Flurbiprofeno

 

Terapias de Ação

Analgésico. Anti-inflamatório. Antipirético.
Publicidade

Propriedades

O flurbiprofeno é um anti-inflamatório não esteroide que pertence aos derivados do ácido propiônico (ibuprofeno, cetoprofeno). Possui uma forte ação inibidora da síntese de prostaglandinas, que poderia estar relacionada com suas propriedades analgésicas, antipiréticas e anti-inflamatórias. Comercialmente é apresentado na forma ácida, para uso oral, e como sal sódico, para uso tópico em oftalmologia. É rapidamente absorvido por via oral (pico plasmático em 1,5 hora); a administração com alimentos altera a velocidade de absorção, mas não a biodisponibilidade do flurbiprofeno. A meia-vida de eliminação é de 5,7 horas.

Indicações

Artrite reumatoide e artrose. Tem sido utilizado com sucesso no tratamento da dor dental, da dismenorreia primária e da gota aguda.

Dosagem

Em exacerbações agudas de afecções crônicas ou inflamações graves (artrite reumatoide ou artrose): 200 a 300 mg por dia em função da severidade dos sintomas e da resposta, divididos em 2, 3 ou 4 tomadas.

Reações Adversas

Efeitos que aparecem entre 3% e 9%: dispepsia, diarreia, dor abdominal, náusea, edema, sinais e sintomas indicadores de infecção urinária. Efeitos que aparecem entre 1% e 3%: constipação, sangramento gastrintestinal, flatulência, aumento das enzimas hepáticas, vômitos, rinite, dor de cabeça, nervosismo, erupção, mudanças de peso corporal. Efeitos que aparecem em menos de 1% e que podem provavelmente ser causados pela ingestão de flurbiprofeno: úlcera péptica, gastrite, diarréia sanguinolenta, estomatite, doença esofágica, hematemese, hepatite, ataxia, isquemia cerebrovascular, confusão, parestesia, asma, deficiência de ferro, anemia hemolítica, anemia aplástica, urticária, eczema, hiperuricemia, anafilaxia, hipertensão.

Precauções e Advertências

Os tratamentos a longo prazo podem produzir sangramento, úlcera gastrintestinal, gastrite erosiva. Em pacientes com função renal diminuída, deve-se reduzir a dose para evitar o acúmulo do fármaco e minimizar a toxicidade renal. Deve ser administrado com cuidado em pacientes com antecedentes de disfunção hepática. Em poucas ocasiões tem provocado retenção de líquidos e edema, razão pela qual deve ser administrado com precaução em pacientes com hipertensão ou insuficiência cardíaca. O flurbiprofeno inibe a agregação plaquetária e aumenta o tempo de sangramento. Seu uso não é recomendado em mulheres grávidas, na lactação e nem em crianças.

Interações

Anticoagulantes: sinergia. Ácido acetilsalicílico: a co-administração não é recomendada. Pode afetar a atividade anti-hipertensiva do propranolol, portanto deve ser administrado com um betabloqueador somente se for realizado um monitoramento adequado do efeito hipertensor. Alguns diuréticos tiazídicos e os poupadores de potássio podem ter sua resposta afetada pelo flurbiprofeno.

Contra-indicações

Hipersensibilidade ao fármaco. Úlcera gastroduodenal, insuficiência hepática ou renal grave.

Superdosagem

Em crianças foi observada sonolência, pupilas puntiformes, tônus diminuído e enzimas hepáticas diminuídas. Depressão respiratória, sonolência, dor epigástrica, tonturas, náuseas, desorientação, diplopia. Em caso de superdose deve-se realizar lavagem gástrica ou indução do vômito antes de transcorrida uma hora desde a ingestão; tratamento de suporte adequado em função das manifestações observadas.
Publicidade

Interações de Flurbiprofeno

Informação não disponível

iVademecum © 2016 - 2020.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play