NYOLOL

1305 | Laboratório NOVARTIS

Descrição

Princípio ativo: Timolol,
Ação Terapêutica: Antiglaucomatosos e mióticos

Composição

Cada mL do gel contém 1,37 mg de maleato de timolol (equivalente a 1 mg de timolol). Excipientes: cloreto de benzalcônio (conservante), carbopol, lisina monoidratada, álcool polivinílico, acetato triidratado de sódio, sorbitol e água para injetáveis.

Apresentação

Gel oftálmico Nyolol® gel 0,1 %: frasco conta-gotas contendo 5 mL.
VIA TÓPICA OCULAR
USO ADULTO

Indicações

Nyolol® gel tem como substância ativa o maleato de timolol que atua na redução da pressão intraocular nos casos de hipertensão ocular e glaucoma de ângulo aberto crônico.
Nyolol® gel é usado para reduzir a pressão intraocular nas seguintes condições:
-Hipertensão ocular;
-Glaucoma crônico de ângulo aberto.

Dosagem

Adulto: a dose recomendada é instilar 1 gota de Nyolol® gel no olho afetado 1 vez ao dia, preferencialmente pela manhã.
Pacientes idosos: a posologia indicada acima pode ser usada para pacientes idosos.
Para todas as idades:
Como a resposta ao tratamento pode levar algumas semanas para estabilização, a pressão intraocular deve ser checada após cerca de 2 a 4 semanas de tratamento com Nyolol® gel.
Se for necessário, Nyolol® gel pode ser usado concomitantemente a mióticos, epinefrina, análogos da prostaglandina, alfa-2-agonitas e/ou inibidores da anidrase carbônica. Para evitar que a substância ativa seja removida dos olhos, um intervalo de pelo menos 5 minutos entre a instilação de diferentes medicações é necessário, e Nyolol® gel deve ser o último a ser administrado.
Substituição de um tratamento anterior
Quando Nyolol® gel for administrado em substituição à outra solução oftálmica beta-bloqueadora, descontinue este medicamento após um dia completo de tratamento e inicie o tratamento com Nyolol® gel no dia seguinte. Instile 1 gota de Nyolol® gel no olho afetado 1 vez ao dia, preferencialmente pela manhã.
Quando Nyolol® gel for administrado em substituição a uma solução oftálmica antiglaucomatosa não beta-bloqueadora, continue com o agente já utilizado por um dia e adicione 1 gota de Nyolol® gel 1 vez ao dia. No dia seguinte, descontinue o agente antiglaucomatoso previamente utilizado e continue com Nyolol® gel.
Modo de usar
Nyolol® gel deve ser instilado no saco conjuntival. As medicações para glaucoma devem ser utilizadas continuamente a menos que o médico determine o contrário.
Para aplicação de uma dose correta, segure o frasco na posição vertical durante a administração.
O produto permanece estéril até que o lacre de fechamento seja rompido. Feche o frasco imediatamente após o uso. Não utilizar o produto por mais de 30 dias após a abertura do frasco.
A absorção sistêmica pode ser reduzida com o uso de oclusivos nasolacrimais ou fechamento das pálpebras por 5 minutos. Estas ações podem resultar na diminuição dos efeitos adversos sistêmicos e aumento da atividade local.

Contra-indicações

Assim como todos os produtos que contém agentes bloqueadores de receptores beta, Nyolol® gel é contraindicado em pacientes com:
• Asma brônquica
• Histórico de broncoespasmo ou Doença pulmonar obstrutiva grave
• Bradicardia sinusal
• Síndrome do nódulo sinusal (incluindo bloqueio sino-auricular)
• Bloqueio atrioventricular
• Insuficiência cardíaca manifesta
• Choque cardiogênico
• Transtorno circulatório periférico grave (Doença de Raynaud´s) e transtornos periféricos
• Angina de Prinzmetal
• Feocromocitoma não-tratada
• Hipotensão
• Transtornos da córnea
• Hipersensibilidade ao maleato de timolol ou a qualquer componente da formulação ou agentes beta-bloqueadores
• Rinite alérgica grave ou hiper-reatividade brônquica

Reações Adversas

Como outros produtos oftálmicos tópicos, maleato de timolol pode ser absorvido sistemicamente, podendo ocorrer os mesmos efeitos indesejáveis relacionados à administração de beta-bloqueadores orais.
Distúrbios do sistema imune: lúpus eritematoso sistêmico, sinais e sintomas das reações alérgicas incluindo angioedema.
Distúrbios de metabolismo e nutrição: hipoglicemia
Distúrbios psiquiátricos: depressão, insônia, pesadelos, perda de memória.
Distúrbios do sistema nervoso: síncope, transtorno cerebrovascular, isquemia cerebral, aumento dos sinais e sintomas de miastenia gravis, tontura, parestesia, dor de cabeça.
Distúrbios da visão: sintomas de irritação ocular incluindo conjuntivite, blefarite, ceratite e redução da sensibilidade da córnea. Visão borrada por curto tempo pode ocorrer em 30 a 50% dos pacientes. Outras reações possíveis são irritação dos olhos (queimação), dor (aguda), distúrbios visuais, incluindo alterações na refração (em alguns casos devido à interrupção da terapia miótica), diplopia, ptose e descolamento de coroide após cirurgia de filtração. Ressecamento dos olhos foi relatado durante a terapia com beta-bloqueador.
Distúrbios cardíacos: bradicardia, bloqueio atrioventricular (completo ou de menor grau) ou piora de um bloqueio atrioventricular existente, insuficiência cardíaca, arritmia, palpitação, parada cardíaca e dor no peito.
Distúrbios vasculares: hipotensão, fenômeno Raynaud e claudicação.
Distúrbios respiratórios, torácicos e do mediastino: broncoespasmo (predominantemente em pacientes com doença broncoespástica pré-existente), insuficiência respiratória, dispneia e tosse.
Distúrbios gastrointestinais: náusea, diarreia, vômito, dispepsia, boca seca.
Distúrbios do tecido cutâneo e subcutâneo: reações de hipersensibilidade incluindo rash locais e generalizadas, eritema, urticária, alopecia, lesões tipo psoríase ou exacerbações da psoríase.
A incidência de sintomas é baixo, e na maioria dos casos os sintomas desaparecem após a descontinuação do tratamento. O uso do medicamento deve ser descontinuado se qualquer tipo de reação não for explicável. Sabe-se que o cloreto de benzalcônio causa alergia em pacientes sensíveis.
Distúrbio do tecido músculo-esquelético e conectivo: artropatia
Distúrbios do sistema reprodutivo e mama: disfunção sexual, doença de Peyronie.
Distúrbios gerais e de administração: fadiga, astenia.
Reações sem conhecimento da relação causal: as seguintes reações adversas ocorreram com o uso da administração sistêmica de maleato de timolol: edema macular afática cistoide, congestão nasal, anorexia, dispepsia, efeitos do sistema nervoso central (confusão, alucinação, ansiedade, desorientação, nervosismo, sonolência e outros distúrbios psiquiátricos), hipertensão e fibrose retroperitoneal. Os efeitos adversos vistos no maleato de timolol oral podem ocorrer com o uso tópico de Nyolol® gel.
Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária -NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Precauções

Como outros medicamentos oftálmicos aplicados topicamente, maleato de timolol é absorvido na circulação sistêmica o que pode causar efeitos sistêmicos similares aos observados com agentes beta-bloqueadores orais. Portanto, deve ser usado com precaução em pacientes com acidose metabólica.
Durante anestesia, bradicardia e hipotensão severa tem sido observado em alguns pacientes utilizando betabloqueadores. O anestesista deve ser informado quando o paciente está recebendo Nyolol® gel. Uma retirada gradual de Nyolol® gel por 1 a 2 semanas é recomendada em pacientes de alto risco (incluindo pacientes com doença coronária) antes da cirurgia marcada. A retirada súbita de Nyolol® gel pode levar à exacerbação de angina e ao desenvolvimento de hipertensão arterial e arritmias; Nyolol® gel deve ser descontinuado pelo menos 24 a 48 horas antes da cirurgia (veja o item "Interações Medicamentosas").
Nyolol® gel pode causar piora da insuficiência cardíaca sistólica ou nova insuficiência cardíaca em pacientes que dependem da movimentação simpática alta para manter o débito cardíaco. Insuficiência cardíaca deve ser adequadamente controlada antes de iniciar o tratamento com Nyolol® gel e pacientes com história de doença cardíaca severa devem ser monitorados para os primeiros sinais de possível insuficiência cardíaca. Agentes beta-bloqueadores podem mascarar certos sintomas de hipertiroidismo, por exemplo, taquicardia.
Pacientes suspeitos de desenvolver tirotoxicose devem ser observados cuidadosamente para evitar retirada abrupta do agente beta-bloqueador, que pode causar uma crise da tireoide.
O uso concomitante de amisulprida com Nyolol® gel pode levar a um risco aumentado de arritmia ventricular, particularmente "torsades de pointes". Portanto, recomenda-se precaução em doentes com bradicardia pré-existente (veja o item"Interações Medicamentosas").
Sinais e sintomas da hipoglicemia, especialmente taquicardia, palpitações e sudorese podem ser mascarados. Pacientes diabéticos devem ser aconselhados a reforçar o automonitoramento da sua glicemia no começo do tratamento.
Risco de reações anafiláticas: Pacientes com histórico de atopia ou de reações anafiláticas graves a diferentes alérgenos podem ser mais sensíveis a alérgenos expostos repetidamente. A exposição pode ser acidental, durante o diagnóstico ou tratamento. Quando Nyolol® gel é usado nestes pacientes, a dose usual de epinefrina usada para tratar reações anafiláticas pode não ser efetiva.
Reações respiratórias e cardíacas, incluindo morte devido a broncoespasmo em pacientes com asma ou, raramente, morte associada à insuficiência cardíaca foram relatadas.
Descolamento de coroide após procedimentos de filtração tem sido relatada com a administração de terapia supressora de humor aquoso.
A monitorização da função cardíaca e observação do paciente para bradicardia ou bloqueio cardíaco é recomendado quando a amiodarona e um bloqueador beta-adrenérgicos são coadministrados (veja o item "Interações Medicamentosas").
A administração concomitante de inibidores de MAO deve ser evitada.
Deve-se ter precaução se Nyolol® gel é utilizado com beta-bloqueadores sistêmicos.
Nyolol® gel não deve ser utilizado com outros beta-bloqueadores tópicos.
Nyolol® gel tem pequeno ou nenhum efeito na pupila. Quando este gel é usado para reduzir a pressão intraocular em pacientes com glaucoma de ângulo fechado, deve ser usado em combinação com miótico.
Nestes pacientes, o objetivo imediato do tratamento é abrir o ângulo pela constrição da pupila com um agente miótico. Se outros antiglaucomatosos de aplicação tópica forem indicados, deve haver um intervalo de pelo menos 5 minutos entre a instilação das medicações (veja o item "Como devo usar este medicamento?").
Nyolol® gel contém cloreto de benzalcônio como conservante. O cloreto de benzalcônio pode causar irritação ocular e é conhecido por descolorir lentes de contato gelatinosas. Portanto, evite contato com lentes de contato gelatinosas. Remova as lentes de contato antes da aplicação do medicamento e espere pelo menos 15 minutos para recoloca-las.
Assim como com qualquer outro tratamento de glaucoma, exames regulares da pressão intraocular e da córnea são recomendados.
Efeitos na habilidade de dirigir ou utilizar máquinas
Nenhum estudo sobre o efeito deste medicamento na habilidade de dirigir foi realizado. Deve-se considerar que distúrbios visuais ocasionalmente podem ocorrer incluindo alterações refrativas, diplopia, ptoses, episódios frequentes de visão borrada leve e transiente e episódios ocasionais de tontura e fadiga quando dirigir veículos ou operar máquinas.
Gravidez e lactação
O uso de Nyolol® gel durante a gravidez não foi estudada. Beta-bloqueadores reduzem a perfusão placentária, que pode resultar na morte fetal ou parto prematuro. Adicionalmente, efeitos indesejáveis, especialmente hipoglicemia e bradicardia, também pode ocorrer em fetos e neonatos. Há um aumento do risco de complicações cardíacas e pulmonares em um neonato que é exposto a um agente beta-bloqueador. Portanto, Nyolol® gel não deve ser usado durante a gravidez a menos que haja um claro benefício. Em casos de tratamento até o momento do parto, monitoramento do neonato (coração e glicemia pelos primeiros 3 a 5 dias de vida) é recomendado.
A substância ativa maleato de timolol é absorvido no sistema circulatório e excretado no leite materno tendo o potencial de causar sérios efeitos indesejáveis na criança ou na lactante. Portanto não é recomendado o uso do medicamento durante a amamentação.
Este medicamento pertence à categoria de risco na gravidez C, portanto, este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.
Este medicamento pode causar dopping.

Resultados de eficácia

Em um estudo prospectivo, randomizado, duplo-cego, de grupos paralelos e multicêntrico, 210 pacientes com glaucoma primário de ângulo aberto ou hipertensão ocular foram inscritos dos quais 167 (82 - timolol gel 0,1%, 85 timolol 0,5%) completaram o estudo conforme o protocolo. A mudança na pressão intraocular no pior olho entre a avaliação inicial e a semana 12 foi de 6,3 (DP 3,3) mmHg com timolol gel 0,1% e 7,0 (2,9) mmHg com timolol 0,5%; essa diferença não foi estatisticamente significativa (p = 0,19). A diferença entre os dois grupos de estudo na alteração da pressão intraocular na avaliação inicial foi de 0,62 mmHg, o IC 90% de -0,09 a 1,33 mmHg estava dentro dos limites pré-especificados de -1,5 a +1,5 mmHg demonstrando equivalência entre o timolol gel 0,1% e timolol 0,5%. Os níveis plasmáticos (ng / ml) de timolol na 12 semanas no grupo timolol gel 0,1% foram significativamente menor que com timolol 0,5%, tanto antes da instilação (média 0,057; DP 0,131 e média 0,470; DP 0,519, respectivamente, p = 0,025) quanto após a instilação (média 0,552; DP 0,992 e média 2,473; DP 1,780, respectivamente, p = 0,008). Ambos os tratamentos foram bem tolerados, sem diferença estatísticamente significante entre os grupos na ocorrência de eventos adversos oculares ou sistêmicos1.
Referências Bibliográficas
1. Rouland, Jean-François et al. Timolol 0.1% Gel (Nyogel 0.1%®) Once Daily versus Conventional Timolol 0.5% Solution Twice Daily: A Comparison of Efficacy and Safety. Ophthalmologica 2002; 216:449-454.

Interação com outros medicamentos

Embora Nyolol® gel tenha um pequeno efeito no tamanho da pupila, ocasionalmente foi relatada midríase quando usado com agentes midriáticos como a epinefrina.
Quando Nyolol® gel é administrado em pacientes recebendo agentes beta-bloqueadores orais, tanto a redução da pressão intraocular como os efeitos sistêmicos dos beta-bloqueadores podem ser intensificados. A resposta destes pacientes deve ser observada.
Como o maleato de timolol é absorvido sistemicamente as seguintes interações (como aquelas vistas com os sistemas beta-bloqueadores) podem ocorrer:
A coadministração de Nyolol® gel com medicamentos antiarrítmicos de classe I (ex. disopiramida, quinidina, propafenona) e amiodarona podem ter um efeito potencial na condução atrial e então induzir um efeito inotrópico negativo.
A natureza de qualquer efeito adverso cardiovascular varia dependendo do tipo de bloqueio de canal de cálcio usado. Derivados de diidropiridina, como a nifedipina, pode levar a hipotensão, enquanto que o verapamil e diltiazem tende a causar distúrbios de condução atrioventricular ou insuficiência cardíaca do ventrículo esquerdo quando combinado com beta-bloqueadores.
Clonidina: beta-adrenérgico bloqueia agentes que podem exacerbar a hipertensão de rebote que pode seguir à retirada da clonidina.
Uso concomitante com medicamentos anestésicos pode atenuar a taquicardia compensatória e aumentar o risco de hipotensão. O anestesista deve ser informado se o paciente está usando Nyolol® gel (veja o item "Precauções e Advertências").
Glicosídeos digitálicos: associação com beta-bloqueadores pode reduzir o tempo da condução atrioventricular.
Medicamentos depletores de catecolaminas (alcaloides da Rauwolfia, tais como reserpina): recomenda-se que pacientes tomando medicamentos depletores de catecolaminas (ex.: reserpina), em adição aos beta-bloqueadores, sejam estritamente monitorados. Há possibilidade de efeitos aditivos e de hipotensão e/ou bradicardia marcante, que pode causar tontura, síncope ou hipotensão ortostástica.
Parassimpatomiméticos: aumento do risco de bradicardia.
Amisulpride: aumento do risco de arritmia ventricular, particularmente torsades de pointes.
Inibidores de CYP2D6 (por exemplo, quinidina, ISRSs): potencialização do sistema beta-bloqueador (por exemplo, diminuição da frequência cardíaca, depressão) tem sido relatado.
Mefloquina: prolongamento do intervalo QT pode ocorrer.
Insulina e medicamentos antidiabéticos orais podem reduzir ainda mais a concentração de glicose no sangue e os betabloqueadores podem mascarar os sinais de hipoglicemia (taquicardia).
A cimetidina e hidralazina podem induzir o aumento o nível plasmático de timolol.
O uso concomitante de Nyolol® gel não é recomendado com: licodaína i.v.; produtos de contraste de iodo.

Cuidado de armazenamento

Nyolol® gel deve ser conservado sob refrigeração (temperatura entre 2 e 8 °C) e protegido da luz. O prazo de validade é de 24 meses a partir da data de fabricação.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
Após aberto, válido por 30 dias.
Aspecto físico
Gel praticamento incolor.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Superdose

Não há dados específicos disponíveis referentes a esta formulação. Os sintomas mais comuns causados por superdose de um beta-bloqueador são bradicardia sintomática, hipotensão, broncoespasmo e insuficiência cardíaca aguda.
Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Dizeres legais

MS - 1.0068.0884
Venda sob prescrição médica
Esta bula foi aprovada pela ANVISA em 07/02/2013.
Fonte: Bulário Eletrônico da Anvisa, 10/09/2013.

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2020.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play