesmo após a aplicação de grande quantidade de creme, as concentrações séricas não serão significativas para ocasionar uma superdosagem.
Em caso de ingestão do creme, podem ocorrer sintomas como náuseas, vômitos, cólicas gastrintestinais, diarréia.
O tratamento consiste na realização de medidas usuais de esvaziamento gástrico e de controle dos sintomas.

Informação técnica

CLOSTEMIN® associa o acetato de clostebol, um anabolizante, e o sulfato de neomicina, antibiótico de amplo espectro, resultanto em efeito trófico-cicatrizante, o que proporciona uma diminuição do período de cura de lesões ulcerativas e distróficas cutâneo-mucosas. O sulfato de neomicina possui ação antibacteriana, sendo utilizado para inibir infecções secundárias.
CLOSTEMIN® penetra e difunde-se rapidamente na epiderme e mucosas. Apresenta ação emoliente, o que facilita a remoção de crostas.

Farmacocinética

CLOSTEMIN® associa o acetato de clostebol, um anabolizante, e o sulfato de neomicina, antibiótico de amplo espectro, resultanto em efeito trófico-cicatrizante, o que proporciona uma diminuição do período de cura de lesões ulcerativas e distróficas cutâneo-mucosas. O sulfato de neomicina possui ação antibacteriana, sendo utilizado para inibir infecções secundárias.
CLOSTEMIN® penetra e difunde-se rapidamente na epiderme e mucosas. Apresenta ação emoliente, o que facilita a remoção de crostas.

Dizeres legais

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Registro MS n° 1.0550.0163

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2020.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play