CICLADOL

3249 | Laboratório CHIESI

Descrição

Ação Terapêutica: Analgésicos

Composição

Composição Completa: Cada comprimido de Cicladol® contém Piroxicam (na forma de piroxicam betaciclodextrina) 20 mg. Excipentes q.s.p. 1 comprimido. Excipentes: lactose, crospovidona, amidoglicolato de sódio, dióxido de silício, amido, esterarato. Cada comprimido efervescente de Cicladol® contém Piroxicam (na forma de piroxicam betaciclodextrina) 20 mg. Excipiente q.s.p 1 comprimido. Excipientes: lactose, carbonaato de sódio glicina, ácido fumárico, aspartamo, polietilenoglicol, aroma de limão.

Apresentação

Comprimido: embalagens com 5 e 10 comprimidos.
Comprimido efervescente: embalagens com 6 comprimidos efervescentes.

Indicações

Tratamento dos estados dolorosos agudos, como reagudização de dores reumáticas, dor músculo esqueléticas, dismenorréia, cefaléia, dor pós-traumatismo e pós operatória, odontalgia, afecções reumáticas articulares e extra articulares.

Dosagem

Comprimidos -1 comprimido ao dia.
Comprimidos Efervescentes - 1 comprimido efervescente, dissolvido em um copo de água, uma vez ao dia.
Em indivíduos idosos pode ser oportuno reduzir a dose pela metade e encurtar a duração do tratamento.

Contra-indicações

Hipersensibilidade ao fármaco, úlcera gastroduodenal, gastrite, dispepsias, distúrbios hepáticos e renais graves, insuficiência cardíaca grave, hipertensão arterial grave, alterações hematológicas graves,presença de diátese hemorrágica, gravidez confirmada ou presumível, período de aleitamento.

Reações Adversas

As reações adversas verificadas e provavelmente atribuídas à ação do fármaco restringem-se, em geral, ao trato gastrintestinal. São em síntese: náusea, pirose, dor epigástrica, dispepsia, diarréia. A incidência de tais efeitos indesejáveis, normalmente, é inferior à que se observa com piroxicam não incluído no complexo. A permanência mais prolongada do produto ativo e sua maior dispersão na luz gastrointestinal parecem, de fato, reduzir a intolerância local no contato direto com a mucosa. Outros possíveis mais raros efeitos são: úlcera gástrica com ou sem hemorragia, vômito, edema da face e mãos de natureza alérgica, aumento da fotossensibilidade cutânea, alterações visuais, anemia aplástica, pancitopenia, trombocitopenia, elevação dos índices das provas de função hepática, icterícia, insuficiência renal aguda, retenção hídrica que pode se manifestar sob forma de edema(especialmente nos tornozelos) ou distúrbios cardiocirculatórios (hipertensão, insuficiência cardíaca congestiva). De forma análoga ao piroxicam, em casos isolados foram descritos úlceras gástricas com perfuração, síndrome de Stevens Johnson, Síndrome de Lyell, agranulocitose, disfunção da vesícula biliar, choque e sintomas premunitórios, insuficiência cardíaca aguda, estomatite, alopecia e alterações do crescimento das unhas.

Precauções

Precauções: Em pacientes com anamnese de afecções do trato gastrointestinal o produto somente deve ser administrativo sob rigoroso controle médico. Deve-se adotar especial cautela também no tratamento de pacientes portadores de insuficiência cardiocirculatória, hipertensão arterial, comprometimento da função hepática ou renal, alterações hematológicas ou pregressas, asma brônquica e pacientes idosos. A exemplo do que ocorre com outros fármacos de atividade análoga, foram observados em raros casos elevação do nitrogênio uréico: estas elevações não se acentuam e no decorrer do tratamento com o produto atingem um platô, retornando aos níveis iniciais assim que o tratamento for interrompido. A elevação do nitrogênio uréico não esta associada a um aumento dos níveis plasmáticos da creatinina.
Administração Durante a Gravidez e Aleitamento: O medicamento é contraindicado no caso de gravidez confirmada ou presumível e durante o período de aleitamento.
Uso em Pediatria: Não existe ainda experiência suficiente estabelecendo as indicações e posologia do medicamento para crianças.

Interação com outros medicamentos

Existe a possibilidade de sensibilidade cruzada com o ácido acetilsalicílico ou outros antiinflamatórios não hormonais. O complexo piroxicam betaciclodextrina não deve ser administrado em pacientes nos quais o ácido acetilsalicílico ou outros fármacos antiinflamatórios não hormonais provocam sintomas de asma, rinite e urticária. A exemplo do que ocorre com outros antiinflamatórios não hormonais, o fármaco reduz a agregação plaquetária e prolonga o tempo de coagulação; esta eventualidade deve ser lembrada ao se efetuar os testes hematológicos e exige vigilância se o paciente estiver sob tratamento simultâneo com fármacos que inibem a agregação plaquetária.O complexo piroxicam betaciclodextrina não interfere, do ponto de vista farmacocinético, com a digoxina e cimetidina e a taxa de sua absorção gástrica não parece ser influenciada pela administração de hidróxido de alumínio.Da mesma forma, não foram constatadas incompatibilidades ou interações com os seguintes fármacos administrados concomitantementes: cloroquina, calcitonina, broncodilatadores, hipotensores, miorelaxantes, antibióticos, vitamina B12, vitamina D, antivertiginosos, aminofilina, ansiolíticos,diuréticos, antiparkisonianos, tiroxina, hipoglicemiantes orais, etc. O uso simultâneo com o lítio aumenta os níveis sanguíneos e a toxicidade do lítio.

Superdose

Em caso de superdosagem de Cicladol® recomenda-se uma terapêutica sintomática de apoio.
Uso Geriátrico:
Cicladol® pode ser utilizado por pacientes com idade acima de 65 anos, mas pode ser necessário reduzir a dose para a metade e limitar a duração do tratamento.

Informação técnica

Mecanismo de Ação
Cicladol® é uma nova formulação do piroxicam, na qual a substância ativa forma um complexo com a betaciclodextrina. A betaciclodextrina é um oligossacarídeo cíclico obtido através de hidrólise e conversão enzimática do amido e, graças à estrutura química especial que apresenta, pode formar complexos de inclusão com vários fármacos, melhorando as características de solubilidade, estabilidade e biodisponibilidade. O complexo piroxicam betaciclodextrina é altamente hidrossolúvel e proporciona rápida absorção do piroxicam após administração oral e retal. A melhor solubilidade permite uma rápida elevação dos níveis plasmáticos e a obtenção de valores de pico mais precoces e, com isso, maior intensidade do efeito analgésico e antiinflamatório. Cicladol® possui uma meia vida plasmática prolongada possibilitando uma única administração diária. Graças às suas propriedades farmacodinâmicas e farmacocinéticas, Cicladol® é adequado para tratamento de estados dolorosos moderados e intensos.

Farmacocinética

Mecanismo de Ação
Cicladol® é uma nova formulação do piroxicam, na qual a substância ativa forma um complexo com a betaciclodextrina. A betaciclodextrina é um oligossacarídeo cíclico obtido através de hidrólise e conversão enzimática do amido e, graças à estrutura química especial que apresenta, pode formar complexos de inclusão com vários fármacos, melhorando as características de solubilidade, estabilidade e biodisponibilidade. O complexo piroxicam betaciclodextrina é altamente hidrossolúvel e proporciona rápida absorção do piroxicam após administração oral e retal. A melhor solubilidade permite uma rápida elevação dos níveis plasmáticos e a obtenção de valores de pico mais precoces e, com isso, maior intensidade do efeito analgésico e antiinflamatório. Cicladol® possui uma meia vida plasmática prolongada possibilitando uma única administração diária. Graças às suas propriedades farmacodinâmicas e farmacocinéticas, Cicladol® é adequado para tratamento de estados dolorosos moderados e intensos.

Dizeres legais

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Reg. M.S.: 1.0058.0097
Publicidade

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play