ROACUTAN

1615 | Laboratório ROCHE

Descrição

Princípio ativo: Isotretinoína,
Ação Terapêutica: Antiacneicos

Composição

Cada cápsula de ROACUTAN® 10 mg contém: Ingrediente ativo:13-cis-retinóico 10 mg. Cada cápsula de ROACUTAN® 20 mg contém:Ingrediente ativo:13-cis-retinóico. 20 mg. Excipientes:óleo de soja, cera amarela, óleo de soja hidrogenado,óleo de soja parcialmente hidrogenado, gelatina, glicerol 85%, Karion 83, dióxido de titânio e óxido de ferro vermelho.

Apresentação

Cápsulas gelatinosas de 10 mg e 20 mg. Uso oral. Caixa com 30 cápsulas.

Indicações

ROACUTAN® está indicado no tratamento de formas graves de acne (nódulo-cística e conglobata e acne com risco de cicatrizes permanentes) e quadros de acne resistentes a terapêuticas anteriores (antibióticos sistêmicos e agentes tópicos).

Dosagem

ROACUTAN® somente deve ser prescrito por médicos que tenham experiência no uso de retinóides sistêmicos e entendam o risco de teratogenicidade associado ao tratamento com isotretinoína. Pacientes do sexo masculino e feminino devem receber uma cópia do guia do paciente e guia de contracepção. A resposta terapêutica ao ROACUTAN® e seus efeitos adversos são dose-dependentes, variando de acordo com o paciente. Há necessidade de ajuste individual da dosagem durante o tratamento. O tratamento com ROACUTAN® deve ser iniciado com 0,5 mg/kg diário. Para a maioria dos pacientes, a dose varia de 0,5-1,0 mg/kg/dia. Pacientes com doença muito grave ou com acne em tronco podem necessitar de doses diárias maiores, até 2,0 mg/kg. A dose cumulativa de 120-150 mg/kg por tratamento tem sido documentada para aumentar a taxa de remissão e prevenir recorrência. A duração da terapêutica, portanto, varia em função da dose diária. Remissão completa da acne ocorre geralmente nas 16-24 semanas de tratamento. Em pacientes que apresentam intolerância grave à dose recomendada, o tratamento pode ser mantido com doses menores e conseqüentemente durante um período maior de tratamento. Na maioria dos pacientes a resolução completa da acne é obtida com um único curso de tratamento. No caso de recorrência evidente, um novo curso de tratamento com ROACUTAN® deve ser prescrito, com a mesma dose diária e dose cumulativa prévia. Como ainda pode ser observada melhora da acne até 8 semanas após o término do tratamento, o retratamento não deve ser iniciado antes deste período. As cápsulas deverão ser ingeridas com alimentos, uma ou duas vezes ao dia. Instruções de dosagem especial: Em pacientes com insuficiência renal grave o tratamento deve ser iniciado com uma dose menor (p.e., 10 mg/dia) e ajustado individualmente de acordo com a tolerabilidade. A dose deverá ser aumentada até 1mg/kg/dia ou até a dose diária máxima tolerada pelo paciente.

Contra-indicações

ROACUTAN®é contra-indicado nos seguintes casos: gravidez [em mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento, a menos que essas pacientes satisfaçam todos os critérios de contracepção exigidos (vide "Gravidez e lactação")], mulheres no período de lactação, insuficiência hepática, hipervitaminose A preexistente, pacientes fazendo uso concomitante de tetraciclinas e derivados, pacientes com valores lipídicos sangüíneos excessivamente elevados. ROACUTAN® é também contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade à droga ou a algum de seus componentes. ROACUTAN® contém óleo de soja, óleo de soja parcialmente hidrogenada e óleo de soja hidrogenada. Portanto, ROACUTAN® está contra-indicado em pacientes alérgicos à soja.

Reações Adversas

Alguns dos efeitos adversos do ROACUTAN® são dose-dependentes. Com a dose recomendada, o risco-benefício é geralmente aceitável, considerando a gravidade da doença. Os efeitos adversos são geralmente reversíveis com a alteração da dose ou interrupção do tratamento, alguns podem persistir após a suspensão da medicação. Os eventos adversos listados a seguir refletem a experiência de estudos investigacionais e de pós-comercialização. A relação de alguns desses eventos com a terapia com ROACUTAN® é desconhecida. Muitos desses efeitos são semelhantes aqueles observados em pacientes que utilizam altas doses de vitamina A (ressecamento da pele e membranas mucosas, por exemplo, dos lábios, passagem nasal e olhos). Sintomas relacionados com hipervitaminose A:os seguintes sintomas são os efeitos indesejáveis mais freqüentemente relatados do ROACUTAN® - secura de pele e mucosas, isto é, de lábios, mucosa nasal (epistaxe), faringe (rouquidão), olhos (conjuntivite, opacidade da córnea, e intolerância a lentes de contato). Pele e anexos:exantema, prurido, dermatite facial, sudorese, granuloma piogênico, paroníquia, distrofia ungueal, aumento na formação de tecidos de granulação, adelgaçamento de cabelos, alopecia reversível, acne fulminante, hirsutismo, hiperpigmentação, fotossensibilidade, reações alérgicas, fragilidade cutânea. Piora da acne ocorre no início do tratamento e persiste durante várias semanas. Desordens do sistema músculo-esquelético:mialgia (dores musculares) com ou sem aumento da CPK (vide "Advertências e Precauções"), artralgia (dores articulares), hiperostose, artrite, calcificação dos ligamentos e tendões e outras alterações ósseas, redução na densidade óssea, lombalgia, fechamento epifisário prematuro, tendinite. Desordens do sistema nervoso central e psiquiátricas:alterações comportamentais, cefaléia, aumento da pressão intracraniana (pseudotumor cerebral), convulsões, depressão (vide "Advertências e precauções"), tentativa de suicídio, suicídio Embora a relação causal não tenha sido estabelecida, cuidados especiais devem ser dados para pacientes com história de depressão e todos os pacientes devem ser monitorizados para sinais de depressão e encaminhados para o tratamento apropriado, se necessário. Desordens sensoriais:casos isolados de distúrbios visuais, fotofobia, distúrbios da adaptação ao escuro (visão noturna diminuída), raros distúrbios visuais de cor (reversível com a descontinuação), catarata lenticular, ceratite, visão turva, blefarite, conjuntivite, irritação ocular, papiledema como sinal de hipertensão intracraniana benigna, redução da audição em algumas freqüências e zumbido, tem sido reportados. Desordens do sistema gastrintestinal:náusea, diarréia grave, doença inflamatória intestinal como colite, ileíte e hemorragia têm sido relatadas. Pacientes tratados com ROACUTAN® especialmente aqueles com altos níveis de triglicérides apresentam risco de desenvolverem pancreatite. Pancreatite fatal tem sido raramente relatada (vide "Recomendações"). Desordens hepáticas e biliares:elevações transitórias e reversíveis de transaminases hepáticas, alguns casos de hepatite. Em muitos desses casos, as alterações ocorreram dentro da variação normal e os valores retornaram aos níveis basais durante o tratamento. Em outros casos, entretanto, foi necessário reduzir a dose ou descontinuar o tratamento com ROACUTAN®. Desordens do sistema respiratório:broncoespasmo tem sido raramente relatado; algumas vezes em pacientes com uma história prévia de asma. Desordens sangüíneas: diminuição da contagem de células brancas sangüíneas, neutropenia, alterações de células vermelhas (como redução da contagem de células vermelhas e hematócrito), anemia, elevação da taxa de sedimentação, aumento nas plaquetas ou diminuição da contagem plaquetária (trombocitopenia). Achados laboratoriais:aumento de triglicérides e colesterol séricos, diminuição de HDL, hiperuricemia. Raros casos de diabetes têm sido diagnosticados (vide "Advertências e Precauções"). Infecções:infecções locais ou sistêmicas por microorganismos gram-positivos (Staphylococcus aureus). Outras reações:linfadenopatia, vasculite (por exemplo, granulomatose de Wegener), vasculite alérgica, reações alérgicas, hipersensibilidade sistêmica, hematúria e glomerulonefrite.

Interação com outros medicamentos

Terapêutica concomitante de ROACUTAN® e vitamina A deve ser evitada, pois os sintomas de hipervitaminose A podem ser intensificados. Raros casos de hipertensão intracraniana benigna, "pseudotumor cerebral", têm sido relatados, alguns deles envolvendo o uso concomitante de tetraciclinas e derivados. Portanto, tratamento concomitante com tetraciclina deve ser evitado. Microdoses de progesterona é um método contraceptivo inadequado durante o tratamento com isotretinoína. A terapia combinada com carbamazepina ou fenintoína e isotretinoína pode resultar em redução na concentração plasmática de carbamazepina ou fenintoína, sendo recomendada a monitorização dos níveis séricosde carbamazepina ou fenintoína, durante o tratamento com isotretinoína.

Superdose

Sinais de hipervitaminose A podem aparecer em casos de superdosagem. Lavagem estomacal pode ser indicada nas primeiras horas após a superdosagem.
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA.
ATENÇÃO: RISCO PARA MULHERES GRÁVIDAS, CAUSA GRAVES DEFEITOS NA FACE, NAS ORELHAS, NO CORAÇÃO E NO SISTEMA NERVOSO DO FETO.
Reg. M.S.: 1.0100.0182.

Informação para o paciente

Solicitamos a gentileza de ler cuidadosamente as informações a seguir. Caso não esteja seguro a respeito de determinado item, favor informar ao seu médico. 1. AÇÃO DOMEDICAMENTO. O ROACUTAN® contém em sua fórmula uma substância derivada da vitamina A - a isotretinoína. A melhora clínica da acne grave está associada à supressão da atividade e diminuição do tamanho das glândulas produtoras de sebo. O tempo médio de início de ação farmacológica com repercussão clínica é variável, mas estimado entre 8-16 semanas. 2.INDICAÇÕES DO MEDICAMENTO. O ROACUTAN® deve ser usado somente para o tratamento de formas graves de acne (nódulo-cística e conglobata ou acne com risco de cicatrizes permanentes) e quadros de acne resistentes a tratamentos anteriores (antibióticos sistêmicos e agentes de uso tópico). 3. RISCOS DO MEDICAMENTO. Contra-indicações:ROACUTAN®é contra-indicado para mulheres com potencial de engravidar a menos que a paciente do sexo feminino satisfaça todas as condições a seguir: ela deve ter acne grave resistente às terapêuticas convencionais; ela deve ser confiável na compreensão e cumprimento das instruções; ela deve ser informada pelo médico sobre o perigo de engravidar durante e até 1 mês após o término do tratamento com ROACUTAN®; ela deve ser advertida sobre a possibilidade de falha do método anticoncepcional; ela deve confirmar que compreendeu as precauções; ela deve ser capaz de usar medidas contraceptivas eficazes mandatórias; ela deve usar contracepção eficaz sem interrupção durante 1 mês antes do início da terapêutica com ROACUTAN®, durante a terapêutica e até 1 mês após a descontinuação da terapêutica (vide "Precauções"); ela deve ter um teste de gravidez confiável negativo no mínimo 11 dias antes de iniciar a terapêutica. Recomenda-se fortemente a repetição mensal do teste de gravidez; ela deve iniciar a terapêutica com ROACUTAN® somente no 2° ou 3° dia do próximo ciclo menstrual normal; no caso de repetição do tratamento, ela deverá também utilizar as mesmas medidas anticoncepcionais eficazes e de modo contínuo 1 mês antes, durante e até 1 mês após a terapêutica com ROACUTAN® e os mesmos testes confiáveis de gravidez devem ser realizados; ela deve ter entendido as precauções e confirmado seu entendimento e sua vontade de submeter-se a medidas contraceptivas confiáveis como foi explicado para ela. Mesmo pacientes do sexo feminino que normalmente não utilizam métodos anticoncepcionais devido à história de infertilidade (exceto no caso de histerectomia) ou que dizem não apresentar atividade sexual devem ser aconselhadas a usar medidas contraceptivas eficazes enquanto receberem isotretinoína, seguindo as instruções anteriores. ROACUTAN® está também contra-indicado em pacientes com insuficiência hepática, hipervitaminose A preexistente, valores lipídicos sangüíneos excessivamente elevados, alergia à droga ou a qualquer substância contida na cápsula. Advertências e Precauções: A doação de sangue deve ser evitada durante e até um mês após o término do tratamento com ROACUTAN®. Depressão, sintomas psicóticos e raras tentativas de suicídio foram relatados nos pacientes tratados com ROACUTAN®. Embora uma relação causal não tenha sido estabelecida, cuidados especiais precisam ser tomados em pacientes com história de depressão e todos pacientes devem ser supervisionados quanto à ocorrência de sinais de depressão e encaminhados para tratamento apropriado, se necessário. Principais interações medicamentosas:O uso de ROACUTAN® e vitamina A deve ser evitado, pois os sintomas de hipervitaminose A podem ser intensificados. Como o uso de tetraciclinas e derivados junto com ROACUTAN® pode causar uma elevação na pressão intracraniana, sua combinação com ROACUTAN® é contra-indicada. A terapia combinada com carbamazepina ou fenintoína e isotretinoína pode resultar em redução na concentração plasmática de carbamazepina ou fenintoína, sendo recomendada a monitorização dos níveis séricos de carbamazepina ou fenintoína, durante o tratamento com isotretinoína. Microdoses de progesterona como método contraceptivo pode ser inadequado durante o tratamento com ROACUTAN®. ROACUTAN® não deve ser utilizado por outras vias que não a recomendada nesta bula. Gravidez e amamentação:O ROACUTAN® é teratogênico, isto é, pode ocasionar graves defeitos físicos ao feto quando ocorrer gravidez durante o seu uso ou mesmo até um mês após sua interrupção. Por este motivo, ROACUTAN® não deve ser tomado por mulheres grávidas ou que possam engravidar. No caso de gravidez durante a administração de ROACUTAN®, em qualquer quantidade ou mesmo durante curtos períodos, existe um risco extremamente alto de nascimento de uma criança deformada (envolvendo em particular o sistema nervoso central, o coração e os grandes vasos sangüíneos). Todos os fetos expostos podem potencialmente ser afetados. Há também um risco elevado de aborto espontâneo. Caso ocorra gravidez durante o tratamento com ROACUTAN® ou durante o mês seguinte após sua interrupção, o médico deverá ser imediatamente informado. ROACUTAN® pode passar para o leite materno e por este motivo mulheres que estão amamentando não devem tomar este medicamento. Efeitos sobre a capacidade de dirigir e operar máquinas:Devido à possibilidade de diminuição da visão noturna, deve-se ter cuidados ao dirigir veículos ou operar máquinas. ESSE MEDICAMENTO NÃO DEVE SER UTILIZADO POR MULHERES GRÁVIDAS OU QUE POSSAM FICAR GRÁVIDAS DURANTE O TRATAMENTO.Informe ao seu médico se está amamentando. Este medicamento é contra-indicado para menores de 12 anos. Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde. 4. MODO DE USO.O conteúdo das cápsulas de ROACUTAN® apresenta aparência de uma suspensão homogênea, de cor amarelo escuro. ROACUTAN® não apresenta características organolépticas marcantes que permitam sua diferenciação em relação a outras cápsulas gelatinosas moles. As cápsulas de ROACUTAN® devem ser engolidas, sem mastigar, durante as refeições. ROACUTAN® somente deve ser prescrito por médicos que tenham experiência no uso de retinóides sistêmicos e entendam o risco de teratogenicidade associado ao tratamento com isotretinoína. Pacientes do sexo masculino e feminino devem receber uma cópia do guia do paciente e guia de contracepção. A resposta terapêutica ao ROACUTAN® e seus efeitos adversos são dose-dependentes, variando de acordo com o paciente. Há necessidade de ajuste individual da dosagem durante o tratamento. O tratamento com ROACUTAN® deve ser iniciado com 0,5 mg/kg diário. Para a maioria dos pacientes, a dose varia de 0,5-1,0 mg/kg/dia. Pacientes com doença muito grave ou com acne em tronco podem necessitar de doses diárias maiores, até 2,0 mg/kg. A dose cumulativa de 120-150 mg/kg por tratamento tem sido documentada para aumentar a taxa de remissão e prevenir recorrência. A duração da terapêutica portanto varia em função da dose diária. Remissão completa da acne ocorre geralmente nas 16-24 semanas de tratamento. Em pacientes que apresentam intolerância grave à dose recomendada, o tratamento pode ser mantido com doses menores e conseqüentemente durante um período maior de tratamento. Na maioria dos pacientes a resolução completa da acne é obtida com um único curso de tratamento. No caso de recorrência evidente, um novo curso de tratamento com ROACUTAN® deve ser prescrito, com a mesma dose diária e dose cumulativa prévia. Como ainda pode ser observada melhora da acne até 8 semanas após o término do tratamento, o retratamento não deve ser iniciado antes deste período. As cápsulas deverão ser ingeridas com alimentos, uma ou duas vezes ao dia. No caso de omissão ou esquecimento de dose por um dia, deve-se ingerir a dose prescrita normalmente no dia seguinte, não devendo ser dobrada a dose. Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento. Este medicamento não pode ser partido ou mastigado. 5. REAÇÕES ADVERSAS. O ROACUTAN® só deve ser usado quando receitado por um médico. Além disso, seu uso pode ocasionar efeitos colaterais, que exigem acompanhamento médico constante. ROACUTAN® não deve ser repassado a qualquer outra pessoa. Alguns dos efeitos adversos do ROACUTAN® são dose-dependentes. Com a dose recomendada, o risco-benefício é geralmente aceitável, considerando a gravidade da doença. Os efeitos adversos são geralmente reversíveis com a alteração da dose ou interrupção do tratamento, sendo que alguns podem persistir após a suspensão da medicação. Os eventos adversos listados a seguir refletem a experiência de estudos investigacionais e de pós-comercialização. A relação de alguns desses eventos com a terapia com ROACUTAN® é desconhecida. Muitos desses efeitos são semelhantes àqueles observados em pacientes que utilizam altas doses de vitamina A (ressecamento da pele e membranas mucosas, por exemplo, dos lábios, passagem nasal e olhos). Sintomas relacionados com hipervitaminose A:os seguintes sintomas são os efeitos indesejáveis mais freqüentemente relatados do ROACUTAN® - secura de pele e mucosas, isto é, de lábios, mucosa nasal (epistaxe), faringe (rouquidão), olhos (conjuntivite, opacidade da córnea, e intolerância a lentes de contato). Pele e anexos:exantema, prurido, dermatite facial, sudorese, granuloma piogênico, paroníquia, distrofia ungueal, aumento na formação de tecidos de granulação, adelgaçamento de cabelos, alopecia reversível, acne fulminante, hirsutismo, hiperpigmentação, fotossensibilidade, reações alérgicas, fragilidade cutânea. Piora da acne ocorre no início do tratamento e persiste durante várias semanas. Desordens do sistema músculo-esquelético:mialgia (dores musculares) com ou sem aumento da CPK (vide "Advertências e precauções"), artralgia (dores articulares), hiperostose, artrite, calcificação dos ligamentos e tendões e outras alterações ósseas, redução na densidade óssea, lombalgia, fechamento epifisário prematuro, tendinite. Desordens do sistema nervoso central e psiquiátricas:alterações comportamentais, cefaléia, aumento da pressão intracraniana (pseudotumor cerebral), convulsões, depressão (vide "Advertências e precauções"), tentativa de suicídio, suicídio. Embora a relação causal não tenha sido estabelecida, cuidados especiais devem ser dados para pacientes com história de depressão e todos os pacientes devem ser monitorizados para sinais de depressão e encaminhados para o tratamento apropriado, se necessário. Desordens sensoriais:casos isolados de distúrbios visuais, fotofobia, distúrbios da adaptação ao escuro (visão noturna diminuída), raros distúrbios visuais de cor (reversível com a descontinuação), catarata lenticular, ceratite, visão turva, blefarite, conjuntivite, irritação ocular, papiledema como sinal de hipertensão intracraniana benigna, redução da audição em algumas freqüências e zumbido, têm sido reportados. Desordens do sistema gastrintestinal:náusea, diarréia grave, doença inflamatória intestinal como doença de Crohn, colites, ileíte e hemorragia têm sido relatadas. Pacientes tratados com ROACUTAN® especialmente aqueles com altos níveis de triglicérides apresentam risco de desenvolverem pancreatite. Pancreatite fatal tem sido raramente relatada (vide "Recomendações"). Desordens hepáticas e biliares:elevações transitórias e reversíveis de transaminases hepáticas, alguns casos de hepatite. Em muitos desses casos, as alterações ocorreram dentro da variação normal e os valores retornaram aos níveis basais durante o tratamento. Em outros casos, entretanto, foi necessário reduzir a dose ou descontinuar o tratamento com ROACUTAN®. Desordens do sistema respiratório:broncoespasmo tem sido raramente relatado; algumas vezes em pacientes com uma história prévia de asma. Desordens sangüíneas:diminuição da contagem de células brancas sangüíneas, neutropenia, alterações de células vermelhas (como redução da contagem de células vermelhas e hematócrito), anemia, elevação da taxa de sedimentação, aumento nas plaquetas ou diminuição da contagem plaquetária (trombocitopenia). Achados laboratoriais:aumento de triglicérides e colesterol séricos, diminuição de HDL, hiperuricemia. Raros casos de diabetes têm sido diagnosticados (vide "Advertências eprecauções"). Infecções:infecções locais ou sistêmicas por microorganismos gram-positivos (Staphylococcus aureus). Outras reações:linfadenopatia, vasculite (por exemplo, granulomatose de Wegener), vasculite alérgica, reações alérgicas, hipersensibilidade sistêmica, hematúria e glomerulonefrite. 6. CONDUTA EM CASO DE SUPERDOSE. Sinais de hipervitaminose A (secura nos lábios, rachaduras na pele, dor de cabeça e perturbações visuais) podem aparecer em casos de superdosagem. Interrompa o uso da medicação e informe imediatamente ao seu médico. 7. CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO. As cápsulas de ROACUTAN® devem ser armazenadas em temperatura ambiente (temperatura entre 15°C e 30°C). Armazenado na embalagem original encontra-se protegido da umidade e da luz. Prazo de validade: Este medicamento possui prazo de validade a partir da data de fabricação (vide embalagem externa do produto). Não use o medicamento após a data de validade indicada na embalagem; pode ser prejudicial à saúde. TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

Informação técnica

1. CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS. A isotretinoína, substância ativa de ROACUTAN®, é um estereoisômero sintético do ácido all-trans-retinóico (tretinoína). Ela é muito eficaz na cura da acne, pois afeta todos os fatores etiológicos da doença: produção sebácea, hiperqueratinização folicular, colonização do ducto com Propionibacterium acnes e processo inflamatório. O mecanismo de ação do ROACUTAN® ainda não foi elucidado em detalhes, mas já se estabeleceu que a melhora observada no quadro clínico da acne grave está associada com a supressão dose-dependente da atividade da glândula sebácea e com a redução no tamanho das glândulas sebáceas demonstrada histologicamente. Estabeleceu-se, também, o efeito antiinflamatório dérmico da isotretinoína. Farmacocinética:Sendo a cinética da isotretinoína e seus metabólitos lineares, suas concentrações plasmáticas durante o tratamento podem ser preditas através de uma única informação. Esta propriedade também demonstra alguma evidência de que a atividade das enzimas hepáticas metabolizadoras não seja induzida pela isotretinoína. Absorção: A absorção de isotretinoína no trato gastrintestinal é variável; a biodisponibilidade absoluta de isotretinoína não foi determinada, pois a preparação venosa do composto não está disponível para uso em humanos, porém, estudos em cachorros sugerem que a biodisponibilidade sistêmica seja variável e razoavelmente baixa. Em pacientes estáveis com acne, uma concentração sangüínea de pico (Cmáx) de 310 ng/mL (variação: 188-473 ng/mL) foi observada 2-4 horas após administração de 80 mg/dia de isotretinoína em jejum. As concentrações plasmáticas de isotretinoína são cerca de 1,7 vezes maiores que as concentrações sangüíneas devido a baixa penetração de isotretinoína dentro das hemácias. Quando a isotretinoína é ingerida com alimentos, sua biodisponibilidade é dobrada em relação ao jejum. Distribuição: A isotretinoína liga-se fortemente às proteínas plasmáticas, principalmente albumina (99,9%), portanto, a fração livre da droga (farmacologicamente ativa) é menor que 0,1% em uma ampla variedade de concentrações terapêuticas. O volume de distribuição da isotretinoína é desconhecido no homem, uma vez que não se dispõe da mesma para administração intravenosa. Concentrações sangüíneas constantes (Cmin,ss) de isotretinoína em pacientes com acne grave tratados com 40 mg duas vezes ao dia variaram de 120 a 200 ng/mL; a concentração de 4-oxo-isotretinoína nestes pacientes foi 2-5 vezes maior que concentrações de isotretinoína. Existem poucas informações em humanos sobre a distribuição tecidual de isotretinoína. Concentrações de isotretinoína na epiderme representam metade da concentração plasmática. Metabolismo: Após administração oral de isotretinoína, três metabólitos principais têm sido identificados no plasma: 4-oxo-isotretinoína, tretinoína (ambos ácido trans-retinóico), e 4-oxo-tretinoína. O principal metabólito é o 4-oxo-isotretinoína, com concentrações plasmáticas constantes 2,5 vezes maior que os outros compostos. Outros metabólitos foram detectados, porém não completamente identificados, incluindo conjugados glicurônicos. Os metabólitos da isotretinoína mostraram atividade biológica em vários testes in vitro. Portanto, o perfil clínico observado em pacientes poderia ser o resultado da atividade farmacológica da isotretinoína e seus metabólitos. Estudo clínico envolvendo 74 pacientes demonstrou que a administração oral de 4-oxo-isotretinoína resultou numa redução significativa da taxa de excreção de sebo, comprovando que a 4-oxo-isotretinoína contribui de forma significativa na atividade terapêutica do ROACUTAN®. Neste estudo, a administração oral de 4-oxo-isotretinoína não afetou a concentração endógena de isotretinoína e tretinoína, sugerindo que a atividade da 4-oxo-isotretinoína é mediada pela 4-oxo-tretinoína. Como a isotretinoína e tretinoína (ambos ácido trans-retinóico) são metabolizados reversivelmente (interconvertidos), o metabolismo da tretinoína é relacionado com o da isotretinoína. O metabolismo pré-sistêmico da isotretinoína foi demonstrado em um estudo clínico que envolveu 10 voluntários. Circulação êntero-hepática pode ter um papel importante na farmacocinética de isotretinoína nos humanos. Estudos de metabolismo in vitrotêm demonstrado o envolvimento de várias enzimas CYP no metabolismo de isotretinoína para 4-oxo-isotretinoína e tretinoína. Nenhuma forma isolada parece ter um papel predominante. CYP2C8, CYP2C9, CYP2B6, e possivelmente CYP3A4 parecem ter as maiores contribuições no metabolismo da isotretinoína para 4-oxo-isotretinoína. CYP2C9, CYP2B6, e possivelmente CYP2C8, CYP3A4, CYP2A6 e CYP2E1 contribuem para o metabolismo da isotretinoína. CYP26 é também conhecido como metabolizador de retinóides. ROACUTAN® e seus metabólitos não são significativamente afetados pela atividade da CYP. Eliminação: Após administração oral de isotretinoína radioativa, frações aproximadamente equivalentes da dose são recuperadas na urina e nas fezes. Após administração oral de isotretinoína, a meia-vida de eliminação terminal da droga inalterada em pacientes com acne ocorre em 19 horas, em média. A meia-vida de eliminação terminal de 4-oxo-isotretinoína é maior, sendo 29 horas, em média. Isotretinoína é um retinóide fisiológico e, concentrações endógenas de retinóides são atingidas em aproximadamente duas semanas após o término do tratamento com ROACUTAN®. Farmacocinética em populações especiais: Sendo o ROACUTAN® contra-indicado para pacientes com insuficiência hepática, existe pouca informação sobre a cinética do ROACUTAN® nessa população. 2. RESULTADOS DE EFICÁCIA. A hiperqueratinização da unidade pilossebácea leva a compactação dos corneócitos no ducto e obstrução pela queratina e do excesso de sebo. Ocorre a formação dos comedões e, eventualmente, das lesões inflamatórias. ROACUTAN® inibe a proliferação dos sebócitos e parece regularizar o processo de diferenciação celular. O sebo é o principal substrato para o crescimento do Propionibacterium acnes, de modo que a redução da produção de sebo ocorre inibição da colonização bacteriana do ducto. A isotretinoína oral representa uma terapia efetiva para a acne resultando em remissão prolongada da doença na maioria dos pacientes. Um estudo com 88 pacientes, portadores de acne grave e/ou quadros resistentes a terapêutica convencional, tratados com isotretinoína oral na dose diária de 0,5-1mg/Kg/dia e dose cumulativa ? 120 mg/Kg, resultou em: 85% de melhora clínica após 4 meses de tratamento. Os pacientes foram acompanhados durante 10 anos após o término do tratamento: 60% apresentaram remissão completa da doença e 23% necessitaram de um segundo curso de tratamento. Referência bibliográfica:Layton AM, Stainforth JM and Cunliffe WJ. Ten years' experience of oral isotretinoin for the treatment of acne vulgaris. J Dermatol Treat 1993;4:S2-5.

Farmacocinética

1. CARACTERÍSTICAS FARMACOLÓGICAS. A isotretinoína, substância ativa de ROACUTAN®, é um estereoisômero sintético do ácido all-trans-retinóico (tretinoína). Ela é muito eficaz na cura da acne, pois afeta todos os fatores etiológicos da doença: produção sebácea, hiperqueratinização folicular, colonização do ducto com Propionibacterium acnes e processo inflamatório. O mecanismo de ação do ROACUTAN® ainda não foi elucidado em detalhes, mas já se estabeleceu que a melhora observada no quadro clínico da acne grave está associada com a supressão dose-dependente da atividade da glândula sebácea e com a redução no tamanho das glândulas sebáceas demonstrada histologicamente. Estabeleceu-se, também, o efeito antiinflamatório dérmico da isotretinoína. Farmacocinética:Sendo a cinética da isotretinoína e seus metabólitos lineares, suas concentrações plasmáticas durante o tratamento podem ser preditas através de uma única informação. Esta propriedade também demonstra alguma evidência de que a atividade das enzimas hepáticas metabolizadoras não seja induzida pela isotretinoína. Absorção: A absorção de isotretinoína no trato gastrintestinal é variável; a biodisponibilidade absoluta de isotretinoína não foi determinada, pois a preparação venosa do composto não está disponível para uso em humanos, porém, estudos em cachorros sugerem que a biodisponibilidade sistêmica seja variável e razoavelmente baixa. Em pacientes estáveis com acne, uma concentração sangüínea de pico (Cmáx) de 310 ng/mL (variação: 188-473 ng/mL) foi observada 2-4 horas após administração de 80 mg/dia de isotretinoína em jejum. As concentrações plasmáticas de isotretinoína são cerca de 1,7 vezes maiores que as concentrações sangüíneas devido a baixa penetração de isotretinoína dentro das hemácias. Quando a isotretinoína é ingerida com alimentos, sua biodisponibilidade é dobrada em relação ao jejum. Distribuição: A isotretinoína liga-se fortemente às proteínas plasmáticas, principalmente albumina (99,9%), portanto, a fração livre da droga (farmacologicamente ativa) é menor que 0,1% em uma ampla variedade de concentrações terapêuticas. O volume de distribuição da isotretinoína é desconhecido no homem, uma vez que não se dispõe da mesma para administração intravenosa. Concentrações sangüíneas constantes (Cmin,ss) de isotretinoína em pacientes com acne grave tratados com 40 mg duas vezes ao dia variaram de 120 a 200 ng/mL; a concentração de 4-oxo-isotretinoína nestes pacientes foi 2-5 vezes maior que concentrações de isotretinoína. Existem poucas informações em humanos sobre a distribuição tecidual de isotretinoína. Concentrações de isotretinoína na epiderme representam metade da concentração plasmática. Metabolismo: Após administração oral de isotretinoína, três metabólitos principais têm sido identificados no plasma: 4-oxo-isotretinoína, tretinoína (ambos ácido trans-retinóico), e 4-oxo-tretinoína. O principal metabólito é o 4-oxo-isotretinoína, com concentrações plasmáticas constantes 2,5 vezes maior que os outros compostos. Outros metabólitos foram detectados, porém não completamente identificados, incluindo conjugados glicurônicos. Os metabólitos da isotretinoína mostraram atividade biológica em vários testes in vitro. Portanto, o perfil clínico observado em pacientes poderia ser o resultado da atividade farmacológica da isotretinoína e seus metabólitos. Estudo clínico envolvendo 74 pacientes demonstrou que a administração oral de 4-oxo-isotretinoína resultou numa redução significativa da taxa de excreção de sebo, comprovando que a 4-oxo-isotretinoína contribui de forma significativa na atividade terapêutica do ROACUTAN®. Neste estudo, a administração oral de 4-oxo-isotretinoína não afetou a concentração endógena de isotretinoína e tretinoína, sugerindo que a atividade da 4-oxo-isotretinoína é mediada pela 4-oxo-tretinoína. Como a isotretinoína e tretinoína (ambos ácido trans-retinóico) são metabolizados reversivelmente (interconvertidos), o metabolismo da tretinoína é relacionado com o da isotretinoína. O metabolismo pré-sistêmico da isotretinoína foi demonstrado em um estudo clínico que envolveu 10 voluntários. Circulação êntero-hepática pode ter um papel importante na farmacocinética de isotretinoína nos humanos. Estudos de metabolismo in vitrotêm demonstrado o envolvimento de várias enzimas CYP no metabolismo de isotretinoína para 4-oxo-isotretinoína e tretinoína. Nenhuma forma isolada parece ter um papel predominante. CYP2C8, CYP2C9, CYP2B6, e possivelmente CYP3A4 parecem ter as maiores contribuições no metabolismo da isotretinoína para 4-oxo-isotretinoína. CYP2C9, CYP2B6, e possivelmente CYP2C8, CYP3A4, CYP2A6 e CYP2E1 contribuem para o metabolismo da isotretinoína. CYP26 é também conhecido como metabolizador de retinóides. ROACUTAN® e seus metabólitos não são significativamente afetados pela atividade da CYP. Eliminação: Após administração oral de isotretinoína radioativa, frações aproximadamente equivalentes da dose são recuperadas na urina e nas fezes. Após administração oral de isotretinoína, a meia-vida de eliminação terminal da droga inalterada em pacientes com acne ocorre em 19 horas, em média. A meia-vida de eliminação terminal de 4-oxo-isotretinoína é maior, sendo 29 horas, em média. Isotretinoína é um retinóide fisiológico e, concentrações endógenas de retinóides são atingidas em aproximadamente duas semanas após o término do tratamento com ROACUTAN®. Farmacocinética em populações especiais: Sendo o ROACUTAN® contra-indicado para pacientes com insuficiência hepática, existe pouca informação sobre a cinética do ROACUTAN® nessa população. 2. RESULTADOS DE EFICÁCIA. A hiperqueratinização da unidade pilossebácea leva a compactação dos corneócitos no ducto e obstrução pela queratina e do excesso de sebo. Ocorre a formação dos comedões e, eventualmente, das lesões inflamatórias. ROACUTAN® inibe a proliferação dos sebócitos e parece regularizar o processo de diferenciação celular. O sebo é o principal substrato para o crescimento do Propionibacterium acnes, de modo que a redução da produção de sebo ocorre inibição da colonização bacteriana do ducto. A isotretinoína oral representa uma terapia efetiva para a acne resultando em remissão prolongada da doença na maioria dos pacientes. Um estudo com 88 pacientes, portadores de acne grave e/ou quadros resistentes a terapêutica convencional, tratados com isotretinoína oral na dose diária de 0,5-1mg/Kg/dia e dose cumulativa ? 120 mg/Kg, resultou em: 85% de melhora clínica após 4 meses de tratamento. Os pacientes foram acompanhados durante 10 anos após o término do tratamento: 60% apresentaram remissão completa da doença e 23% necessitaram de um segundo curso de tratamento. Referência bibliográfica:Layton AM, Stainforth JM and Cunliffe WJ. Ten years' experience of oral isotretinoin for the treatment of acne vulgaris. J Dermatol Treat 1993;4:S2-5.

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play