ACTONEL 150MG

2525 | Laboratório SANOFI-AVENTIS

Descrição

Composição

Cada comprimido revestido contém: risedronato sódico (equivalente a 139,2 mg de ácido risedrônico) 150 mg, excipientes q.s.p. 1 comprimido revestido (celulose microcristalina, crospovidona, estearato de magnésio, índigo carmim FD&C azul, hipromelose, hiprolose, macrogol 400, macrogol 8000, dióxido de silício e dióxido de titânio).

Apresentação

Comprimidos revestidos 150 mg: embalagem com 1.
USO ORAL.
USO ADULTO.

Indicações

ACTONEL 150 mg está indicado no tratamento da osteoporose em mulheres no período pós-menopausa com aumento no risco de fraturas (ver item Propriedades Farmacodinâmicas).

Dosagem

Modo de usar
Desta forma, para assegurar a adequada absorção nos pacientes que utilizam ACTONEL 150 mg, deve-se administrá-lo: Com água, antes do café da manhã: no mínimo 30 minutos antes da primeira refeição, outra medicação ou bebida do dia (ver item Interações Medicamentosas). A água é a única bebida que deve ser tomada com ACTONEL 150 mg. Deve-se lembrar que algumas águas minerais possuem alta concentração de cálcio e, portanto, não devem ser utilizadas (ver item Propriedades Farmacocinéticas).
O paciente deve ficar em posição vertical e ingerir o comprimido com quantidade suficiente de água (pelo menos 120 mL), para facilitar o transporte até o estômago. O comprimido deve ser ingerido inteiro, sem ser mastigado ou chupado. O paciente não deve deitar por 30 minutos após a ingestão de Actonel 150 mg.
Caso o paciente opte por tomar o medicamento em outro horário, a tomada deve ser feita no mínimo 2 horas antes ou após a ingestão de qualquer alimento ou líquido, exceto água.
Cuidados de conservação depois de aberto
Depois de aberto, ACTONEL 150 mg deve ser mantido dentro da embalagem original, em temperatura ambiente (entre 15 - 30°C).
POSOLOGIA
A dose recomendada nos adultos é de 1 comprimido de ACTONEL 150 mg, por via oral, uma vez ao mês. O comprimidodeve ser tomado no mesmo dia de cada mês.
Posologia para situações especiais
Idosos: nenhum ajuste de dose é necessário, visto que a biodisponibilidade, distribuição e eliminação são semelhantes em idosos ( >60 anos de idade) comparado com indivíduos mais jovens. Isto também foi demonstrado em pacientes mais idosos, acima de 75 anos e sobre população na pós-menopausa.
Pacientes com insuficiência renal: nenhum ajuste de dose é necessário para pacientes com insuficiência renal leve a moderada. O uso do risedronato sódico é contraindicado em pacientes com insuficiência renal grave (clearancede creatinina menor que 30 mL/min.) (ver itens Contraindicações e Propriedades Farmacocinéticas).
Crianças e adolescentes:a segurança e a eficácia de ACTONEL 150 mg ainda não foram estabelecidas em crianças e adolescentes.
Conduta necessária caso haja esquecimento de administração
Os pacientes que esquecerem a dose de ACTONEL 150 mg devem ser instruídos a proceder da seguinte forma:
• Se a dose do próximo mês estiver programada para um período maior que 7 dias, o comprimido deve ser tomado na manhã após o paciente ter relembrado. Os pacientes devem então retornar a tomada de ACTONEL 150 mg no dia em que o comprimido é normalmente tomado.
• Se a dose do próximo mês estiver programada para 7 dias ou menos, os pacientes devem aguardar até o dia do próximo mês originalmente planejado e então continuar tomando ACTONEL 150 mg no dia previamente definido.
Não devem ser tomados dois comprimidos na mesma semana.

Contra-indicações

ACTONEL 150 mg está contraindicado:
- Em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao risedronato sódico ou a qualquer componente da fórmula;
- Em pacientes com hipocalcemia (ver item Precauções e Advertências);
- Na gravidez e lactação (ver item Precauções e Advertências);
- Em pacientes com insuficiência renal grave (clearance de creatinina < 30 mL/min);
- Em pacientes com inabilidade de sentar ou ficar em pé por pelo menos 30 minutos devido ao aumento do risco de efeitos adversos esofágicos.

Reações Adversas

O risedronato sódico foi avaliado em estudos clínicos fase III envolvendo mais de 15.000 pacientes. A maioria dos eventos observados nos estudos clínicos foi de gravidade leve a moderada e geralmente não requereram a interrupção do tratamento.
Experiências adversas relatadas em estudos clínicos fase III em mulheres com osteoporose no período pós-menopausa tratadas até 36 meses com risedronato sódico 5mg/dia (n=5020) ou placebo (n=5048) e consideradas possível ou provavelmente relacionadas ao risedronato sódico estão listadas a seguir de acordo com a seguinte convenção (incidências versus placebo estão demonstradas em parênteses): muito comum (?1/10); comum (?1/100; < 1/10); incomum (?1/1.000; < 1/100); raro (?1/10.000; < 1/1.000); muito raro ( < 1/10.000).
Desordens do sistema nervoso:
Comum: dor de cabeça (1,8% versus 1,4%).
Desordens oculares:
Incomum: irite*
Desordens gastrintestinais:
Comuns: constipação (5,0% versus 4,8%), dispepsia (4,5% versus 4,1%), náusea (4,3% versus 4,0%), dor abdominal (3,5% versus 3,3%), diarreia (3,0% versus 2,7%).
Incomuns: gastrite (0,9% versus 0,7%), esofagite (0,9% versus 0,9%), disfagia (0,4% versus 0,2%), duodenite (0,2% versus 0,1%), úlcera esofágica (0,2% versus 0,2%). Raros: glossite ( < 0,1% versus 0,1%), estenose esofágica ( < 0,1% versus 0,0%).
Desordens musculoesqueléticas e de tecidos conectivos:
Comum: dor musculoesquelética (2,1% a 1,9%).
Distúrbios gerais:
Comum: reações de fase aguda (febre e sintomas semelhantes aos da gripe).
Investigações
Raro: testes de função hepática anormal*
* Não houve incidência relevante nos estudos fase III para osteoporose; frequência baseada em eventos adversos/ laboratoriais / reintrodução em estudos clínicos precoces.
A segurança geral e os perfis de tolerabilidade foram semelhantes em um estudo multicêntrico e duplo-cego com duração de 2 anos, comparando risedronato sódico 5 mg diariamente (n=642) e risedronato sódico 150 mg mensal (n=650), em mulheres com osteoporose no período pós-menopausa. As seguintes reações adversas adicionais consideradas possível ou provavelmente relacionadas à droga relatadas pelos investigadores e em uma frequência de no mínimo 1% foram (incidência maior no grupo
risedronato sódico 150 mg do que no grupo risedronato sódico 5 mg): vômitos (1,7% versus 0,6%), artralgia (1,5% versus 0,9%) e mialgia (1,2% versus 0,3%).
Relatos laboratoriais: foram observados em alguns pacientes leves diminuições nos níveis de cálcio sérico e fosfato, as quais foram precoces, transitórias e assintomáticas.
As seguintes reações adversas adicionais foram muito raramente relatadas durante o uso pós-comercialização (frequência desconhecida):
Desordens oculares: irite, uveíte
Desordens musculoesqueléticas e de tecidos conectivos: osteonecrose de mandíbula
Desordens cutâneas e do tecido subcutâneo: hipersensibilidade e reações cutâneas, incluindo angioedema, rash generalizado e reações bolhosas de pele, algumas severas incluindo relatos isolados de Síndrome de Stevens-Johnson e necrólise epidermal tóxica.
Desordens do sistema imune: reações anafiláticas.
ATENÇÃO: ESTE É UM MEDICAMENTO NOVO E, EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA ACEITÁVEIS PARA COMERCIALIZAÇÃO, EFEITOS INDESEJÁVEIS E NÃO CONHECIDOS PODEM OCORRER. NESTE CASO, INFORME SEU MÉDICO.

Precauções

Alimentos, bebidas (exceto água) e drogas contendo cátions polivalentes (tais como: cálcio, magnésio, ferro e alumínio) podem interferir na absorção dos bisfosfonatos e não devem ser administrados concomitantemente ao risedronato sódico de ACTONEL 150 mg. Para alcançar a eficácia planejada, é necessária uma rigorosa adesão às recomendações de uso (ver item Posologia).
A eficácia dos bisfosfonatos no tratamento da osteoporose no período pós-menopausa está relacionada com a presença da baixa densidade mineral óssea e/ou fratura predominante. Fatores de risco clínico para fratura ou idade avançada isoladamente não são motivos para se iniciar o tratamento da osteoporose com um bisfosfonato.
Em mulheres muito idosas ( >80 anos), a evidência de manutenção da eficácia de bisfosfonatos, incluindo risedronato sódico, é limitada.
Os bisfosfonatos foram relacionados a esofagites, gastrites, ulcerações de esôfago e úlceras duodenais. Os prescritores devem enfatizar aos pacientes a importância da atenção às instruções de dosagens e alertar para qualquer sinal ou sintoma de possível reação no esôfago, ou seja:
• Pacientes que apresentam antecedentes de alteração no esôfago que retardam o trânsito ou o esvaziamento do esôfago (ex. estenose ou acalasia);
• Pacientes com problemas de esôfago, em atividade ou tratados recentemente, ou mesmo outros problemas gastrintestinais superiores;
• Pacientes que são incapazes de permanecerem em posição ereta (sentados ou em pé) por pelo menos 30 minutos após a ingestão do comprimido. Os mesmos devem ser orientados a procurar atendimento médico caso venham a apresentar sintomatologia de irritação esofágica como disfagia, odinofagia, dor retroesternal ou aparecimento/piora de pirose.
Na experiência pós-marketing, existem relatos de dor musculoesquelética severa em pacientes que utilizam medicamentos bisfosfonados. O tempo para o aparecimento desses sintomas variou de um dia a vários meses após o início do tratamento. Caso se observe o aparecimento de sintomas graves, a descontinuação do tratamento deve ser considerada.
A hipocalcemia deve ser tratada antes do início do tratamento com ACTONEL 150 mg. Outras alterações ósseas e do metabolismo mineral (ex. disfunção da paratireóide, hipovitaminose D) devem ser tratadas quando iniciada a terapia com ACTONEL 150 mg. A adequada quantidade de cálcio e vitamina D no organismo é importante para todos pacientes, especialmente para os que possuem a Doença de Paget, nos quais o turnover ósseo é significativamente elevado.
Os pacientes devem receber suplementação de cálcio e vitamina D, caso a ingestão na dieta seja inadequada.
Osteonecrose de mandíbula, geralmente associada com extração dentária e/ou infecção local (incluindo osteomielite) foi relatada em pacientes com câncer em regimes de tratamento incluindo, principalmente, administração intravenosa de bisfosfonatos. Muitos destes pacientes também estavam recebendo quimioterapia e corticosteroides. Osteonecrose de mandíbula também foi relatada em pacientes com osteoporose recebendo bisfosfonatos orais.
Um exame dentário com foco preventivo apropriado deve ser considerado antes do tratamento com bisfosfonatos em pacientes com fatores de risco concomitantes (por exemplo, câncer, quimioterapia, radioterapia, corticosteróides, higiene oral inadequada).
Durante o tratamento, estes pacientes devem se possível, evitar procedimentos dentários invasivos. Para pacientes que desenvolvam osteonecrose de mandíbula durante a terapia com bisfosfonatos, uma cirurgia dentária pode exacerbar a condição. Para pacientes que requeiram procedimentos dentários, não existem dados disponíveis que aconselhem se a descontinuação do tratamento com bisfosfonatos reduz o risco de osteonecrose de mandíbula.
O consumo de álcool e cigarro pode piorar seu problema ósseo, portanto evite seu consumo excessivo.
Antes do início do tratamento, o paciente deve ser avaliado quanto a distúrbios ósseos ou do metabolismo mineral (como deficiência de vitamina D).
O julgamento clínico do médico deve guiar o plano de administração de cada paciente baseado na avaliação de risco/benefício individual.
Efeitos na habilidade de dirigir ou operar máquinas: nenhum efeito na habilidade de dirigir ou operar máquinas foi observado.
Risco de uso por via de administração não recomendada
Não há estudos dos efeitos de ACTONEL 150 mg administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para eficácia deste medicamento, a administração deve ser exclusivamente pela via oral.
Gravidez
Estudos em animais sugerem a ocorrência de hipocalcemia durante gestação e efeitos sobre a ossificação fetal. O risco potencial para humanos é desconhecido. ACTONEL 150 mg só deve ser utilizado durante a gravidez, se o risco benefício justificar o potencial risco para a mãe e o feto.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.
Categoria de risco na gravidez: categoria C.
Lactação
ACTONEL 150 mg não deve ser utilizado durante a lactação. A decisão de descontinuar a amamentação ou o produto, deve considerar a importância do medicamento para mãe.
USO EM IDOSOS, CRIANÇAS E OUTROS GRUPOS DE RISCO
Pacientes idosos
Não é necessário ajuste de dose para risedronato sódico em idosos, visto que a população alvo é de mulheres na pós-menopausa. Uma dosagem específica para idosos não é necessária. Isso também foi demonstrado em idosos com idade igual ou superior a 75 anos.
Crianças e adolescentes
A segurança e eficácia ainda não foram estabelecidas em crianças e adolescentes.
Restrições a grupos de risco
Insuficiência renal: Nenhum ajuste de dose é necessário para pacientes com insuficiência renal leve a moderada. O uso do risedronato é contraindicado em pacientes com insuficiência renal grave (clearance de creatinina menor que 30 mL/min.)

Resultados de eficácia

A eficácia de Actonel 5 mg na redução do risco de fraturas vertebrais foi confirmada em estudos de fase III, VERT MN e NA, que demonstraram redução significativa nesta incidência já a partir de 6 meses na análise combinada de ambos estudos. A redução do risco de fratura não vertebral também observada no estudo VERT NA foi ratificado em análise de 4 estudos combinados demonstrando eficácia precoce na redução do risco de fratura não vertebral, também em 6 meses. Redução do risco de fraturas de quadril foi demonstrada no estudo HIP, com significativa queda no risco, chegando a 60% em grupo de alto risco.
Demais estudos de eficácia: Harris ST, Watts NB, Genant HK, McKeever CD, Hangartner T, Keller M, et al. Effects of risedronate treatment on vertebral and nonvertebral fractures in women with postmenopausal osteoporosis: a randomized controlled trial. Vertebral Efficacy with Risedronate Therapy (VERT) Study Group. JAMA 1999;282(14):1344-52. / Lin JH. Bisphosphonates: a review of their pharmacokinetic properties. Bone 1996;18(2):75-85. / Harrington JT, et al. Risedronate rapidly reduces the risk for nonvertebral fractures in women with postmenopausal osteoporosis. Calcif tissue int 2004; 74: 129 - 135. / McClung MR, Geusens P, Miller PD, Zippel H, Bensen WG, Roux C, Adami S, Fogelman I, Diamond T, Eastell R, Meunier PJ, Reginster JY; Hip Intervention Program Study Group. Effect of risedronate on the risk of hip fracture in elderly women. Hip Intervention Program Study Group. N Engl J Med 2001;344(5):333-40. / Mellström MD, Sörenson OH, Goemaere S, Roux C, Johnson TD, Chines AA. Seven years of treatment with risedronate in women with postmenopausal osteoporosis. Calcif Tissue Int 2004;75:462-8. / Mitchell DY, Heise MA, Pallone KA, Clay ME, Nesbitt JD, Russell DA, et al. The effect of dosing regimen on the pharmacokinetics of risedronate. Br J Clin Pharmacol 1999;48(4):536-42. / Raisz L, Smith JA, Trahiotis M, Fall P, Shoukri K, Digennaro J, et al. Short-term risedronate treatment in postmenopausal women: effects on biochemical markers of bone turnover.Osteoporos Int 2000;11(7):615-20. / Reginster JY, Minne HW, Sörenson OH, Hooper M, Roux C, Brandi ML, et al, on behalf of the Vertebral Efficacy with Risedronate Therapy (VERT) Study Group. Randomized trial of the effects of risedronate on vertebral fractures in women with established postmenopausal osteoporosis. Osteoporos Int 2000;11(1):83-91.

Interação com outros medicamentos

Os pacientes em estudos clínicos foram expostos a uma ampla variedade de medicações utilizadas concomitantemente (incluindo AINES, bloqueadores H2, inibidores da bomba de prótons, antiácidos, bloqueadores dos canais de cálcio, betabloqueadores, tiazidas, glicocorticóides, anticoagulantes, anticonvulsivantes, glicosídeos cardíacos) sem evidência de interações clinicamente relevantes. Se considerado apropriado, o risedronato sódico pode ser utilizado concomitantemente com terapia de reposição hormonal.
Alimentos, bebidas (exceto água) e drogas contendo cátions polivalentes (tais como: cálcio, magnésio, ferro e alumínio) podem interferir na absorção dos bisfosfonatos e não devem ser administrados concomitantemente ao risedronato sódico de ACTONEL 150 mg. Para alcançar a eficácia planejada, é necessária uma rigorosa adesão às recomendações de uso (ver item Posologia).
O risedronato sódico não é metabolizado sistemicamente, não interfere com as enzimas do citocromo P450 e apresenta baixa ligação protéica.
O uso concomitante com antiácidos pode reduzir a absorção do risedronato sódico. Portanto, esses medicamentos devem ser administrados em diferentes períodos.

Cuidado de armazenamento

ACTONEL 150 mg deve ser mantido dentro da embalagem original, em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C).

Superdose

Nenhuma informação específica está disponível no tratamento de superdosagem aguda com risedronato sódico. Pode-se esperar diminuição no cálcio sérico após superdosagem substancial. Em alguns destes pacientes podem também ocorrer sinais e sintomas de hipocalcemia.
Leite ou antiácidos contendo magnésio, cálcio ou alumínio devem ser administrados para se ligarem ao risedronato sódico e reduzir sua absorção. Em casos de superdosagens substanciais, a lavagem gástrica pode ser considerada para remover o risedronato sódico não absorvido.

Dizeres legais

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
MS 1.1300.0269

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2020.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play