NEOTIGASON

2092 | Laboratório GLENMARK

Descrição

Princípio ativo: Acitretina,
Ação Terapêutica: Antipsoriásicos

Composição

Princípio ativo: acitretina [ácido all-trans-9 (4-metoxi-2,3,6-trimetil-fenil)-3,7-dimetil-2,4,6,8-nonatetraenóico], sob a forma de pó spray-dried contendo gelatina, glicose e ascorbato de sódio. Excipientes: celulose microcristalina.

Apresentação

Cápsulas de 10 mg. Uso oral. Caixas com 30 ou 100 cápsulas.
Cápsulas de 25 mg. Uso oral. Caixas com 30 ou 100 cápsulas.
VIA ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

Indicações

Formas graves de psoríase incluindo: psoríase eritrodérmica, psoríase pustular localizada ou generalizada.
Distúrbios graves de ceratinização como: ictiose congênita, pitiríase rubra pilar, doença de Darier, outros distúrbios de ceratinização resistentes a outras terapias.

Dosagem

Devido às diferenças individuais na absorção e na velocidade do metabolismo da acitretina, a dose deve ser ajustada individualmente. As cápsulas devem ser ingeridas de preferência uma vez ao dia, com alimentos ou com um pouco de leite. O esquema posológico abaixo serve como referência:
Adultos
A dose inicial diária de 25 mg (1 cápsula de 25 mg) ou 30 mg (3 cápsulas de 10 mg) durante 2 a 4 semanas pode produzir resultados satisfatórios.
A dose de manutenção deverá ser estabelecida em função da eficácia clínica e tolerabilidade. Em geral, os melhores resultados são obtidos com doses diárias de 25 a 50 mg tomadas durante seis a oito semanas adicionais. Em alguns casos, pode ser necessário aumentar a dose até o máximo de 75 mg/dia (3 cápsulas de 25 mg).
O tratamento pode ser interrompido naqueles pacientes com psoríase cujas lesões regrediram suficientemente. As recidivas devem ser tratadas como descrito acima.
Nos distúrbios de ceratinização, geralmente é necessária a terapia de manutenção, com a menor dose possível. Esta poderá ser menor que 20 mg/dia, não devendo ultrapassar 50 mg/dia.
Crianças.
A dose deve ser estabelecida dependendo do peso do paciente. A dose diária é de aproximadamente 0,5 mg/kg. Em alguns casos, doses mais altas (até 1 mg/kg/dia) podem ser necessárias por período limitado, até a dose máxima de 35 mg/dia. A dose de manutenção deve ser a mais baixa possível, devido aos eventuais efeitos secundários de longo prazo.
Tratamento combinado
Quando Neotigason® é usado em associação com outros tipos de tratamento, pode ser possível reduzir a dose de Neotigason® , dependendo da resposta individual do paciente. Tratamentos tópicos habituais geralmente podem ser mantidos, e não interferem com o Neotigason®.
Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Contra-indicações

Neotigason® é contraindicado em caso de insuficiência hepática e/ou renal grave e em pacientes com lipidemia excessivamente elevada.
Como tanto o Neotigason® como as tetraciclinas podem aumentar a pressão intracraniana, a administração concomitante é contraindicada (vide item "Interações Medicamentosas").
Tem sido relatado o aumento do risco de hepatite resultante do uso combinado de metotrexato e etretinato (vide item "Interações Medicamentosas"). Consequentemente, a combinação de metotrexato e Neotigason® é contraindicada.
A administração concomitante de Neotigason® e vitamina A ou outros retinóides é contraindicada devido ao risco de hipervitaminose A (vide item "Interações Medicamentosas").
Neotigason® é contraindicado em casos de hipersensibilidade ao medicamento ou a outros retinóides.
Gestação e lactação

Lactação
Este medicamento é contraindicado para uso por lactantes.

Reações Adversas

Efeitos colaterais são observados na maioria dos pacientes que recebem acitretina. No entanto, eles geralmente desaparecem com a redução da dose ou interrupção do tratamento. Às vezes, no início do tratamento, observa-se piora dos sintomas da doença.
Os efeitos indesejáveis mais frequentemente observados são os sintomas de hipervitaminose A, por exemplo, ressecamento dos lábios, que pode ser aliviado aplicando-se uma pomada gordurosa.
As reações adversas relatadas para Neotigason® são apresentadas a seguir, por classe de sistemas de órgãos e frequência:
Infestações e infecções
Reação com frequência desconhecida:
vulvo-vaginite por Candida albicans; leucorreia
Distúrbios do sistema nervoso
Reações comuns ( >1/100 e < 1/10):
cefaleia;
Reações incomuns ( >1/1.000 e < 1/100): tontura;
Reações raras ( >1/10.000 e < 1/1.000): neuropatia periférica;
Reações muito raras ( < 1/10.000): hipertensão intracraniana benigna
Distúrbios oculares
Reações muito comuns ( >1/10):
ressecamento e inflamação de mucosas (como xeroftalmia e conjuntivite) podendo ocasionar intolerância ao uso de lentes de contato;
Reações incomuns ( >1/1.000 e < 1/100): visão borrada;
Reações muito raras ( < 1/10.000): visão noturna reduzida, ceratite ulcerativa;
Reação com frequência desconhecida: hiperemia ocular
Distúrbios do ouvido e labirinto
Reações com frequência desconhecida:
disfunção auditiva, zumbido;
Distúrbios vasculares
Reação com frequência desconhecida:
rubor;
Distúrbios respiratórios, torácicos e mediastinais
Reações muito comuns ( >1/10):
ressecamento e inflamação de mucosas (como epistaxe, rinite);
Distúrbios gastrointestinais
Reações muito comuns ( >1/10):
xerostomia, sede;
Reações comuns ( >1/100 e < 1/10): estomatite, distúrbios gastrointestinais (como dor abdominal, diarreia, náuseas, vômitos);
Reações incomuns ( >1/1.000 e < 1/100): gengivite;
Reações com frequência desconhecida: disgeusia, hemorragia retal; estomatite aftosa, lábios secos
Distúrbios hepatobiliares
Reações incomuns ( >1/1.000 e < 1/100):
hepatite; Reações muito raras ( < 1/10.000): icterícia;
Distúrbios de pele e tecidos subcutâneos
Reações muito comuns ( >1/10):
queilite, prurido, queda de cabelo, descamação em todo o corpo, particularmente da palma das mãos e planta dos pés;
Reações comuns ( >1/100 e < 1/10): fragilidade da pele, pele pegajosa, dermatite, textura anormal do cabelo, unhas quebradiças, paroniquia, eritema;
Reações incomuns ( >1/1.000 e < 1/100): rágades, erupção bolhosa, reação de hipersensibilidade à luz;
Reações com frequência desconhecida: granuloma piogênico;
Distúrbios músculo-esqueléticos e de tecidos conectivos
Reações comuns ( >1/100 e < 1/10):
artralgia, mialgia;
Reações muito raras ( < 1/10.000): dor óssea, exostose. O tratamento de manutenção pode resultar em progressão de hiperostose espinhal pré-existente, aparecimento de novas lesões hiperostóticas e calcificações extraesqueléticas, como tem sido observado no tratamento prolongado com medicamentos derivados de retinóide, utilizados por via oral;
Distúrbios gerais e condições no local de administração
Reações comuns ( >1/100 e < 1/10):
edema periférico;
Investigações
Reações muito comuns ( >1/10):
resultados anormais de testes da função hepática (elevações transitórias e reversíveis das transaminases e fosfatase alcalina); durante o tratamento prolongado e com altas doses de Neotigason® , ocorreram elevações reversíveis de triglicérides e colesterol séricos, especialmente em pacientes de alto risco (distúrbios do metabolismo lipídico, diabetes mellitus, obesidade, alcoolismo). O risco de aterogênese não pode ser excluído caso essas condições persistam.
Em caso de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Precauções

-Neotigason® somente deve ser prescrito por médicos com experiência no uso sistêmico de retinóides e que entendam o risco de teratogenicidade associado à terapia com acitretina. Todas as informações sobre o risco de teratogenicidade e a utilização de métodos contraceptivos devem ser fornecidas pelo médico a todos os pacientes, sejam do sexo feminino ou masculino. Devido ao risco de malformações fetais, o medicamento não deve ser dado a pessoas para as quais ele não foi prescrito.
-Há evidências clínicas de que o uso concomitante de álcool durante o tratamento com Neotigason® potencializa a formação de etretinato, agente altamente teratogênico e com meia-vida mais prolongada (aproximadamente 120 dias) do que a acitretina. O mecanismo deste processo metabólico ainda não foi esclarecido, de modo que não está claro se outras interações são também possíveis. Fica, portanto, proibida a ingestão de álcool (em bebidas, alimentação ou medicamentos) durante e até dois meses após o término da terapia com acitretina e medidas contraceptivas e testes de gravidez devem ser utilizados (vide item "Contraindicações").
-Os triglicérides e colesterol séricos (valores em jejum) devem ser monitorados antes do tratamento, um mês após o início e a cada três meses durante o tratamento, principalmente em pacientes de alto risco (distúrbios do metabolismo lipídico, diabetes mellitus, obesidade, alcoolismo) e durante tratamentos prolongados.
-Em paciente de alto risco (com distúrbios do metabolismo lipídico, diabetes mellitus, obesidade, alcoolismo, ou risco de doenças cardiovasculares) em tratamento com Neotigason®, é necessário monitoramento mais frequente de lipidemia e/ou glicemia e outros indicadores de risco cardiovascular como, por exemplo, pressão arterial. Em diabéticos, os retinóides podem melhorar ou piorar a tolerância à glicose. A glicemia deve, portanto, ser verificada mais frequentemente no estágio inicial do tratamento. Para todos os pacientes de alto risco nos quais os indicadores de risco cardiovascular não retornem ao normal ou piorem, deve ser considerada redução da dose ou descontinuação de Neotigason®.
-Casos raros de hipertensão intracraniana benigna foram relatados. Pacientes com cefaleia intensa, náuseas, vômitos e distúrbios visuais devem descontinuar o tratamento com Neotigason® imediatamente e serem encaminhados para uma avaliação e cuidados neurológicos (vide item "Reações Adversas").
-Adultos, especialmente idosos, em tratamento prolongado com Neotigason® devem ser examinados periodicamente devido à possibilidade de anormalidades ósseas (vide item "Reações Adversas"). Se tais anormalidades ocorrerem, a continuação do tratamento deve ser discutida com o paciente, avaliando-se os riscos e benefícios.
-Método contraceptivo primário é um contraceptivo hormonal combinado ou um dispositivo intrauterino (DIU). Recomenda-se que um preservativo ou diafragma seja também utilizado. Medicamentos com microdoses de progesterona (mini-pílulas) podem ser um método inadequado de contracepção durante o tratamento com Neotigason®, devido a indicações de possíveis interferência com seu efeito contraceptivo.
-Para pacientes do sexo masculino em tratamento com Neotigason®, dados disponíveis com base em níveis de exposição materna ao semen e a fluido seminal indicaram que o risco de efeitos teratogênicos, se existir, é mínimo.
-Deve ser enfatizado que, até o momento, não são conhecidas ainda todas as consequências da administração do Neotigason® em longo prazo.
-Os efeitos da luz UV são potencializados pela terapia com retinóides. Portanto, os pacientes devem evitar excessiva exposição à luz solar e o uso não supervisionado de bronzeamento artificial. Caso necessário, deve ser utilizado filtro solar com alto fator de proteção (pelo menos FPS 15).
-O tratamento com altas doses de retinóides pode causar alterações de humor, incluindo irritabilidade, agressividade e depressão.
Idosos
Não há recomendações específicas em função da idade do paciente adulto.
Crianças
Devido aos efeitos secundários graves que podem ocorrer com a administração prolongada do Neotigason®, os riscos e benefícios devem ser cuidadosamente avaliados. Neotigason® deve ser utilizado apenas quando todas as alternativas terapêuticas forem inadequadas. Ocasionalmente foram reportados casos de alterações ósseas em crianças, incluindo fechamento prematuro da epífise, hiperostose esquelética e calcificação extra-esquelética após tratamento prolongado com etretinato. Estes efeitos podem ser esperados com acitretina também. Portanto, os parâmetros de crescimento e desenvolvimento ósseos em crianças devem ser cuidadosamente monitorados. A dose deve ser estabelecida de acordo com o peso do paciente (vide item "Posologia").
Insuficiência hepática e/ou renal
Neotigason®
é contraindicado nos casos de insuficiência hepática e/ou renal graves.
A função hepática deve ser examinada antes do tratamento com Neotigason®,a cada uma ou duas semanas durante os dois primeiros meses do tratamento e, subsequentemente, a cada três meses. Caso sejam obtidos resultados anormais, devem ser instituídas avaliações semanais. Se a função hepática não retornar ao normal ou piorar, Neotigason® deverá ser suspenso. Nesses casos, recomenda-se continuar monitorando a função hepática durante pelo menos três meses (vide item "Reações Adversas").
Efeitos sobre a capacidade de dirigir e operar máquinas
Tem sido relatada redução da visão noturna durante o tratamento com Neotigason® (vide item "Reações Adversas"). Os pacientes devem ser avisados da possibilidade desse efeito e alertados para terem cuidado ao dirigirem ou operarem veículos à noite. Problemas visuais devem ser monitorados cuidadosamente.
Descarte de medicamentos não utilizados e/ou com data de validade vencida
O descarte de medicamentos no meio ambiente deve ser minimizado. Os medicamentos não devem ser descartados no esgoto e o descarte em lixo doméstico deve ser evitado. Utilize o sistema de coleta local estabelecido, se disponível.
Até o momento não há informações de que acitretina possa causar doping.

Resultados de eficácia

Em estudos realizados por Ott, 38 de 79 pacientes haviam sido tratados previamente com etretinato. Em todos os pacientes, os efeitos terapêuticos com acitretina, quando comparados aos do etretinato, foram avaliados como melhores em 10 casos, equivalentes em 19 e com resultado inferior em 10 casos.1
Estudos evidenciaram que a acitretina foi eficaz em uma grande variedade de dermatoses além da psoríase: ictioses, queratose folicular, queratodermia palmoplantar, líquen plano e erupções liquenóides, dermatoses pustulares, eczema e prurigo, desordens malignas e pré-malignas entre outras.1
Acitretina é efetiva para o tratamento da psoríase usada isoladamente e em combinação com outros tratamentos. Quando usada em monoterapia, é o agente mais eficaz para as formas graves da doença (psoríase pustular e eritrodérmica).2 A análise de resultados por subtipo de psoríase confirma a eficácia singular de acitretina para os tipos pustular e eritrodérmico, com remissão ou acentuada melhora em 100% dos pacientes com psoríase pustular e 83,3% dos pacientes com psoríase eritrodérmica.3
Em estudo clínico avaliando 14 pacientes com psoríase vulgar e uso diário de 30-50 mg/dia de acitretina, após 12 semanas ocorreu remissão completa em 6 de 14 pacientes e melhora significativa em outros 7. A redução média do PASI (índice de severidade e gravidade da psoríase) foi superior a 90%.3
Em estudo aberto realizado por Murray e colaboradores, foram avaliados 63 pacientes com dose média diária de 41mg/dia. Após 12 semanas, houve redução do PASI em 57%; ao final de 12 meses, a redução foi de 76%.3
Referências bibliográficas
1.Geiger JM,Czarnetzki BM.Acitretin:overall evalution of clinical studies.Dermatologica 1988; 176:182-190. 2.Lebwohl M.Acitretin in combination with UVB or PUVA.J Am Acad Dermatol 1999;41:S22-4. 3.Ling MR.Acitretin:optimal dosing strategies.J Am Acad Dermatol 1999;41:S13-17.

Interação com outros medicamentos

-A administração concomitante de vitamina A e outros retinóides deve ser evitada devido ao risco de hipervitaminose A (vide item "Contraindicações").
-Estudos sobre o efeito do Neotigason® na ligação protéica dos anticoagulantes do tipo cumarínico (varfarina) demonstraram não haver interação.
-No tratamento simultâneo com a fenitoína, deve-se lembrar que Neotigason® reduz parcialmente a ligação protéica da fenitoína. A relevância clínica deste efeito ainda é desconhecida.
-Metotrexato, tetraciclina (vide item "Contraindicações").
-Microdoses de progesterona ou mini-pílulas (vide item "Advertências e Precauções").
-Interações adicionais entre Neotigason® e outros medicamentos (por exemplo: digoxina, cimetidina, anticoncepcionais orais de estrogênio e progesterona combinados) não foram observadas até o momento.
-Em um estudo com voluntários saudáveis, o uso concomitante de uma única dose de acitretina e etanol levou à formação de etretinato. Isso foi geralmente observado in vitro. Em estudos recentes, a formação de etretinato tem sido observada também em alguns pacientes tratados com Neotigason® . Até que esse fenômeno seja totalmente explicado, o comportamento farmacocinético do etretinato deve ser levado em consideração. Portanto, como a meia-vida de eliminação de etretinato é de aproximadamente 120 dias, medidas contraceptivas devem ser realizadas durante 3 anos após completar o tratamento com Neotigason® (vide item "Advertências e Precauções").

Cuidado de armazenamento

Neotigason® deve ser armazenado em temperaturas abaixo de 25°C e protegido da umidade.
Características físicas e organolépticas
Neotigason® 10 mg apresenta cápsulas de cor branca opaca contendo pó amarelado e Neotigason® 25 mg apresenta cápsulas de cor amarela opaca contendo pó amarelado.
Neotigason ® não apresenta características organolépticas marcantes que permitam sua diferenciação em relação a outras cápsulas.
Prazo de validade
Este medicamento tem prazo de validade de 36 meses a partir da data de fabricação.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Superdose

Em casos de superdose aguda, Neotigason® deve ser interrompido imediatamente. Sintomas de superdose são idênticos aos da hipervitaminose A, isto é, cefaleia, vertigem, náuseas ou vômitos, sonolência, irritabilidade e prurido. Tratamento específico não é necessário devido à baixa toxicidade aguda do medicamento.
Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Dizeres legais

MS-1.0100.0543
USO RESTRITO A HOSPITAIS
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA. SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DE RECEITA.
ATENÇÃO:
RISCO PARA MULHERES GRÁVIDAS, CAUSA GRAVES DEFEITOS NA FACE, NAS ORELHAS, NO CORAÇÃO E NO SISTEMA NERVOSO DO FETO.
Fonte: Bulário Eletrônico da Anvisa, 13/08/12.

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2021.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play