FLUSAN

2111 | Laboratório EUROFARMA

Descrição

Princípio ativo: Fluoruracila,
Ação Terapêutica: Antimetabólitos

Composição

Cada 1 mL contém: fluoruracila 50 mg, excipientes q.s.p. 1 mL. Excipientes: hidróxido de sódio e água para injeção.

Apresentação

Solução Injetável
Embalagens contendo 50 frascos ampola com 10 mL.
Embalagens contendo 20 frascos ampola com 20 mL.
Uso intravenoso
USO ADULTO

Indicações

Tratamento paliativo de tumores malignos, especialmente reto, cólon e mama, e também estômago, pâncreas, fígado (tumores primários), útero (especialmente cérvix), ovário e bexiga. O Flusan (fluoruracila) não substitui cirurgia ou outras formas reconhecidas de tratamento e deve ser utilizado apenas quando estas medidas não forem possíveis ou tenham sido tentadas e fracassadas.

Dosagem

O Flusan (fluoruracila) pode ser administrado em infusão ou injeção intravenosa. Na administração parenteral a dose diária total não deve exceder 1g.
A duração do tratamento deve ser determinada por um especialista dependendo do tipo e evolução do tratamento.
MODO DE USAR
MODO DE USO E CONSERVAÇÃO DEPOIS DE ABERTO.
O Flusan (fluoruracila) só deve ser utilizado sob orientação de especialista com larga experiência em quimioterapia antineoplásica.
Conservação: Os frascos-ampola de Flusan (fluoruracila) devem ser armazenados à temperatura ambiente (15 a 30°C). Se um precipitado se formar devido ao armazenamento a baixas temperaturas, convém aquecer cuidadosamente os frascos-ampola até 60°C, agitando-os em seguida.
Os frascos-ampola de Flusan (fluoruracila) devem ser manuseados apenas por pessoal treinado e habilitado. Assim como todos os agentes citotóxicos, precauções devem ser tomadas para evitar a exposição de funcionárias gravidas ao agente.
A solução ou infusão deve ser preparada em área apropriadamente designada e, de preferência, sob fluxo laminar. Deve-se utilizar proteção para os olhos, luvas, máscara e avental descartáveis e estéreis.
Seringas e material para infusão devem ser estéreis e cuidadosamente manuseados e montados para evitar vazamentos e contaminação.
Todas as superfícies expostas devem ser limpas, lavando-se em seguida as mãos e o rosto.
Todas as agulhas utilizadas devem ser colocadas em recipiente apropriado e todos os outros itens descartáveis colocados em plástico que deve ser incinerado juntamente com o restante do lixo clínico.
Dose Padrão:
1.Tratamento inicial:
a) Infusão
15 mg/kg ou 600 mg/m² (máximo 1 g por dose) administrados diariamente por infusão intravenosa por 4 horas; 750 mg de fluoruracila podem ser diluídos em 250 ml de uma das seguintes soluções: cloreto de sódio a 0,9% e glicose a 5%.
Uma vez diluída, a solução deve ser utilizada em até 14 dias. As infusões são repetidas diariamente até que os primeiros efeitos adversos apareçam (estomatite, diarréia, leucopenia e/ou trombocitopenia); o tratamento é então descontinuado. Uma vez que os efeitos gastrintestinais tenham desaparecido, a contagem leucocitária tenha novamente aumentado para 3000-4000/mm3 e a contagem plaquetária aumentada para 80.000-100.000/ mm3 o tratamento de manutenção deve ser iniciado (veja no próximo item).
b) Injeção
12 mg/kg ou 480 mg/m² administrados por injeção intravenosa lenta diária, em três dias consecutivos. Se sinais de toxicidade não ocorrerem (estomatite, diarréia, leucopenia e/ou trombocitopenia), o paciente receberá então 6 mg/kg ou 240 mg/m² IV nos dias 5, 7 e 9 desde que sinais de toxicidade não apareçam durante o tratamento. Se o tratamento for bem tolerado, deve-se iniciar a fase de manutenção.
De outra maneira, a manutenção deverá ser adiada até que os efeitos colaterais tenham desaparecido. Injeções 'em bolo' devem ser evitadas.
c) Esquema alternativo
15 mg/kg ou 600 mg/m² uma vez por semana na forma de injeção intravenosa. Efeitos colaterais são, em geral, discretos. Após a ocorrência da remissão, o tratamento de manutenção deve ser iniciado.
2. Tratamento de manutenção:
Injeção:
5-10 mg/kg ou 200-400 mg/m² IV uma vez por semana. Embora os sintomas tóxicos sejam raros, eles são um fator limitante no tratamento.
3. Instruções especiais
O primeiro ciclo de tratamento deve ser administrado em regime hospitalar ou sob a supervisão de um especialista.
Se a função da medula óssea estiver reduzida (contagem leucocitária inferior a 4.000/mm3, plaquetas inferior a 100.000/mm3), se houver prejuízo severo da função hepática e renal, ou perda de peso importante, a dose deve ser reduzida à metade ou a 1/3.
Em pacientes obesos, ou com edema, ascite ou outras formas de retenção hídrica que resultem em ganho de peso, a dose deve ser baseada no peso normal do paciente ou em sua superfície corpórea normal.
A administração do Flusan (fluoruracila) deve ser imediatamente interrompida na ocorrência de quaisquer dos sintomas ou sinais abaixo:
- Toxicidade gastrintestinal, como estomatite, mucosite, diarréia severa ou vômito, ulceração gastrintestinal ou sangramento.
- Toxicidade hematológica: contagem leucocitária inferior a 3.000/mm3, contagem plaquetária inferior a 80.000/mm3.
- Toxicidade central ou do sistema nervoso periférico incluindo ataxia e tremor.
- Toxicidade cardíaca.
O tratamento não deve ser reintroduzido até que os efeitos colaterais tenham desaparecido.
Em geral a decisão de reintroduzir o tratamento depende do grau de recuperação da toxicidade e da condição do paciente.
Nos casos de toxicidade severa gastrintestinal, cardíaca ou neurológica a reintrodução do Flusan (fluoruracila) não é recomendada.
Quando fluoruracila é combinado a outros agentes citostáticos com perfil semelhante de efeitos adversos ou radioterapia, a dose recomendada deve ser sempre reduzida.
Flusan (fluoruracila) pode também ser administrado em infusão continua de 24 horas (5-7,5 mg/kg ou 200 a 300 mg/m3 diários).

Contra-indicações

O uso deste medicamento é contraindicado em caso de hipersensibilidade conhecida a fluoruracila e/ou demais componentes da formulação.
Efeitos adversos no desenvolvimento fetal foram observados nos estudos em animais. Embora não exista evidência de prejuízo ao feto humano, fluoruracila é estritamente contraindicado durante a gravidez.
Desconhece-se se fluoruracila é excretada no leite materno. Contudo, mulheres em uso de fluoruracila não devem amamentar.

Reações Adversas

Reações adversas e alterações de exames laboratoriais
-Trato gastrintestinal.
Comuns: anorexia, náusea, vômito, estomatite, mucosite, diarréia.
Raros: sangramento, prejuízo hepatocelular. Em raríssimos casos observou-se necrose hepática fatal.
- Pele.
Comum: alopécia.
Raros: exantema, dermatite, eritema palmo-plantar, hiperpigmentação, fotossensibilidade, urticária. Casos isolados de alterações ungueais, incluindo perda das unhas, foram relatados.
- Sistema cardiovascular.
Muito raro: precordialgia, arritmias cardíacas, infarto do miocárdio, isquemia e insuficiência cardíaca, resultando em óbito em raros episódios.
- Sistema nervoso central.
Raros: ataxia, disartria, nistagmo, desorientação, confusão, euforia e neurite óptica. Casos de disfunção cerebelar, extrapiramidal e cortical, os quais são geralmente reversíveis, foram relatados.
Casos isolados de leucoencefalopatia têm sido relatados.
- Sistema hematopoiético.
Mais comum: leucopenia com neutropenia, anemia, trombocitopenia.
Raros: anemia hemolítica, agranulocitose, pancitopenia.
Devido à imunossupressão, pacientes tratados com fluoruracila podem desenvolver algumas infecções sérias.
- Olhos.
Raro: lacrimejamento é o primeiro sinal de estenose do ducto lacrimal.
- Outros.
Raros: broncoespasmo, choque anafilático. Se ocorrer choque anafilático, deve-se empregar as medidas usuais para seu controle. Diarréia em geral responde a agentes antidiarréicos. Náuseas e vômito descontrolados podem ser tratados com agentes antieméticos. Se o tratamento com o Flusan (fluoruracila) for interrompido resolução gradual do eritema palmoplantar ocorre em 5 a 7 dias. Alternativamente, síndrome palmo-plantar pode ser tratada com administração oral concomitante de piridoxina nas doses de 100 a 150 mg/dia.

Precauções

O tratamento deve ser interrompido imediatamente se os seguintes sintomas ocorrerem: estomatite, mucosite, diarréia severa ou vômito, ulceração gastrintestinal ou sangramento; contagem leucocitária inferior a 3.000/mm3; contagem plaquetária inferior a 80.000/mm3; toxicidade do sistema nervoso central e periférico incluindo ataxia e tremor; toxicidade cardíaca. O tratamento não deve ser reiniciado antes do desaparecimento dos sintomas.
Nos casos de toxicidade severa gastrintestinal, cardíaca ou neurológica a reintrodução do fluoruracila, em geral, não é recomendada.
Hemogramas freqüentes (a cada dois ou três dias) são essenciais durante o tratamento inicial. Durante a manutenção, um hemograma deve ser realizado antes de cada dose. As doses para o tratamento inicial devem ser reduzidas em 1/3 ou à metade nos pacientes com situação nutricional precária, naqueles submetidos à cirurgia de grande porte nos últimos 30 dias e naqueles com depressão da medula óssea (leucócitos inferior a 4.000/mm3 e plaquetas inferior a 100.000/mm3) ou com severo prejuízo das funções hepática e renal. Uma associação entre a deficiência de dihidropirimidina desidrogenase (DPD) e o aumento dos efeitos tóxicos do fluoruracila não pode ser excluída.
Quando fluoruracila é combinado a outros agentes citostáticos com perfil semelhante de efeitos adversos ou radioterapia, a dose recomendada deve ser sempre reduzida.
Flusan (fluoruracila) pode também ser administrado em infusão continua de 24 horas (5-7,5 mg/kg ou 200 a 300 mg/m3 diários).
O Flusan (fluoruracila) é irritante. O contato com a pele e mucosas deve ser evitado. Se ocorrer contato com os olhos: lave imediatamente com água e entre em contato com um médico. Se ocorrer contato com a pele: lave com água e sabão e remova imediatamente a roupa contaminada. Se ocorrer ingestão ou inalação: procure imediatamente um médico.
É estritamente contraindicado o uso durante a gravidez.
FDA: categoria D. existe evidência positiva de risco para fetos humanos, mas os beneficios em certas situações (por ex., situações ameaçadoras à vida ou doenças graves para as quais drogas mais seguras não podem ser usadas ou não são eficazes) podem tornar o uso aceitável a despeito do risco.
Desconhece-se se fluoruracila é excretada no leite materno. Contudo, mulheres em uso de fluoruracila não devem amamentar.

Resultados de eficácia

Um evidente efeito inibitório no crescimento de vários tumores transplantados foi observado em animais. Na prática clínica, remissões temporárias e parciais associadas a uma melhora subjetiva e alívio da dor, podem ser alcançadas em certos tipos de tumores.
Eficácia do fluoruracila nas indicacoes aprovadas no Brasil:
- Reto: 94% (associado com cisplatina)
- Cólon: 35% (associado com folinato de cálcio e irinotecano)
- Mama: 20-40%, 60-80% (associado com doxorrubicina, ciclofosfamida e metotrexato)
- Estômago: paliativo (5-15% de sobrevida em 5 anos)
- Pâncreas: 43% de sobrevida em 2 anos (associado com ressecção cirúrgica e radioterapia)
- Fígado: 40% de resposta, 15-30% de sobrevida em 5 anos
- Útero: 97,6% de resposta, 66% de sobrevida em 2-3 anos
- Ovário: 19% (associado com hexmetilamina, ciclofosfamida e metotrexato).
- Bexiga: 63-89% (associado com doxorrubicina e levamisol)

Interação com outros medicamentos

Interações medicamentosas: resultando em potencialização da toxicidade foram relatadas em associação com a administração concomitante de fluoruracila e outros agentes anticâncer (por exemplo, interteron alfa 2a, ciclofosfamida, vincristina, metotrexato, cisplatina, adriamicina, levamisol ou folinato de cálcio).
Uma síndrome hemolítica-urêmica foi relatada após uso prolongado do fluoruracila em combinação com mitomicina.
Influência nos testes diagnósticos: dosagens de bilirrubina (índices ictéricos) e de ácido 5-hidroxindol acético na urina podem se mostrar aumentadas ou falso-positivas.

Cuidado de armazenamento

Os frascos-ampola de Flusan (fluoruracila) devem ser armazenados à temperatura ambiente (15 a 30°C).
Se um precipitado se formar devido ao armazenamento a baixas temperaturas, convém aquecer cuidadosamente os frascos-ampola até 60°C, agitando-os em seguida.
Flusan (fluoruracila) pode ser diluído com um das seguintes soluções: cloreto de sódio a 0,9% e glicose a 5%. Após diluição a solução é estável por 14 dias em temperatura ambiente (15 a 30°C).
PRAZO DE VALIDADE
O prazo de validade do medicamento encontra-se na embalagem externa. Não utilize este medicamento após a data de validade.
Lote, data de fabricação e validade: vide embalagem externa.

Superdose

Os principais sintomas são náusea, vômito, diarréia, estomatite, hemorragia, leucopenia e/ou trombocitopenia.
Medidas adequadas de controle: interrupção do tratamento ou redução da dose e dependendo dos sintomas, transfusões sangüíneas, transfusões de leucócitos ou plaquetas e tratamento anti-infeccioso.

Informação técnica

CARACTERÍSTICAS
O Flusan (fluoruracila) inibe a divisão celular através do bloqueio da síntese do DNA (inibição enzimática) e pela formação de um RNA estruturalmente defeituoso (incorporação do fluoruracila).
Farmacocinética.
Absorção:
A biodisponibilidade do fluoruracila sofre variações intra e interindividuais.
Distribuição:
O volume de distribuição varia de 0,2-0,5 l/kg; 10% do fluoruracila ligam-se às proteínas plasmáticas. Após administração IV, o fluoruracila é distribuído nos tumores, mucosa intestinal, medula óssea, fígado e outros tecidos do organismo. Apesar de sua solubilidade limitada, o fluoruracila difunde-se pela barreira hematoencefálica e alcança o líquido cérebro-espinhal e o tecido cerebral. As concentrações no tecido tumoral e líquido cérebroespinhal podem ser maiores que no plasma.
Metabolismo:
O fluoruracila é metabolizado principalmente no fígado para produtos inativos incluindo, dióxido de carbono, uréia e a-fluoro-b-alanina.
Eliminação:
Menos de 15% da dose administrada é excretada inalterada na urina em 6 horas, sendo 90% dentro da primeira hora; 60-90% do fluoruracila marcado radioativamente são excretados juntamente com o CO2 respiratório. A meiavida de eliminação do fluoruracila é de 5-20 minutos e dose-dependente.
Farmacocinética em situações clínicas especiais:
Apenas uma pequena proporção (15%) do fluoruracila é excretada pelos rins. No entanto, devido à função prejudicada da medula óssea na azotemia (como resultado da insuficiência do rim), um ajuste de dose apropriado ao grau de insuficiência e a reação individual do paciente deve ser considerada. Como o fluoruracila é metabolizado principalmente no fígado, uma redução na dosagem deve ser considerada quando a função hepática está prejudicada.

Farmacocinética

CARACTERÍSTICAS
O Flusan (fluoruracila) inibe a divisão celular através do bloqueio da síntese do DNA (inibição enzimática) e pela formação de um RNA estruturalmente defeituoso (incorporação do fluoruracila).
Farmacocinética.
Absorção:
A biodisponibilidade do fluoruracila sofre variações intra e interindividuais.
Distribuição:
O volume de distribuição varia de 0,2-0,5 l/kg; 10% do fluoruracila ligam-se às proteínas plasmáticas. Após administração IV, o fluoruracila é distribuído nos tumores, mucosa intestinal, medula óssea, fígado e outros tecidos do organismo. Apesar de sua solubilidade limitada, o fluoruracila difunde-se pela barreira hematoencefálica e alcança o líquido cérebro-espinhal e o tecido cerebral. As concentrações no tecido tumoral e líquido cérebroespinhal podem ser maiores que no plasma.
Metabolismo:
O fluoruracila é metabolizado principalmente no fígado para produtos inativos incluindo, dióxido de carbono, uréia e a-fluoro-b-alanina.
Eliminação:
Menos de 15% da dose administrada é excretada inalterada na urina em 6 horas, sendo 90% dentro da primeira hora; 60-90% do fluoruracila marcado radioativamente são excretados juntamente com o CO2 respiratório. A meiavida de eliminação do fluoruracila é de 5-20 minutos e dose-dependente.
Farmacocinética em situações clínicas especiais:
Apenas uma pequena proporção (15%) do fluoruracila é excretada pelos rins. No entanto, devido à função prejudicada da medula óssea na azotemia (como resultado da insuficiência do rim), um ajuste de dose apropriado ao grau de insuficiência e a reação individual do paciente deve ser considerada. Como o fluoruracila é metabolizado principalmente no fígado, uma redução na dosagem deve ser considerada quando a função hepática está prejudicada.

Dizeres legais

Venda sob prescrição médica.
M.S.: 1.0043.1041

Indicado para o tratamento de:

Publicidade

iVademecum © 2016 - 2020.

Politica de Privacidade
Disponible en Google Play