MAXIFLOX-D

4120 | Laboratório LATINOFARMA

Descrição

Princípio ativo: Ciprofloxacino,Dexametasona,
Ação Terapêutica: Antibióticos oftálmicos combinados

Composição

Colírio:Cada mL contém:cloridrato de ciprofloxacino (equivalente a 3 mg de ciprofloxacino) 3,5 mg; dexametasona 1,0 mg; Veículo estéril q.s.p. 1 mL. Componentes não ativos: ácido bórico, edetato dissódico, tiloxapol, glicerol, hidroxietilcelulose e cloreto de benzalcônio (como conservante) e água purificada. Pomada Oftálmica:Cada g contém: cloridrato de ciprofloxacino (equivalente a 3 mg de ciprofloxacino) 3,5 mg - dexametasona1,0 mg - Excipiente estéril. q.s.p. 1g. Componentes não ativos: clorobutanol (como conservante), óleo mineral, cera microcristalina, vaselina branca.

Apresentação

Colírio:embalagem com 1 frasco plástico conta-gotas contendo 5 mL de suspensão estéril.
Pomada oftálmica:embalagem com 1 bisnaga contendo 3,5 g de conteúdo estéril.
USO ADULTO.

Indicações

Infecções oculares causadas por micro-organismos suscetíveis, quando for necessária a ação anti-inflamatória da dexametasona. Blefarites, blefaroconjuntivites e conjuntivites causadas por germes sensíveis, incluindo Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis e Streptococcus pneumoniae.

Dosagem

Colírio: Instilar 1 ou 2 gotas a cada quatro horas por um período aproximado de 7 dias. Durante as primeiras 24 a 48 horas, a dosagem pode ser aumentada para 1 ou 2 gotas a cada 2 horas, de acordo com o critério médico. Pomada oftálmica:Aplicar cerca de 1,5 cm da pomada no saco conjuntival inferior, 3 a 4 vezes por dia, ou a critério médico. Por comodidade o colírio pode ser utilizado durante o dia e a pomada à noite, ao deitar-se. No tratamento de blefarites, aplicar 1 a 1,5 cm da pomada no saco conjuntival inferior, 3 a 4 vezes ao dia, ou a critério médico, recomendando-se reduzir gradativamente a dosagem em tratamentos prolongados.

Contra-indicações

Hipersensibilidade aos componentes da fórmula ou a outros derivados quinolônicos. Infecções por Herpes simples (ceratite dendrítica), vacínia, varicela e outras doenças virais da córnea e conjuntiva. Afecções micóticas e tuberculosas das estruturas oculares. Glaucoma. Doenças com adelgaçamento da córnea e esclera. Não deverá ser utilizado após a remoção não complicada de corpos estranhos da córnea.

Reações Adversas

A reação adversa mais comum foi ardência ou desconforto local. Outras reações, ocorrendo em menos que 10% dos pacientes, incluíram formação de crostas na margem da pálpebra, sensação de corpo estranho, prurido, hiperemia conjuntival e mau gosto na boca após a instilação. Em menos de 1% dos pacientes, ocorreram manchas na córnea, ceratopatia/ceratite, reações alérgicas, edema de pálpebra, lacrimejamento, fotofobia, infiltrado corneano, náusea e declínio na acuidade visual.

Precauções

O uso prolongado de ciprofloxacino pode ocasionalmente favorecer a infecção por micro-organismos não sensíveis, inclusive fungos. Recomenda-se examinar periodicamente o paciente pela biomicroscopia com lâmpada de fenda e, quando apropriado, utilizando coloração de fluoresceína. Em tratamentos prolongados é aconselhável o controle frequente da pressão intraocular. O ciprofloxacino deve ser descontinuado ao primeiro sinal de rash cutâneo ou qualquer outra reação de hipersensibilidade. O produto somente deverá ser utilizado na gravidez ou no período de amamentação quando, a critério médico, o benefício para a mãe justificar o risco potencial para o feto ou a criança. O uso prolongado de dexametasona pode resultar em opacificação do cristalino (catarata), aumento da pressão intraocular em pacientes sensíveis e infecções secundárias.
ADVERTÊNCIAS
Exclusivamente para uso tópico oftálmico. Não utilizar para injeção no olho. Em pacientes recebendo terapia sistêmica com quinolonas foram relatadas reações de hipersensibilidade sérias e ocasionalmente fatais, algumas após a primeira dose. Algumas reações foram acompanhadas de colapso cardiovascular, perda de consciência, parestesia, edema faríngeo ou facial, dispnéia, urticária e prurido. Apenas alguns pacientes possuíam história de reações de hipersensibilidade. Reações anafiláticas sérias requerem tratamento de emergência com epinefrina e outras medidas de ressuscitamento, incluindo oxigênio, administração intravenosa de fluidos e anti-histamínicos, corticosteróides, aminas pressoras e ventilação, conforme indicação clínica.

Interação com outros medicamentos

Não foram realizados estudos específicos com ciprofloxacino oftálmico. Sabe-se, entretanto, que a administração sistêmica de algumas quinolonas pode provocar elevação das concentrações plasmáticas de teofilina, interferir no metabolismo da cafeína, aumentar o efeito do anticoagulante oral warfarina e seus derivados e produzir elevação transitória da creatinina sérica em pacientes sob tratamento com ciclosporina.

Superdose

Uma superdosagem tópica do produto pode ser retirada do(s) olho(s) com água potável.
Uso Geriátrico:O produto pode ser usado por pessoas acima de 65 anos de idade, desde que observadas as precauções comuns ao medicamento.

Informação técnica

O ciprofloxacino é uma fluorquinolona antibacteriana de efeito rápido que não apresenta resistência cruzada com as penicilinas, cefalosporinas, tetraciclinas e minoglicosídeos. Atua por inibição do DNA-girase bacteriano, interferindo na replicação do DNA. Os corticóides suprimem a resposta inflamatória para uma variedade de agentes. Em uso oftálmico, a dexametasona diminui a exsudação celular e fibrinosa, diminui a infiltração tecidual, inibe a formação de colágeno e fibroblastos, retarda a regeneração epitelial, diminui a neovascularização pós-inflamatória e reduz, a níveis normais, a permeabilidade aumentada dos capilares inflamados.

Farmacocinética

O ciprofloxacino é uma fluorquinolona antibacteriana de efeito rápido que não apresenta resistência cruzada com as penicilinas, cefalosporinas, tetraciclinas e minoglicosídeos. Atua por inibição do DNA-girase bacteriano, interferindo na replicação do DNA. Os corticóides suprimem a resposta inflamatória para uma variedade de agentes. Em uso oftálmico, a dexametasona diminui a exsudação celular e fibrinosa, diminui a infiltração tecidual, inibe a formação de colágeno e fibroblastos, retarda a regeneração epitelial, diminui a neovascularização pós-inflamatória e reduz, a níveis normais, a permeabilidade aumentada dos capilares inflamados.

Dizeres legais

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA.
MS n° 1.1725.0022.003-3 Colírio
MS n° 1.1725.0022.002-5 Pomada

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

Outros medicamentos LATINOFARMA

iVademecum © 2016 - 2020.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play