DAONIL

1809 | Laboratório SANOFI-AVENTIS

Descrição

Princípio ativo: Glibenclamida,
Ação Terapêutica: Hipoglicemiantes orais e injetáveis

Composição

Glibenclamida.

Indicações

É indicado para o tratamento oral do diabetes mellitus não insulino-dependente (Tipo 2 ou diabetes do adulto).

Dosagem

Via oral. Dose Inicial e Titulação da Dose: Dose inicial usual: 1/2 a 1 comprimido de DAONIL 5 mg uma vez ao dia. Se necessário, a dose diária pode ser aumentada gradativamente, isto é, em incrementos de no máximo meio comprimido de DAONIL 5 mg em intervalos de uma a duas semanas, e que este aumento seja guiado através do monitoramento da glicemia plasmática. Para informações mais detalhadas recomenda-se a leitura da bula completa.

Contra-indicações

Pacientes com diabetes mellitus insulino-dependente (Tipo 1 ou diabetes juvenil), por exemplo diabéticos com histórico de cetoacidose; no tratamento de cetoacidose diabética; no tratamento de pré-coma ou coma diabético; em pacientes com disfunção grave dos rins; em pacientes com disfunção grave do fígado; em pacientes com alergia à glibenclamida ou a qualquer um dos componentes da fórmula; em mulheres grávidas; em mulheres que amamentam; pacientes tratados com bosentana, pacientes com disfunção renal e/ou hepática graves. É contra-indicado na faixa etária pediátrica.

Reações Adversas

Distúrbios de Metabolismo e Nutrição: Hipoglicemia, às vezes prolongada e até mesmo com risco de vida, pode ocorrer como resultado da ação redutora da glicose sanguínea de DAONIL. Isto ocorre quando existe um desequilíbrio entre a dose de DAONIL e a ingestão de carboidratos (dieta), a realização de exercício físico e outros fatores que interfiram no metabolismo. Os possíveis sintomas de hipoglicemia incluem: dor de cabeça, fome exagerada, náusea, vômito, cansaço, sonolência, distúrbios do sono, inquietação, agressividade, incapacidade de concentração, vigilância e reação, depressão, confusão, distúrbios de fala, afasia, distúrbios visuais, tremor, paresia, distúrbios sensoriais, tontura, desamparo, perda do auto-controle, delírio, convulsões cerebrais, e perda de consciência incluindo coma, respiração superficial e bradicardia. Além disso, sinais da falta de contra-regulação adrenérgica, tais como sudorese, pele pegajosa, ansiedade, taquicardia, hipertensão, palpitações, angina pectoris e arritmias cardíacas podem estar presentes. Os sintomas de hipoglicemia quase sempre diminuem quando a hipoglicemia é corrigida. Distúrbios Visuais: Especialmente no início do tratamento podem ocorrer distúrbios visuais temporários devido a alteração dos níveis de glicose sanguínea. A causa é uma alteração temporária na turgidez e portanto do índice refrativo das lentes, o qual é dependente da glicemia. Distúrbios Gastrintestinais: náuseas, vômitos, sensação de plenitude gástrica ou peso no epigastro, dor abdominal e diarréias podem ocorrer. Em casos isolados, pode haver hepatite, elevação do nível das enzimas hepáticas e/ou colestasia e icterícia, as quais podem regredir depois da suspensão de DAONIL, embora possam levar a risco de vida por insuficiência hepática. Distúrbios Hematológicos e no Sistema Linfático: Podem incluir raros casos de trombocitopenia (púrpura) de leve a severa e, em casos isolados, anemia hemolítica, eritrocitopenia, leucopenia, granulocitopenia, granulocitose e pancitopenia (devido a mielossupressão). Distúrbios Gerais: Ocasionalmente, reações pseudoalérgicas e alérgicas podem ocorrer na forma de prurido e rash. Em casos isolados, reações leves em forma de urticária, podem evoluir para reações sérias e graves que implicam em risco de vida com dispnéia e queda da pressão arterial, algumas vezes, evoluindo para choque. A reação de hipersensibilidade pode ser diretamente devido a glibenclamida, mas também pode ser engatilhada pelos excipientes. A alergia aos derivados de sulfonamida também pode ser responsável por reações alérgicas à glibenclamida. Em casos isolados pode surgir vasculite alérgica e, em algumas circunstâncias, pode implicar em risco de vida. Em casos isolados, pode ocorrer hipersensibilidade da pele à luz e pode haver redução da concentração sérica de sódio. Se estas reações ocorrerem, o médico deve decidir se a terapia com DAONIL deve ser descontinuada ou não.

Interação com outros medicamentos

O uso concomitante de DAONIL com outros fármacos ou bebidas alcoólicas pode levar à atenuação ou aumento indesejado de sua ação hipoglicemiante. Associações não recomendadas: Bosentana, Potencialização do efeito hipoglicemiante de DAONIL, em alguns casos hipoglicemia, pode ocorrer quando se usa os seguintes medicamentos: Insulina e outros hipoglicemiantes orais, inibidores da ECA, esteróides anabolizantes e hormônios sexuais masculinos, cloranfenicol, derivados cumarínicos, ciclofosfamida, disopiramida, fenfluramina, feniramidol, fibratos, fluoxetina, ifosfamidas, inibidores da MAO, miconazol, ácido paramino-salicílico, pentoxifilina (uso parenteral em altas doses), fenilbutazona, azapropazone, oxifembutazona, probenicida, quinolonas; salicilatos, sulfimpirazona, sulfonamidas, agentes simpatolíticos tais como beta-bloqueadores, e guanetidina, claritromicina, tetraciclina, tritoqualina, trofosfamida. A atenuação do efeito hipoglicemiante de DAONIL e conseqüente elevação do nível de glicose pode ocorrer quando há o uso concomitante dos seguintes medicamentos: Acetazolamida, barbitúricos, corticosteróides, diazóxido, diuréticos, epinefrina (adrenalina) e outras medicações simpaticomiméticas, glucagon, laxativos (após uso prolongado), ácido nicotínico (em altas doses), estrogênio e progestágenos, fenotiazínicos, fenitoína, hormônios tireoidianos e rifampicina. Pode ocorrer potencialização ou redução de efeito de DAONIL em pacientes fazendo uso concomitante de antagonistas do receptor H2, clonidina e reserpina. Sob a influência de drogas simpatolíticas, tais como beta-bloqueadores, clonidina, guanetidina e reserpina, os sinais da contra-regulação adrenérgica da hipoglicemia podem ser reduzidos ou tornarem-se ausentes. A ingestão aguda e crônica do álcool pode potencializar ou enfraquecer a ação hipoglicemiante de DAONIL de modo imprevisível. O uso de DAONIL pode potencializar ou diminuir os efeitos dos derivados cumarínicos. DAONIL pode elevar a concentração plasmática da ciclosporina e potencialmente levar a um aumento da sua toxicidade. Portanto, recomenda-se o monitoramento e um ajuste na dose da ciclosporina quando estes medicamentos forem co-administrados.

Dizeres legais


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.
Reg. M.S.: 1.1300.0032.

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play