HYDERGINE

3322 | Laboratório NOVARTIS

Descrição

Princípio ativo: Codergocrina,
Ação Terapêutica: Vasodilatadores centrais e periféricos

Composição

O princípio ativo de Hydergine® é o mesilato de codergocrina que consiste de partes iguais dos mesilatos de dihidroergocornina, di-hidroergocristina e di-hidroergocriptina (alfa-di-hidroergocriptina e beta-di-hidroergocriptina na proporção de 2 para 1). Cada comprimido de 4,5 mg contém: 4,5 mg de mesilato de codergocrina. Excipientes: estearato de magnésio, povidona, talco, amido e lactose. Excipientes: metilparabeno, propilparabeno, acetato de sódio tri-hidratado, ácido acético, álcool etílico e água. A solução oral 1mg/ mL contém: 1,0 mg de mesilato de codergocrina por 1,0 mL. Excipientes: glicerina, álcool etílico, propilenoglicol e água. Cada cápsula de 1 mg contém: 1,0 mg de mesilato de codergocrina. Excipientes: lactose, talco e silicone. Cada ampola de 0,3 mg/ mL contém: 0,3 mg de mesilato de codergocrina. Excipientes: álcool etílico, cloreto de sódio, ácido metanosulfônico e água. A graduação alcoólica da solução injetável é de 2,0 mg/mL e da solução oral 1mg/mL é de 249,0 mg/mL.

Apresentação

Embalagens com 36 cápsulas de 1 mg.
Embalagens com 14 comprimidos de 4,5 mg.
Embalagens contendo um frasco com 30 mL de solução oral 1 mg/ mL.
Embalagens com 50 ampolas de 1 mL de solução injetável 0,3 mg/ mL.
VIA ORAL / PARENTERAL
USO ADULTO

Indicações

• Sinais e sintomas de deterioração mental, especialmente aqueles relacionados ao envelhecimento: tontura, cefaleia, pouca concentração, desorientação, comprometimento da memória, falta de iniciativa, depressão do humor, insociabilidade, dificuldades com as atividades diárias e cuidados pessoais.
• Doença vascular cerebral aguda.
• Distúrbios vasculares periféricos.
• Sintomas subjetivos associados a hipertensão arterial.

Dosagem

Via Oral
• 3 a 6 cápsulas ou 3 a 6 mL da solução oral de 1 mg/ mL, divididas em 3 doses diárias, preferencialmente antes das refeições, ou em dose única diária.
Nos pacientes com deterioração mental, o alívio dos sintomas é normalmente gradual, manifestando-se após 3 a 4 semanas. Nestes casos, recomenda-se uma terapia prolongada (3 meses ou mais) e o tratamento pode ser repetido conforme for necessário.
Via parenteral
• Em distúrbios cerebrovasculares agudos (especialmente quando associados à hipertensão) utiliza-se a via parenteral inicialmente em associação à oral. Indica-se 0,3 mg (1 mL) por infusão gota a gota ou injeção endovenosa lenta (em 20 mL de solução glicosada ou salina), uma ou duas vezes ao dia. Podem-se utilizar como alternativas as vias subcutânea ou intramuscular, administrando-se 0,3 mg (1 mL) uma ou mais vezes ao dia.
• Em casos graves de moléstias vasculares periféricas, também deve-se associar ao tratamento oral 0,3 a 0,6 mg (1 a 2 mL), por via intramuscular ou subcutânea, uma ou duas vezes ao dia. Quando necessário, pode-se administrar por via intra-arterial (0,3 a 0,6 mg = 1 a 2 mL) preferencialmente diluído em 10 a 20 mL de solução salina.
Pacientes com insuficiência hepática moderada a grave devem ser adequadamente monitorados. Uma dose inicial mais baixa pode ser considerada e uma dose de manutenção mais baixa pode ser requerida.
Como não existem estudos de compatibilidade a solução injetável de Hydergine®, não deve ser misturado com outros medicamentos.
Os comprimidos e cápsulas não devem ser partidos, abertos ou mastigados.

Contra-indicações

Hipersensibilidade conhecida ao mesilato de codergocrina ou a qualquer outro excipiente de Hydergine®.

Reações Adversas

As reações adversas estão apresentadas na Tabela 1 e dispostas de acordo com a frequência, sendo as mais frequentes listadas primeiro, utilizando-se a seguinte convenção: muito comuns (?1/10); comuns (?1/100, < 1/10); incomuns (?1/1.000, < 1/100); raras (?1/10.000, < 1/1.000); muito raras ( < 1/10.000), incluindo casos isolados.
Tabela 1:
Distúrbios do sistema nervoso
Raras: Vertigens, cefaleia
Distúrbios cardíacos
Rara: Bradicardia
Distúrbios vasculares
Rara: Hipotensão (particularmente após administração parental)
Distúrbios respiratórios, torácicos e mediastinais
Rata: Obstrução nasal
Distúrbios gastrintestinais
Raras: Náuseas, desconforto estomacal, vômito e diarréia
Muito rara: Fibrose retroperitoneal
Distúrbios de pele e tecido subcutâneo
Rara: Rash (erupção cutânea)
Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária - NOTIVISA, disponível em www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm,ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.

Precauções

É necessário cautela em pacientes com bradicardia grave.
Pacientes com insuficiência hepática moderada a grave devem ser adequadamente monitorados. Uma dose inicial mais baixa pode ser considerada e uma dose de manutenção mais baixa pode ser requerida.
A pressão arterial pode cair e deve, portanto, ser verificada após a administração parenteral.
Hydergine® comprimidos contém lactose e não é recomendado a pacientes com problemas hereditários raros de intolerância à galactose, deficiência de lactase ou má-absorção de glicose-galactose.
É preciso cautela quando Hydergine® é administrado a pacientes que apresentam patologias do sistema nervoso central, relacionadas ao sistema dopaminérgico e serotoninérgico.
Gravidez
Em animais, foi demonstrado que o mesilato de codergocrina e os alcaloides do ergot 9-10 di-hidrogenados possuem pouca influência no desenvolvimento embrionário ou fetal e isso está correlacionado aos seus potenciais reduzidos de vasoconstrição em comparação com os alcaloides do ergot insaturados.
Os dados sobre o uso de mesilato de codergocrina em mulheres grávidas são muito limitados. Casos isolados de malformações fetais têm, contudo, sido relatados e Hydergine® não deve ser utilizado durante a gravidez.
Este medicamento pertence à categoria de risco na gravidez D, portanto, este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe imediatamente seu médico em caso de suspeita de gravidez.
Lactação
Não se sabe se mesilato de codergocrina passa para o leite materno, mas é provável que sim porque outros alcaloides passam para o leite materno. O mesilato de codergocrina tem propriedades de agonista dopaminérgico e a dihidroergocriptina (um dos seus constituintes) demonstrou inibir a lactação. Hydergine® não deve, portanto, ser administrado a mulheres que estejam amamentando.
Efeitos sobre a habilidade de dirigir e operar máquinas
Hydergine® pode causar vertigens, portanto deve-se ter cautela ao dirigir ou operar máquinas. Pacientes que apresentarem vertigens não devem dirigir ou operar máquinas.

Resultados de eficácia

Ensaios clínicos controlados mostraram que Hydergine® é eficaz na melhora de muitos dos sintomas de deterioração mental, especialmente sintomas relacionados à idade, nas áreas de cuidado pessoal, comportamento social, estado emocional e desempenho mental.
Hydergine® também tem um efeito estabilizador sobre o tom dos vasos cranianos, que explica a sua efeito profilático da enxaqueca.
Considera-se que seu efeito benéfico em distúrbios vasculares periféricos e em sintomas subjetivos associados a hipertensão arterial seja devido a seu efeito dilatador sobre os esfíncteres pré-capilares e sua atividade alfa-bloqueadora.
Referência Bibliográfica
Weil, C. Hydergine® -Pharmacologic and clinical facts. Editor: Springer-Verlag, 1988.

Interação com outros medicamentos

Componentes do mesilato de codergocrina tem demonstrado ser tanto substratos quanto inibidores do CYP3A4 (vide "Farmacocinética").
Precaução é, portanto, requerida quando mesilato de codergocrina é utilizado concomitantemente com inibidores potentes da CYP3A4 - como antibióticos macrolídeos (por ex.: troleandomicina, eritromicina, claritromicina), inibidores de HIV protease ou de transcriptase reversa (por ex.: ritonavir, indinavir, nelfinavir, delavirdina), ou antifúngicos azólicos (por ex.: cetoconazol, itraconazol, voriconazol) - pois a exposição à codergocrina pode aumentar e efeitos predominantemente dopaminérgicos exacerbados podem ser induzidos.

Cuidado de armazenamento

Cuidados de armazenamento:
Hydergine® comprimido deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C) e protegido da luz. Seu prazo de validade é de 24 meses a partir da data de fabricação.
Hydergine® solução oral 1,0 mg / mL deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C) e protegido da luz. Seu prazo de validade é de 36 meses a partir da data de fabricação.
Hydergine® cápsula deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Seu prazo de validade é de 36 meses a partir da data de fabricação.
Hydergine® solução injetável deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C) e protegido da luz. Seu prazo de validade é de 36 meses a partir da data de fabricação.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
Características físicas
Hydergine® comprimido é branco e redondo.
Hydergine® 1 mg são cápsulas alongadas com corpo amarelo e tampa vermelha amarronzada.
Hydergine® solução injetável é límpida e incolor.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Superdose

Há um número pequeno de relatos de superdose com Hydergine®. A maioria dos casos foram assintomáticos ou envolviam sintomas inespecíficos e não graves. Há relatos isolados de alucinações.
No caso de superdose, é recomendada a administração de carvão ativado. O tratamento deve ser sintomático.
Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

Dizeres legais

MS -1.0068.0064
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Esta bula foi aprovada pela Anvisa em 07/02/2013
Fonte: Bulário Eletrônico da Anvisa, 10/09/2013.

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play