NEPODEX

2281 | Laboratório LATINOFARMA

Descrição

Composição

Colírio:Cada mL contém: dexametasona 1,0 mg sulfato de neomicina (equivalente a 3,5 mg de neomicina base) 5,0 mg; sulfato de polimixina B 6.000 UI; Veículo estéril q.s.p.1 mL. Componentes não ativos: fosfato de sódio dibásico hepta-hidratado, ácido cítrico, polissorbato 20, edetato dissódico, cloreto de sódio, cloreto de benzalcônio (como conservante), hidroxietilcelulose e água purificada. Pomada Oftálmica:Cada g contém: dexametasona 1,0 mg; sulfato de neomicina (equivalente a 3,5 mg de neomicina base) 5,0 mg; sulfato de polimixina B 6.000 UI - Excipiente estéril q.s.p.1g. Componentes não ativos: clorobutanol (como conservante), óleo mineral, cera microcristalina, lanolina anidra e vaselina branca.

Apresentação

Colírio:embalagem com 1 frasco plástico conta-gotas contendo 5 mL de suspensão estéril.
Pomada Oftálmica:embalagem com 1 bisnaga contendo 3,5 g de conteúdo estéril.
USO ADULTO E PEDIÁTRICO.

Indicações

Nas afecções inflamatórias oculares, acompanhadas de infecção ou risco de infecção por micro-organismos susceptíveis ao sulfato de neomicina e sulfato de polimixina B. NEPODEX (dexametasona, neomicina e polimixina B) é ativo contra Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Haemophilus influenzae, Klebsiella sp, Enterobacter sp, Neisseria sp e Pseudomonas aeruginosa.NEPODEX (dexametasona, neomicina e polimixina B) é indicado nas condições inflamatórias das pálpebras e conjuntiva bulbar, córnea e segmento anterior do globo ocular, assim como na uveíte anterior crônica e traumas corneanos causados por queimaduras química, térmica ou por radiação e também em casos de corpo estranho na córnea.

Dosagem

Colírio:Agitar bem antes de usar. Usar 1 ou 2 gotas no saco conjuntival. Em casos graves, a critério médico, as gotas podem ser administradas de hora em hora, diminuindo-se gradativamente a dosagem quando houver melhora da inflamação. Em casos leves, a frequência recomendada é de 4 a 6 aplicações diárias.
Pomada oftálmica:Aplicar uma pequena quantidade (1 a 1,5 cm) da pomada no saco conjuntival 3 a 6 vezes por dia, conforme orientação médica, diminuindo-se gradativamente a dosagem quando houver melhora da inflamação. Para maior comodidade, o colírio pode ser usado durante o dia e a pomada à noite, ao deitar-se.

Contra-indicações

Hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Infecções oculares por micobactérias. Doenças micóticas oculares. Ceratite epitelial por herpes simples (ceratite dendrítica), vacínia, varicela e outras doenças oculares virais. Não se recomenda o uso deste produto após a remoção não complicada de corpo estranho da córnea.

Reações Adversas

Efeitos colaterais:A reação mais comum aos anti-infecciosos é a sensibilização. Os corticosteróides podem provocar a elevação da pressão intraocular, com possível desenvolvimento de glaucoma e dano ao nervo óptico, formação de catarata subcapsular posterior e retardo na cicatrização. O uso prolongado pode levar ao desenvolvimento de infecções por micro-organismos não sensíveis, inclusive fungos. A possibilidade de infecção por fungos deve ser considerada em caso de ulceração corneana persistente que esteja sendo tratada com esteróides.

Precauções

Exclusivamente para uso tópico ocular. Não deve ser injetado. O uso prolongado pode suprimir a resposta do organismo e aumentar o risco de infecções secundárias oculares. Nas afecções que causam o adelgaçamento da córnea ou da esclera são conhecidos casos de perfuração com o uso de esteróides tópicos. Os esteróides podem mascarar infecção ou exacerbar as infecções existentes. Recomenda-se cautela se for utilizado em presença de herpes simples. Tratamentos prolongados (10 dias ou mais) requerem monitoração frequente da pressão intraocular. A aplicação prolongada de esteróides tópicos pode provocar o aparecimento de glaucoma, com dano ao nervo óptico, afetando a acuidade e os campos visuais, e formação de catarata subcapsular posterior. Em caso de tratamento concomitante com outros colírios, recomenda-se aguardar um intervalo de 15 minutos entre as aplicações. A repetição da prescrição inicial por mais de 20 mL ou 8 g, respectivamente, de colírio ou pomada, deve ser feita somente depois de examinar o paciente com auxílio de magnificação, como biomicroscopia com lâmpada de fenda e, se necessário, por coloração com fluorescência. Deve-se considerar a possibilidade de infecções micóticas persistentes da córnea após a administração prolongada de esteróides. O sulfato de neomicina pode causar sensibilização cutânea.
Gravidez:NEPODEX (dexametasona, neomicina e polimixina B) não foi estudado na gravidez humana. Não se determinou a segurança do uso prolongado de esteróides tópicos em mulheres grávidas. NEPODEX (dexametasona, neomicina e polimixina B) deve ser utilizado em mulheres grávidas somente se os potenciais benefícios justificarem os potenciais riscos. Amamentação:Não é conhecido se a administração tópica pode resultar em absorção sistêmica suficiente para produzir quantidades detectáveis no leite humano. Mulheres que amamentam devem evitar o uso do produto.

Interação com outros medicamentos

Não apresenta.

Informação técnica

Farmacologia Clínica- A dexametasona é um corticosteróide potente. Os corticosteróides tópicos agem através da supressão da resposta inflamatória, podendo levar a um retardamento no processo de cicatrização. Devido à inibição dos mecanismos de defesa do organismo contra infecções, é aconselhável em alguns casos a associação de agentes antimicrobianos. Esta associação em um mesmo medicamento facilita a adesão do paciente ao tratamento, por sua maior comodidade e assegura a aplicação da dosagem correta de cada droga.
A neomicina é um aminoglicosídeo ativo contra várias bactérias: estafilococos, gonococos, Acinetobacter sp, Brucela sp, Escherichia coli, Haemophilus influenzae, Klebsiella sp, Salmonella sp, Serratia sp, Shigella sp, Yersinia sp.A polimixina B é um antibiótico bactericida da família dos polipeptídeos. A sua atividade antibacteriana está limitada aos bacilos Gram-negativos: Klebsiella sp, Enterobacter sp, Escherichia coli, Haemophilus influenzae, Pasteurella sp, Pseudomonas aeruginosa, Salmonella sp.

Farmacocinética

Farmacologia Clínica- A dexametasona é um corticosteróide potente. Os corticosteróides tópicos agem através da supressão da resposta inflamatória, podendo levar a um retardamento no processo de cicatrização. Devido à inibição dos mecanismos de defesa do organismo contra infecções, é aconselhável em alguns casos a associação de agentes antimicrobianos. Esta associação em um mesmo medicamento facilita a adesão do paciente ao tratamento, por sua maior comodidade e assegura a aplicação da dosagem correta de cada droga.
A neomicina é um aminoglicosídeo ativo contra várias bactérias: estafilococos, gonococos, Acinetobacter sp, Brucela sp, Escherichia coli, Haemophilus influenzae, Klebsiella sp, Salmonella sp, Serratia sp, Shigella sp, Yersinia sp.A polimixina B é um antibiótico bactericida da família dos polipeptídeos. A sua atividade antibacteriana está limitada aos bacilos Gram-negativos: Klebsiella sp, Enterobacter sp, Escherichia coli, Haemophilus influenzae, Pasteurella sp, Pseudomonas aeruginosa, Salmonella sp.

Dizeres legais

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA.
COLÍRIO: MS n° 1.1725.0018.001-5
POMADA OFTÁLMICA: MS n° 1.1725.0018.002-3
Publicidade

Outros medicamentos LATINOFARMA

iVademecum © 2016 - 2019.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play