Hidroclorotiazida

 

Terapias de Ação

Diurético tiazídico.
Publicidade

Propriedades

Atua sobre o mecanismo tubular renal de absorção de eletrólitos, aumenta a excreção urinária de sódio e água por inibição da reabsorção de sódio no princípio dos túbulos distais e aumenta a excreção urinária de potássio incrementando a secreção de potássio no túbulo contornado distal e em tubos coletores. Absorve-se com relativa rapidez após sua administração oral. Sua meia-vida normal é de 15 horas, o efeito diurético começa após 2 horas, o efeito máximo é obtido após 4 horas e sua ação dura de 6 a 12 horas. Elimina-se por via renal de forma inalterada.

Indicações

Edema associado com insuficiência cardíaca congestiva, cirrose hepática com ascite, síndrome nefrótica, glomerulonefrite aguda e insuficiência renal crônica. Hipertensão.

Dosagem

Adultos: como diurético, de 25 a 100 mg 1 ou 2 vezes ao dia, 1 vez em dias alternados ou 1 vez ao dia durante um período de 3 a 5 dias por semana; como anti-hipertensivo, 25 a 100 mg/dia como dose única ou em 2 ingestões diárias. Crianças: 1 a 2 mg/kg ao dia como dose única ou em ingestões diárias.

Reações Adversas

A maioria das reações adversas depende da dose. São de incidência mais frequente: secura na boca, arritmias, náuseas, vômitos, cansaço ou debilidade não habituais. Raramente observam-se: artralgias, dor de garganta e febre, hemorragia ou hematomas não habituais, anorexia.

Precauções e Advertências

Há possibilidade de provocar hipopotassemia, portanto pode ser necessário suplementar a dieta com potássio. Pode aumentar a glicemia nos diabéticos e aparecer fotossensibilidade. A hipotensão e a hipopotassemia são mais frequentes nas pessoas de idade avançada. A hidroclorotiazida atravessa a placenta, portanto a relação risco-benefício deverá ser avaliada em mulheres grávidas.

Interações

Os corticoides, a ACTH e a anfotericina-B podem diminuir os efeitos natriuréticos e diuréticos e intensificar o desequilíbrio eletrolítico. A hidroclorotiazida pode elevar a concentração de ácido úrico no sangue, razão pela qual deve ser necessário ajustar a dose de antigotosos (colchicina, alopurinol, probenecida). O uso simultâneo com amiodarona aumenta o risco de arritmias associadas com hipopotassemia. Os efeitos diuréticos são potencializados quando usada com IMAO. Aumenta a possibilidade de toxicidade por digital quando administrada com glicosídeos digitálicos. Junto do bicarbonato de sódio pode aumentar a possibilidade de alcalose hipoclorêmica. A hidroclorotiazida aumenta a glicose no sangue, portanto é necessário regular a dose de insulina e de hipoglicemiantes orais.

Contra-indicações

A relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de anúria ou disfunção renal grave, diabetes mellitus, gota, antecedentes de hiperuricemia, antecedentes de lúpus eritematoso, pancreatite, hipercalcemia.
Publicidade

Interações de Hidroclorotiazida

Informação não disponível

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play