LOPID

1947 | Laboratório PFIZER

Descrição

Princípio ativo: Genfibrozila,
Ação Terapêutica: Normolipemiantes e hipocolesterolemiantes

Composição

Cada comprimido revestido de Lopid® 600 mg ou 900 mg contém o equivalente a 600 mg ou 900 mg de genfibrozila, respectivamente. Excipientes: Lopid® 600 mg: dióxido de silício coloidal, amido pré-gelatinizado, polissorbato, hiprolose, estearato de cálcio, celulose microcristalina, hipromelose, macrogol, metilparabeno, propilparabeno, opaspray branco (álcool, dióxido de titânio e hiprolose), opacode azul (esmalte farmacêutico, dióxido de titânio, álcool n-butílico, propilenoglicol, FD&C azul n° 1 alumínio laca, laca farmacêutica em álcool n-butílico, hidróxido de amônio e álcool isopropílico), cera candelila e talco. Lopid® 900 mg: dióxido de silício coloidal, amido pré-gelatinizado-milho, polissorbato, estearato de magnésio, amidoglicolato de sódio e Opadry® branco (hipromelose, dióxido de titânio, talco e macrogol).

Apresentação

Lopid® comprimidos revestidos de 600 mg emembalagem contendo 24 comprimidos.
Lopid® comprimidos revestidos de 900 mg emembalagem contendo 12 comprimidos.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO: ORAL
USO ADULTO

Indicações

Lopid®(genfibrozila) comprimidos revestidos é um agente regulador de lípides que é indicado para os seguintes casos:
- Prevenção primária da doença arterial coronária e infarto do miocárdio em pacientes com dislipidemia mista e hipertrigliceridemia, classificação de Fredrickson tipos IIb e IV, respectivamente.
- Tratamento de outras dislipidemias, tais como: Fredrickson tipos III e V; dislipidemia associada a diabetes e dislipidemia associada a xantoma.
- Tratamento de pacientes adultos com níveis séricos elevados de triglicérides (hiperlipidemia tipos IV e V) que apresentam risco de pancreatite e que não respondam adequadamente a um determinado esforço dietético para controlá-los.

Dosagem

Lopid® deve ser ingerido com quantidade de líquido suficiente para deglutição, meia hora antes da refeição.
Os níveis lipídicos devem ser determinados mais que uma vez, a fim de verificar se estão realmente anormais. Antes de instituir o tratamento com Lopid®, devem ser feitas todas as tentativas para controlar os lípides séricos com dieta apropriada, exercício físico, diminuição do consumo de álcool e perda de peso em pacientes obesos, bem como controlar outros problemas médicos, tais como diabetes melito ou hipotireoidismo, que podem contribuir para os níveis lipídicos anormais. O paciente deve continuar com uma dieta baixa em colesterol durante o tratamento com Lopid®. Durante o tratamento, devem ser realizadas determinações periódicas dos lípides plasmáticos. Se a resposta lipídica do paciente mostrar-se inadequada após três meses, o tratamento deve ser interrompido ou deve-se instituir um tratamento coadjuvante.
Posologia
Cada comprimido revestido de Lopid® 600 mg ou 900 mg contém o equivalente a 600 mg ou 900 mg de genfibrozila, respectivamente.
A dose diária recomendada é de 900-1200 mg, não devendo ultrapassar a dose máxima de 1500 mg/dia (2,5 comprimidos de Lopid® 600 mg ou 1,5 comprimidos de Lopid® 900 mg). A dose de 900 mg deve ser administrada como dose única, meia hora antes do jantar. A dose de 1200 mg deve ser dividida em duas tomadas diárias, meia hora antes do desjejum e do jantar (vide item 3. Características Farmacológicas).
Uso em pacientes com disfunção renal, hepática, mulheres grávidas ou em período de amamentação: vide item 5. Advertências e Precauções.
Uso em pacientes idosos e crianças: vide item 5. Advertências e Precauções.
Dose Omitida
Caso o paciente esqueça de administrar Lopid® no horário estabelecido, deve fazê-lo assim que lembrar. Entretanto, se já estiver perto do horário de administrar a próxima dose, deve desconsiderar a dose esquecida e tomar a próxima. Neste caso, o paciente não deve tomar a dose duplicada para compensar doses esquecidas. O esquecimento de dose pode comprometer a eficácia do tratamento.
Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.

Contra-indicações

Lopid® é contraindicado a pacientes com disfunção hepática ou disfunção renal grave, problemas na vesícula biliar pré-existentes e no caso de hipersensibilidade à genfibrozila ou a qualquer componente da fórmula.
O uso concomitante de Lopid® com repaglinida também é contraindicado. Não deve ser feito uso concomitante de Lopid® com outros reguladores de lípides, como os inibidores da HMG-CoA redutase (como a sinvastatina, a lovastatina, a atorvastatina e a rosuvastatina).

Reações Adversas

Na fase duplo-cega controlada do estudo Helsinki Heart, 2046 pacientes receberam genfibrozila durante até 5 anos, apresentando as seguintes reações adversas estatisticamente mais frequentes ( >10%):

As reações adversas relatadas por mais de 1% dos pacientes ( >1% e < 10%), porém sem diferença significativa entre os dois grupos, foram:

Foram relatadas outras reações adversas que provavelmente podem ter relação causal com o tratamento com genfibrozila:
Reações Adversas Comuns ( >1% e < 10%)
Sistema Nervoso: cefaleia
Pele e Tecido Subcutâneo: erupção cutânea (rash)
Reações Adversas Raras ( >0,01 % e < 0,1%)
Hepatobiliar: icterícia colestática
Gastrintestinal: pancreatite
Sistema nervoso: tonturas, sonolência, parestesia, neurite periférica
Psiquiátrico: depressão, diminuição da libido
Olhos: visão turva
Reprodutor e mamário: Impotência
Músculo-esquelético e tecido conectivo: artralgia, sinovite, mialgia, miopatia, miastenia, extremidades dolorosas, rabdomiólise
Pele e Tecido subcutâneo: dermatite esfoliativa, dermatite, prurido, angioedema, urticária
Respiratório, Torácico e Mediastinal: edema de laringe
Sangue e Sistema Linfático: anemia grave, leucopenia, trombocitopenia, eosinofilia, hipoplasia da medula óssea (vide "Advertências - Hematopoiético")
Foram relatadas reações adversas adicionais que incluíram fotossensibilidade, alopecia, colecistite e colelitíase (vide item 5. Advertências e Precauções).
Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - NOTIVISA, disponível em http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Precauções

Devido aos efeitos tóxicos potenciais observados com o clofibrato (fármaco química e farmacologicamente relacionado à genfibrozila), tais como malignidade, doenças da vesícula biliar, dor abdominal levando à apendicectomia e outras cirurgias abdominais, incidência aumentada de mortalidade não-coronariana e o aumento relativo de 44% na mortalidade por todas as causas durante o período de ensaios clínicos, o benefício potencial de Lopid® (genfibrozila) no tratamento de pacientes com dislipidemia Fredrickson tipo IIa com elevações apenas de LDL-colesterol possivelmente não ultrapassa os riscos. Lopid® também não está indicado para o tratamento de pacientes com níveis baixos de HDL-colesterol quando essa for a única alteração em seu perfil lipídico.
Colelitíase: Lopid® pode aumentar a excreção do colesterol na bile, aumentando o potencial para formação de cálculos biliares. Se houver suspeita de colelitíase, a vesícula biliar deve ser examinada. O tratamento com Lopid®deve ser descontinuado se forem encontrados cálculos biliares. Casos de colelitíase foram relatados com o tratamento com Lopid®.
Inibidores da HMG-CoA redutase: foram relatados casos de miosite grave, com elevação acentuada dos níveis de creatina quinase e mioglobinúria (rabdomiólise) quando Lopid®e inibidores da HMG-CoA redutase, (como a sinvastatina, a lovastatina, a atorvastatina e a rosuvastatina), foram usados concomitantemente. O possível benefício do tratamento concomitante de inibidores da HMG-CoA redutase e Lopid®não supera os riscos de miopatia grave, rabdomiólise e insuficiência renal aguda na maioria dos indivíduos que têm apresentado resposta lipídica insatisfatória quando esses fármacos são usados isoladamente (vide item 6. Interações Medicamentosas).
Anticoagulantes: o uso concomitante com anticoagulantes deve ser feito com cautela. A dose do anticoagulante deve ser reduzida para manter os níveis desejados do tempo de protrombina. É recomendada a determinação frequente do tempo de protrombina até que o nível da protrombina esteja estabilizado.
Testes Laboratoriais: foram relatados raramente com a administração da genfibrozila valores elevados de testes da função hepática como transaminases hepáticas [AST (TGO) e ALT (TGP)], aumento da fosfatase alcalina, LDH (lactato desidrogenase), creatina quinase (CK) e bilirrubina. Estes aumentos são geralmente reversíveis quando o tratamento com genfibrozila é descontinuado. Portanto, são recomendados exames periódicos da função hepática e o tratamento com Lopid® deve ser descontinuado se as anormalidades persistirem.
Hematopoiético:ocasionalmente podem ser observadas pequenas diminuições nos níveis de hemoglobina, hematócrito e leucócitos no início do tratamento. Entretanto, estes níveis se estabilizam durante a administração prolongada. Foram relatadas raramente anemia grave, leucopenia, trombocitopenia, eosinofilia e hipoplasia da medula óssea. Portanto, é recomendada a determinação hematológica periódica durante os primeiros 12 meses de administração de Lopid®.
Uso durante a Gravidez e a Lactação: não há estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas. A administração de Lopid®em mulheres grávidas deve ser reservada às pacientes nas quais os benefícios superam claramente os riscos para a paciente ou para o feto.
A segurança em lactantes não está estabelecida. Não se sabe se a genfibrozila é excretada no leite materno. Uma vez que muitos fármacos são excretados no leite materno, a paciente deve descontinuar a amamentação antes de iniciar o tratamento com Lopid®.
A paciente deve ser instruída a informar se ela estiver grávida, amamentando ou com planos de engravidar.
Lopid® é um medicamento classificado na categoria C de risco de gravidez. Portanto, este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.
Efeitos na habilidade de dirigir ou operar máquinas
: não são conhecidos efeitos que afetem a habilidade de dirigir ou operar máquinas após a utilização deste medicamento.
Uso em Pacientes com Disfunção Hepática: vide item 4. Contraindicações.
Uso em Pacientes com Disfunção Renal: vide item 4. Contraindicações.
Uso em Crianças: a segurança e a eficácia em crianças não foram estabelecidas.
Uso em Idosos: as mesmas orientações dadas aos adultos devem ser seguidas para os pacientes idosos, observando as recomendações específicas para grupos de pacientes descritos nos itens 4. Contraindicações e 5. Advertências e Precauções.

Resultados de eficácia

No extenso estudo Helsinki Heart, de prevenção primária, controlado por placebo, randomizado e duplo-cego, envolvendo indivíduos com não-HDL colesterol acima de 200 mg/dl e sem histórico de doença cardíaca, a genfibrozila reduziu significativamente os triglicérides plasmáticos totais, moderadamente o colesterol total e o LDL-colesterol e elevou o HDL-colesterol de modo significativo. Durante os cinco anos de estudo, o grupo de pacientes que recebeu a genfibrozila apresentou 34% de redução na incidência global de doença arterial coronária - DAC (no 4° e 5° anos de estudo, a redução da doença arterial coronária foi superior a 50%). Houve redução de 37% no infarto do miocárdio não-fatal e de 26% em mortes cardíacas. A diferença global na incidência da doença arterial coronária foi significativamente menor nos pacientes tratados com a genfibrozila em relação aos que receberam placebo (p < 0,02; teste bicaudal).
Referência: Frick MH, Elo O, Haapa K, et al. Helsinki Heart Study: Primary prevention trial with gemfibrozil in middle-aged men with dyslipidemia. New Engl J Med 1987; 317(20):1237-1245.

Interação com outros medicamentos

Anticoagulantes: deve-se ter cautela ao administrar anticoagulantes juntamente com Lopid®. A dose de anticoagulante deve ser reduzida para manter o tempo de protrombina no nível desejado, a fim de prevenir complicações de sangramento. São aconselháveis determinações frequentes do tempo de protrombina, até ficar definitivamente determinado que os níveis estão estabilizados.
Inibidores da HMG-CoA redutase: foram relatados casos de miosite grave e mioglobinúria (rabdomiólise) quando genfibrozilaeoutros inibidores da HMG-CoA redutase, (como a sinvastatina, a lovastatina, a atorvastatina e a rosuvastatina), foram empregados concomitantemente (vide item 5. Advertências e Precauções).
Resinas que se ligam aos Ácidos Biliares: quando Lopid® for administrado simultaneamente com fármacos sob a forma de grânulos de resina, tais como colestipol, pode haver redução da biodisponibilidade da genfibrozila. Recomenda-se que os dois fármacos sejam administrados com um intervalo de 2 horas ou mais.
Repaglinida: em voluntários sadios, a co-administração de genfibrozila e repaglinida aumentou a concentração plasmática de repaglinida e prolongou seu efeito hipoglicêmico. A coadministração de genfibrozila e repaglinida aumenta o risco de ocorrer hipoglicemia grave e, portanto, é contraindicada (vide item 4. Contraindicações).

Cuidado de armazenamento

Lopid® deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C), protegido da luz e umidade e pode ser utilizado por 24 meses a partir da data de fabricação.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido.
Guarde-o em sua embalagem original.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
Características físicas e organolépticas:
Lopid® 600 mg - comprimido revestido branco, elíptico, biconvexo, tendo uma divisão parcial, impresso Lopid em um lado e PD 737 do outro em tinta azul.
Lopid® 900 mg: comprimido branco, oblongo, biconvexo e revestido, apresentando linha de quebra parcial em ambos os lados, sem gravação.

Superdose

Foram relatados casos de superdose com Lopid®. Os sintomas relatados foram: cãibras abdominais, alterações de enzimas hepáticas, diarreia, aumento da CK, dor muscular e articular, náusea e vômito. Os pacientes recuperaram-se totalmente. Caso ocorra superdose, torna-se necessária a instituição de tratamento sintomático e de suporte.
Em caso de intoxicação, ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Dizeres legais

MS - 1.0216.0098
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
Esta bula foi aprovada pela Anvisa em (20/12/2010).

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play