PYVERM

2736 | Laboratório MABRA

Descrição

Ação Terapêutica: Intestinais e geniturinários

Composição

Cada comprimido revestido de PYVERM contém: embonato de pirvínio 100 mg. Excipientes q.s.p. 1 comprimido (amido, estearato de magnésio, talco, croscarmelose sódica, manitol, hipromelose, macrogol, álcool etílico e água deionizada). Cada mL da suspensão oral de PYVERM contém: embonato de pirvínio 10 mg. Excipientes q.s.p. 1mL (sacarose, vanilina, silicato de alumínio e magnésio, polissorbato 80, povidona, carmelose sódica, propilparabeno, metilparabeno, sorbitol, álcool etílico e água purificada).

Apresentação

PYVERM comprimidos revestidos - Embalagem contendo 6 comprimidos.* PYVERM suspensão oral - Embalagem contendo frasco de 40 mL+copo-medida.**

Indicações

PYVERM é indicado no tratamento da enterobíase (oxiuríase).

Dosagem

Adultos: A posologia recomendada para adultos é uma drágea para cada 10kg de peso corpóreo ou 1mL da suspensão por quilo de peso corpóreo. Crianças: A posologia recomendada para crianças é 1mL da suspensão por quilo de peso corpóreo. A dose de PYVERM deve ser administrada em tomada única. A dose deverá ser repetida 2 a 3 semanas após a primeira administração do medicamento. Para adultos, a dose máxima não deve exceder a 600mg (6 drágeas ou 60mL da suspensão) de embonato de pirvínio, independente do peso corpóreo. Agite bem o frasco de PYVERM suspensão antes da administração. Quando a quantidade total de PYVERM suspensão oral não for utilizada na primeira administração, o restante pode ser guardado ao abrigo do calor excessivo, protegido da luz e utilizado na próxima tomada.

Contra-indicações

Em casos de hipersensibilidade ao embonato de pirvínio ou qualquer componente da fórmula.

Reações Adversas

PYVERM é bem tolerado, apresentando baixa incidência de efeitos colaterais. Geralmente, os efeitos adversos são leves e transitórios, podendo ocasionalmente ocorrer náusea, vômito, cólica gastrintestinal e diarréia. Raras vezes foram relatados casos de reações de hipersensibilidade e fotossensibilidade de curta duração. Devido à característica específica do embonato de pirvínio, a administração do fármaco causa coloração vermelha das fezes, não tendo significância clínica.

Interação com outros medicamentos

Estimulantes da motilidade gastrintestinal, laxativos, catárticos, emolientes: O uso concomitante pode diminuir o tempo de permanência do embonato de pirvínio no organismo e interferir com a ação antiparasitária do fármaco.

Superdose

Devido à baixa absorção do embonato de pirvínio pelo trato gastrintestinal, mesmo após a ingestão de altas doses do fármaco, a concentração sérica não será significativa para ocasionar uma superdosagem. Em caso de administração de altas doses do embonato de pirvínio, podem ocorrer sintomas como náuseas, vômitos, cólicas gastrintestinais e diarréia. O tratamento consiste na realização de medidas usuais de esvaziamento gástrico e de controle dos sintomas.
SIGA CORRETAMENTE O MODO DE USAR, NÃO DESAPARECENDO OS SINTOMAS, PROCURE ORIENTAÇÃO MÉDICA.
Reg. MS: 1.1560.0046.

Informação para o paciente

PYVERM possui em sua formulação o embonato de pirvínio, substância com ação vermífuga utilizada no tratamento de enterobíase (oxiuríase). Cuidados de conservação: Evitar calor excessivo. Proteger da luz. PYVERM possui prazo de validade de 24 meses a partir da data de fabricação. Não utilize o produto se o prazo de validade estiver vencido. Informe ao médico a ocorrência de gravidez durante o tratamento ou após o seu término. Informe também se está amamentando. TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS. Siga a orientação do seu médico respeitando sempre os horários e a duração do tratamento. Informe imediatamente ao médico se ocorrerem reações desagradáveis tais como: náusea, vômito, cólica gastrintestinal e diarréia. PYVERM pode ser ingerido com ou sem alimentos, pode ser administrado com água, leite, suco de frutas, refrigerantes ou com as refeições. PYVERM não deve utilizado por pacientes alérgicos ao embonato de pirvínio. PYVERM pode provocar coloração vermelha das fezes, fato este sem qualquer importância. Informe ao médico sobre os medicamentos que está utilizando e os que usou recentemente. Atenção: PYVERM suspensão oral contém açúcar, portanto deve ser usado com cuidado em portadores de Diabetes. NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO, PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE.

Informação técnica

O embonato de pirvínio é um derivado de fenilpirroletenilquinolínio. Apresenta ação anti-helmíntica por impedir a utilização de carboidratos exógenos pelos parasitas; assim o esgotamento das reservas endógenas dessas substâncias os helmintos são levados à morte. O embonato de pirvínio apresenta absorção insignificante pelo trato gastrintestinal, permanecendo por período prolongado em contato com os parasitas intestinais. É eliminado pelas fezes na forma inalterada. A presença de alimentos não interfere com a ação terapêutica do embonato de pirvínio. Na enterobíase ou oxiuríase, parasitose causada pelo Enterobius vermicularis, os vermes adultos comumente vivem na região cecal e imediações do intestino (íleo-cecal). Em casos de ectopia parasitária, as fêmeas podem ser encontradas na vagina, útero e bexiga. Os sintomas são caracterizados por dores abdominais, náuseas, flatulência e diarréia sendo o mais comum o prurido anal, por vezes intenso e irritante provocado pela presença do parasita na região anal, perianal e, ocasionalmente, na vulva.

Farmacocinética

O embonato de pirvínio é um derivado de fenilpirroletenilquinolínio. Apresenta ação anti-helmíntica por impedir a utilização de carboidratos exógenos pelos parasitas; assim o esgotamento das reservas endógenas dessas substâncias os helmintos são levados à morte. O embonato de pirvínio apresenta absorção insignificante pelo trato gastrintestinal, permanecendo por período prolongado em contato com os parasitas intestinais. É eliminado pelas fezes na forma inalterada. A presença de alimentos não interfere com a ação terapêutica do embonato de pirvínio. Na enterobíase ou oxiuríase, parasitose causada pelo Enterobius vermicularis, os vermes adultos comumente vivem na região cecal e imediações do intestino (íleo-cecal). Em casos de ectopia parasitária, as fêmeas podem ser encontradas na vagina, útero e bexiga. Os sintomas são caracterizados por dores abdominais, náuseas, flatulência e diarréia sendo o mais comum o prurido anal, por vezes intenso e irritante provocado pela presença do parasita na região anal, perianal e, ocasionalmente, na vulva.

Dizeres legais

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
Reg. M.S.: 1.7794.0021.

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play