MUCOCETIL

1211 | Laboratório UCI-FARMA

Descrição

Princípio ativo: Acetilcisteína,
Ação Terapêutica: Expectorantes

Composição


Apresentação

MUCOCETIL® XAROPE: caixa contendo frasco com 100 ou 150 mL.
MUCOCETIL® GRANULADO 100 mg: caixa contendo 16 envelopes.
MUCOCETIL® GRANULADO 200 mg: caixa contendo 16 envelopes.
MUCOCETIL® GRANULADO 600 mg: caixa contendo 16 envelopes.
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Indicações

MUCOCETIL® é indicado como mucolítico no tratamento das afecções broncopulmonares agudas e crônicas, associadas a secreção mucosa anormal e transtornos do transporte mucoso.
MUCOCETIL® é indicado no tratamento da doença broncopulmonar crônica (enfisema crônico, enfisema com bronquite, bronquite asmática crônica, bronquiectasia, tuberculose, amiloidose primária pulmonar).
MUCOCETIL® é indicado no tratamento da doença broncopulmonar aguda (bronquite, pneumonia, traqueobronquite).
Nas complicações pulmonares associadas a cirurgia (traqueostomia) ou causadas por fibrobrose cística e atelectasia por obstrução.
No tratamento de complicações resultantes do resfriado comum ou da gripe, como rinofaringites, sinusites, otites catarrais.

Dosagem



INSTRUÇÕES DE USO
MUCOCETIL® pode ser misturado com água, leite, suco de frutas ou administrado durante as refeições.
Para a utilização posológica correta, as doses de MUCOCETIL® devem ser administradas utilizando-se o copo-medida contido na embalagem no produto. O copo-medida possui indicações visuais de doses, as quais devem ser seguidas de acordo com a prescrição médica.
MUCOCETIL® GRANULADO deve ser adicionado a 100 ml de água (meio copo) e misturado.
Se preferir, pode-se utilizar quantidade maior de água para a administração.
MUCOCETIL® apresenta odor forte, sendo característico do medicamento.
MUCOCETIL® XAROPE pode apresentar suave alteração de coloração. Esta característica não afeta a qualidade do medicamento, devendo ser utilizado normalmente.



Contra-indicações

Em casos de hipersensibilidade à acetilcisteína ou a qualquer componente da fórmula.

Reações Adversas

MUCOCETIL® é um fármaco bem tolerado, apresentando baixa incidência de efeitos colaterais.
Geralmente, os efeitos adversos são leves e transitórios.
Ocasionalmente, podem ocorrer náuseas, vômitos, cefaléia.
Foram relatados raros casos de reações alérgicas com erupções cutâneas.

Precauções

MUCOCETIL® deve ser administrado com precaução a pacientes com insuficiência respiratória grave ou com condições que predispõem a hemorragias gastrintestinais, como úlcera péptica.
MUCOCETIL® XAROPE e GRANULADO 600 mg não contêm açúcar, portanto podem ser utilizados por pacientes diabéticos.
A administração de MUCOCETIL® GRANULADO 100 mg e 200 mg a pacientes diabéticos deve ser cautelosa devido à presença de açúcar no medicamento (cerca de 4,8 g de açúcar por envelope).
Gravidez e lactação: não foram relatadas evidências de efeitos teratogênicos com o uso da acetilcisteína em estudos realizados com animais. O medicamento poderá ser administrado durante a gestação, sob estrito acompanhamento médico, quando os benefícios para a mãe justificarem o potencial de risco para o feto.
Não há relatos sobre a eliminação da acetilcisteína no leite materno. A administração deve ser cautelosa e sob orientação médica se o fármaco for utilizado durante a lactação.
Idosos: não é necessário o ajuste da dose em pacientes idosos.
Insuficiência hepática e/ou renal: não é necessário o ajuste da dose em pacientes com insuficiência hepática e/ou renal leve a moderada.

Interação com outros medicamentos

Antibióticos: a administração concomitante com a acetilcisteína eleva a concentração antibiótica no tecido pulmonar.
Antiinflamatórios esteroidais (corticosteróides), broncodilatadores: não foram descritas interações medicamentosas com a utilização conjunta da acetilcisteína.

Superdose

Em caso de ingestão acidental de altas doses de acetilcisteína podem ocorrer sintomas como náuseas, vômitos, diarréia, tontura, sonolência.
O tratamento da intoxicação aguda consiste na realização de medidas usuais de esvaziamento gástrico, administração de carvão ativado, controle dos sintomas e monitorização do sistema cardiovascular e respiratório.
Em caso de mobilização intensa de muco e dificuldade de expectoração, deve-se recorrer à drenagem postural e/ou à broncoaspiração.

Informação técnica

MUCOCETIL® tem como princípio ativo a acetilcisteína, um derivado do aminoácido cisteína. A acetilcisteína apresenta ação mucolítica através da redução da viscosidade das secreções bronquiais, facilitando o transporte e a remoção do muco pela tosse, drenagem postural ou por meios mecânicos.
A viscosidade da secreção mucosa pulmonar depende da concentração de mucoproteínas e, em menor extensão, do ácido desoxirribonucleico.
A atividade mucolítica da acetilcisteína se faz por meio dos grupos sulfidrilas livres, os quais quebram as ligações dissulfetos da mucoproteínas, diminuindo a viscosidade do muco.
O conjunto destas propriedades confere ao MUCOCETIL® a capacidade de agir positivamente sobre os estímulos tussígenos do tipo irritativo, sem interferir na tosse produtiva.
A acetilcisteína também apresenta atividade antioxidante, protegendo as células pulmonares da ação de radicais livres oxidantes, produzidos no processo inflamatório.
A acetilcisteína é rapidamente absorvida pelo trato gastrintestinal. Após a administração oral de uma dose de 200 a 400 mg, a concentração plasmática máxima é atingida em 1 a 2 horas. Aproximadamente 50% da dose ligam-se a proteínas plasmáticas. O volume de distribuição é de 0,33 a 0,47 L/kg, detectando-se concentração significativa no tecido pulmonar, após cinco horas da administração. A meia-vida de eliminação plasmática é de, aproximadamente, 6 horas. Apresenta biotransformação hepática, ocorrendo a desacetilação com formação de cisteína ou oxidação à diacetilcisteína. É excretada por via renal e, principalmente, pelas fezes.

Farmacocinética

MUCOCETIL® tem como princípio ativo a acetilcisteína, um derivado do aminoácido cisteína. A acetilcisteína apresenta ação mucolítica através da redução da viscosidade das secreções bronquiais, facilitando o transporte e a remoção do muco pela tosse, drenagem postural ou por meios mecânicos.
A viscosidade da secreção mucosa pulmonar depende da concentração de mucoproteínas e, em menor extensão, do ácido desoxirribonucleico.
A atividade mucolítica da acetilcisteína se faz por meio dos grupos sulfidrilas livres, os quais quebram as ligações dissulfetos da mucoproteínas, diminuindo a viscosidade do muco.
O conjunto destas propriedades confere ao MUCOCETIL® a capacidade de agir positivamente sobre os estímulos tussígenos do tipo irritativo, sem interferir na tosse produtiva.
A acetilcisteína também apresenta atividade antioxidante, protegendo as células pulmonares da ação de radicais livres oxidantes, produzidos no processo inflamatório.
A acetilcisteína é rapidamente absorvida pelo trato gastrintestinal. Após a administração oral de uma dose de 200 a 400 mg, a concentração plasmática máxima é atingida em 1 a 2 horas. Aproximadamente 50% da dose ligam-se a proteínas plasmáticas. O volume de distribuição é de 0,33 a 0,47 L/kg, detectando-se concentração significativa no tecido pulmonar, após cinco horas da administração. A meia-vida de eliminação plasmática é de, aproximadamente, 6 horas. Apresenta biotransformação hepática, ocorrendo a desacetilação com formação de cisteína ou oxidação à diacetilcisteína. É excretada por via renal e, principalmente, pelas fezes.

Dizeres legais

Registro MS n°. 1.0550.0146

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play