ROHYPNOL

3696 | Laboratório ROCHE

Descrição

Princípio ativo: Flunitrazepam,
Ação Terapêutica: Hipnóticos

Composição

Princípio ativo:cada comprimido contém 1 mg do ingrediente ativo flunitrazepam. Excipientes:lactose, celulose microcristalina, estearato de magnésio, hidroxipropilmetilcelulose, indigocarmin, polividona, amido glicolato de sódio, etilcelulose, talco, dióxido de titânio, óxido de ferro amarelo, triacetina.

Apresentação

Comprimidos revestidos de 1 mg. Uso Oral. Caixas com 20 e 30 comprimidos.
USO ADULTO

Indicações

Tratamento de curta duração da insônia.
Os benzodiazepínicos são indicados apenas quando a insônia é grave, incapacitante ou que submete o indivíduo a extremo desconforto.

Dosagem

MODO DE USAR E CUIDADOS DE CONSERVAÇÃO DEPOIS DE ABERTO
Condições de conservação:
Rohypnol® deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15° e 30° C).
Manuseio:
Os comprimidos de Rohypnol® devem ser tomados com um pouco de líquido (não alcoólico).
Via de administração:
Rohypnol® deve ser administrado por via oral.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
POSOLOGIA
Dose padrão
A dose recomendada para pacientes adultos é de 0,5-1 mg/dia. Em casos excepcionais, a dose pode ser aumentada até 2 mg.
Deve-se iniciar o tratamento com a menor dose recomendada. A dose máxima não deve ser excedida. O medicamento deve ser tomado imediatamente antes do paciente deitar-se.
Duração do tratamento
O tratamento deve ser o mais breve possível. Geralmente, a duração do tratamento varia de alguns dias a duas semanas, no máximo quatro semanas, incluindo o período de redução gradual do medicamento.
Em alguns casos, a continuação além do período máximo de tratamento pode ser necessária; isto não deve ocorrer sem reavaliação da condição do paciente.
Pode ser útil informar ao paciente que inicia o tratamento que este terá duração limitada, explicando-se precisamente como será a redução gradual da dose. É fundamental que o paciente seja alertado sobre a possibilidade de insônia rebote, minimizando-se, assim, a ansiedade relacionada a esse sintoma, se ele ocorrer na interrupção do tratamento. No caso de benzodiazepínicos com uma ação de curta duração, há indícios de que a abstinência pode manifestar-se no intervalo entre doses, especialmente quando a dosagem for alta (vide item Advertências).
Recomendações posológicas especiais
Idosos
A dose recomendada para pacientes idosos é de 0,5 mg; em circunstâncias especiais a dose pode ser aumentada até 1 mg.
Paciente com insuficiência hepática
Pacientes com alteração de função hepática devem receber dose reduzida.
Pacientes com insuficiência respiratória crônica
Vide item Precauções.

Contra-indicações

Rohypnol® está contra-indicado nas seguintes condições:
Miastenia gravis
Hipersensibilidade conhecida a benzodiazepínicos ou a qualquer um dos componentes da fórmula
Insuficiência respiratória grave
Síndrome de apnéia do sono
Crianças
Insuficiência hepática grave.

Reações Adversas

Distúrbios do sistema imunológico:podem ocorrer reações de hipersensibilidade, incluindo rashcutâneo, hipotensão e angioedema.
Distúrbios psiquiátricos:estado confusional e transtorno emocional são relatados mais comumente. Essas reações adversas ocorrem predominantemente no início da terapia e geralmente desaparecem com a administração contínua. Distúrbios da libido foram relatados ocasionalmente.
Depressão:depressão pré-existente pode ser agudizada durante o uso de benzodiazepínicos.
Reações psiquiátricas e paradoxais:reações paradoxais como inquietação, agitação, irritabilidade, agressividade, delírios, raiva, pesadelos, alucinações, psicose, comportamento inadequado e outros efeitos adversos comportamentais são conhecidos por ocorrerem com o uso de benzodiazepínicos ou similares. Estas reações podem ser bastante graves com o uso deste produto e são mais prováveis de ocorrer em idosos.
Dependência: uso crônico (mesmo em doses terapêuticas) pode levar ao desenvolvimento de dependência física; a interrupção abrupta do tratamento pode resultar nos fenômenos de abstinência ou insônia rebote (vide item Advertências). Uso abusivo foi relatado.
Distúrbios do Sistema Nervoso:sonolência durante o dia, cefaléia, tontura, diminuição da atenção, ataxia. Estes efeitos adversos ocorrem predominantemente no início do tratamento e geralmente desaparecem com a administração prolongada. Amnésia anterógrada pode ocorrer com doses terapêuticas, sendo que o risco aumenta com as doses mais elevadas. Efeitos amnésticos podem ser associados a comportamentos inadequados (vide item Advertências).
Cardiopatias:insuficiência cardíaca, incluindo parada cardíaca.
Distúrbios respiratórios:depressão respiratória.
Distúrbio ocular:diplopia. Este efeito adverso ocorre predominantemente no início do tratamento e geralmente desaparece com a administração prolongada.
Distúrbios gastrointestinais: distúrbios gastrointestinais foram relatados ocasionalmente. Distúrbios da pele e dos tecidos subcutâneos:reações cutâneas foram relatadas ocasionalmente.
Distúrbios músculo-esqueléticos e dos tecidos conjuntivos:fraqueza muscular. Este efeito adverso ocorre predominantemente no início do tratamento e geralmente desaparece com a administração prolongada.
Distúrbios gerais e condições do local de administração:fadiga. Este efeito adverso ocorre predominantemente no início do tratamento e geralmente desaparece com a administração prolongada.
Lesões, envenenamento e complicações processuais: foi observado um risco aumentado de quedas e fraturas em pacientes idosos sob uso de benzodiazepínicos.

Resultados de eficácia

Estudo comparativo no qual o uso oral de 1 mg de flunitrazepam foi comparado a 10 mg de diazepam mostrou efeitos hipnóticos pré-operatórios semelhantes 1.
Em outro estudo, o uso de 1 a 2 mg de flunitrazepam foi tão efetivo quanto 10 a 20 mg de diazepam utilizados previamente à cirurgia, num estudo duplo cego envolvendo 142 crianças maiores. No grupo flunitrazepam, houve menor tendência a vômitos, porém maior efeito amnésico 2.
Quando comparado ao uso de lorazepam 2,5 mg como medicação pré-operatória, utilizado na noite antes da cirurgia e na manhã da cirurgia ginecológica, foi igualmente eficaz 3.
Para o tratamento da insônia, o uso de flunitrazepam na dose de 1 a 2 mg foi superior ao uso de nitrazepam na dose de 5 a 10 mg, tanto na indução do sono como na qualidade do sono 4.
Também o flunitrazepam foi mais efetivo no tratamento da insônia do que o temazepam, num estudo multicêntrico de 246 pacientes randomizados para receber ou flunitrazepam 1 mg, ou temazepam na dose de 20 mg, na hora de dormir, num período de 7 a 10 noites. Flunitrazepam foi mais efetivo, melhorando o tempo para conciliar o sono e com um menor número de despertares 5.
Verificou-se também que o triazolam é mais potente que o flunitrazepam, em doses similares 6.
Também num estudo duplo cego randomizado, em 312 pacientes, verificou-se que o uso de 1 mg de flunitrazepam ou 0,25 mg de triazolam, por um período de 7 a 14 noites, foi igualmente eficaz 7.
O uso de flunitrazepam na dose de 2 mg foi similar ao uso de Zolpidem 20 mg, para o controle de insônia, em 42 pacientes do sexo feminino hospitalizadas, num estudo duplo cego controlado. Os efeitos colaterais também foram semelhantes 8.
Entretanto, um outro estudo mostrou que, em homens, o uso de flunitrazepam 2 mg, mas não Zolpidem 20 mg, promoveu maior sonolência matinal com flunitrazepam 9.
Em idosos >78 anos com insônia, o uso de flunitrazepam na dose de 1 mg (n = 52) foi similar ao uso de zopiclone (n = 50) na dose de 5 mg. Os pacientes foram estudados durante 4 semanas incluindo uma semana de tratamento com placebo. O flunitrazepam foi associado a menor dificuldade de adormecimento, quando comparado ao zopiclone (p = 0,002 vs0,04). Não foram observadas diferenças em outros parâmetros; a aderência ao tratamento foi similar e não houve eventos adversos inesperados ou sérios 10.
Referências
1. Mattila MAK & Larni HM: Flunitrazepam: a review of its pharmacological properties and therapeutic use. Drugs 1980b; 20:353-374.
2. Richardson FJ & Manford MLM: Comparison of flunitrazepam and diazepam for oral premedication in older children. Br J Anaesth 1979; 51:313-319.
3. Mansikka M, Kangas L, & Kanto J: A comparative study of the clinical effects of flunitrazepam and lorazepam. Int J Clin Pharmacol Ther Toxicol 1980; 18:320-321.
4. Hartelius H, Larsson AK, Lepp M, et al: A controlled long-term study of flunitrazepam, nitrazepam and placebo, with special regard to withdrawal effects. Acta Psychiatr Scand 1978; 58:1-15.
5. Fisher RJH & Dean BC: A multi-centre, double-blind trial in general practice comparing the hypnotic efficacy and event profiles of flunitrazepam and temazepam. Pharmatherapeutica 1985; 4:231-235.
6. Nicholson AN & Stone BM: Activity of the hypnotics, flunitrazepam and triazolam, in man. Br J Clin Pharmacol 1980; 9:187-194.
7. Cordingley GJ, Dean BC, & Harris RI: A double-blind comparison of two benzodiazepine hypnotics, flunitrazepam and triazolam in general practice. Curr Med Res Opin 1984; 8:714-719.
8. Frattola L, Maggioni M, Cesana B, et al: Double blind comparison of zolpidem 20 mg versus flunitrazepam 2 mg in insomniac in-patients. Drugs Exp Clin Res 1990; 16:371-376.
9. Bensimon G, Foret J, Warot D, et al: Daytime wakefulness following a bedtime oral dose of zolpidem 20 mg, flunitrazepam 2 mg and placebo. Br J Clin Pharmacol 1990; 30:463-469.
10. Dehlin O, Rubin B, & Rundgren A: Double-blind comparison of zopiclone and flunitrazepam in elderly insomniacs with special focus on residual effects. Curr Med Res Opin 1995; 13:317-324.

Interação com outros medicamentos

O uso combinado com depressores do SNC (antipsicóticos, hipnóticos, ansiolítico-sedativos, antidepressivos, analgésicos narcóticos, anticonvulsivantes, anestésicos e anti-histamínicos sedativos) pode produzir aumento do efeito depressor central do flunitrazepam.
Efeitos aumentados sobre a sedação, respiração e hemodinâmica podem ocorrer quando Rohypnol® é co-administrado com qualquer agente depressor de ação central, incluindo álcool. O álcool deve ser evitado em pacientes recebendo Rohypnol® (vide item Advertências).
Advertências sobre outros depressores do Sistema Nervoso Central, incluindo álcool, vide item Superdose.
No caso de analgésicos narcóticos, pode ocorrer aumento de euforia, com aumento da dependência psíquica da droga.
Compostos que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente o citocromo P450) podem aumentar a atividade dos benzodiazepínicos e agentes similares.

Cuidado de armazenamento

Rohypnol deve ser armazenado em temperatura ambiente (entre 15° e 30° C).
Prazo de validade
Este medicamento possui prazo de validade a partir da data de fabricação (vide embalagem externa do produto). Não tome o medicamento após a data de validade indicada na embalagem; pode ser prejudicial à saúde.

Superdose

Sintomas
Os benzodiazepínicos geralmente causam sonolência, ataxia, disartria e nistagmo.
Superdose de Rohypnol® raramente cursa com risco de vida se o medicamento tiver sido ingerido isoladamente, mas pode levar à arreflexia, apnéia, hipotensão arterial, depressão cardiorrespiratória e coma.
Se ocorrer coma, normalmente tem duração de poucas horas, porém, pode ser prolongado e cíclico, particularmente em pacientes idosos. Os efeitos de depressão respiratória por benzodiazepínicos são mais sérios em pacientes com doença respiratória.
Os benzodiazepínicos aumentam os efeitos de outros depressores do Sistema Nervoso Central, incluindo o álcool.
Tratamento
Monitorização dos sinais vitais e medidas de suporte devem ser instituídas conforme o estado clínico do paciente. Em particular, os pacientes podem necessitar de tratamento sintomático dos efeitos cardiorrespiratórios ou efeitos do sistema nervoso central.
Uma absorção posterior deve ser prevenida utilizando-se um método apropriado, por exemplo, tratamento em 1 a 2 horas com carvão ativado. Se for utilizado carvão ativado, é imperativo proteger as vias aéreas em pacientes sonolentos. Em caso de ingestão mista, deve-se considerar a lavagem gástrica, entretanto, esta não deve ser considerada como uma medida de rotina.
Caso a depressão do Sistema Nervoso Central seja severa, deve-se levar em consideração o uso de flumazenil (Lanexate®), um antagonista específico do receptor benzodiazepínico. O flumazenil deve ser administrado apenas sob rigorosas condições de monitoramento. O flumazenil possui uma meia-vida curta (cerca de uma hora), portanto, os pacientes que receberem flumazenil requererão monitoramento após a diminuição dos seus efeitos. O flumazenil deve ser usado com extrema cautela na presença de medicamentos que reduzem o limiar de convulsões (por exemplo, antidepressivos tricíclicos). Consulte a bula do flumazenil (Lanexate®) para maiores informações sobre o uso correto deste medicamento.

Dizeres legais

MS-1.0100. 0075
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
O ABUSO DESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR DEPENDÊNCIA.

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play